segunda-feira, 30 de abril de 2012

FAMÍLIA ACUSA POLICIAL DE DAR TIROS NAS COSTAS DE JOVEM.

Um adolescente de 14 anos foi baleado nas costas, no início da noite de ontem, na favela Nova Brasília, no Complexo do Alemão. Segundo a família do menor, Evandro Luciano Oliveira, de 14 anos, saiu de sua casa, na Fazendinha, por volta das 18h, para comprar frutas, e foi atingido por policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

— Eles já passaram atirando — contou o irmão do menino, que está internado em estado grave no Hospital Salgado Filho, no Méier.  

O Alemão conta, desde o último dia 18, com duas UPPs — instaladas nas favelas Nova Brasília e Fazendinha. A assessoria de imprensa do projeto de segurança das UPPs informou que foi procurada pela família da criança, mas alegou que nenhum conflito foi registrado na comunidade. Além disso, as armas de todos os policiais que es$perto do local onde a criança teria sido ferida foram recolhidas, e ficou constatado que não foram feitos disparos delas.

Desde que a Polícia Militar entrou no Alemão, substituindo o Exército, que estava no complexo desde o fim de $de 2010, os confrontos têm sido frequentes. Na madrugada da última terça-feira, policiais trocaram tiros com suspeitos num beco da localidade Coqueirinho. Após o tiroteio, drogas e munição foram encontradas pela polícia no local.

Mas não é só o confronto entre a polícia e bandidos que está assustando moradores. No início da última semana, dois tiroteios entre traficantes rivais, no Morro do Adeus, já tinham assustados os moradores. A comunidade não está ocupada. Desde então, a PM vem fazendo patrulhamentos constantes para garantir a tranquilidade dos moradores.

As UPPs da Nova Brasília e da Fazendinha foram as primeiras implantadas no Alemão. Com mais de 600 policiais, elas são responsáveis pelo patrulhamento de 16 comunidades.


Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/familia-de-adolescente-diz-que-ele-foi-baleado-por-pms-no-alemao-4771516.html#ixzz1tWkSEpxZ

domingo, 29 de abril de 2012

CAPITÃO DO EXÉRCITO PASSA COM CARRO POR CIMA DE PM

Um capitão do Exército foi preso na madrugada deste domingo depois de atropelar um policial militar que atuava em uma blitz da operação Lei Seca. Além de atropelar o policial, numa tentativa de fuga, o militar estava com a carteira de habilitação vencida e sem a documentação obrigatória do veículo.

Segundo informações do governo do Estado o capitão do Exército Edmar Tadeu de Souza Pereira foi abordado por agentes da operação mas, em vez de parar o carro, acelerou e acabou atropelando o policial militar. Houve perseguição e o militar foi detido pelos policiais que realizavam a operação e levado para 21ª DP (Bonsucesso), central de flagrante.

O carro que o capitão do Exército dirigia foi levado para o depósito público. O policial atropelado passa bem e fará exame de corpo delito nas próximas 72 horas.

Segundo informações do governo o militar foi punido por quatro infrações, perdeu 24 pontos na carteira e terá que pagar R$ 1.393,98 em multas. As infrações são: se recusar a fazer o teste do etilômetro, o que acarreta em perda de sete pontos na carteira e multa de R$957,70; transpor o bloqueio. o que é uma infração gravíssima e também lhe custou sete pontos na carteira e multa de R$ 191,54; estar com a carteira de motorista vencida, outra infração gravíssima, com perda de sete pontos na carteira e multa de R$ 191,54; e não estar com a documentação obrigatória do veículo, o que leva à perda de 3 pontos na carteira e multa de R$53,20.


Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/capitao-do-exercito-preso-depois-de-atropelar-pm-na-operacao-lei-seca-4768146.html#ixzz1tRUAZXhz

DEPUTADO DIZ QUE CABO DACIOLO É TRAIDOR.

O deputado estadual Roberto Henriques (PSD-RJ) não poupou críticas ao cabo Benevenuto Daciolo, líder do movimento grevista dos bombeiros do Rio de Janeiro. De acordo com o parlamentar, Daciolo traiu o movimento grevista ao se posicionar contra a anistia dos seus companheiros e dos policiais militares expulsos das corporações em função das paralisações de fevereiro.

Ataque a Cabral

O cabo Daciolo teria dito ao deputado Paulo Ramos (PDT)-RJ) que a anistia dos bombeiros e policiais militares beneficiaria a imagem do governador Sérgio Cabral (PMDB).

Digital política

Para Roberto Henriques, a atitude de Daciolo denuncia que ele não está preocupado com as reivindicações da categoria, e sim em atacar politicamente o governador. O deputado chegou a compará-lo ao cabo Anselmo, militante de esquerda que traiu seus pares durante o Regime Militar, causando a morte de várias pessoas.

Com a palavra

"A vontade dele de negar a anistia aos bombeiros e policiais militares apenas para atacar o governador Sérgio Cabral evidencia que ele está tentando usar o movimento para motivos políticos. É como um cabo Anselmo. Para todo mundo, ele é aliado. Só que é apenas um agente infiltrado", atacou.

-------------

NOSSA OPINIÃO: AS COISAS ESTÃO MUITO ESTRANHAS NISSO TUDO, É DIFÍCIL ACREDITAR QUE O DACIOLO TENHA DITO ESSAS COISAS.
TODO BOMBEIRO QUE EU CONHEÇO É A FAVOR DA ANISTIA E ATÉ MESMO O PRÓPIO DACIOLO TAMBÉM É A FAVOR.
TEMOS QUE TOMAR CUIDADO COM ALGUMAS DECLARAÇÕES PORQUE PODEM SER MAL INTERPRETADAS E CAUSAR DIVISÕES NAS DUAS CORPORAÇÕES.
TODOS NÓS SABEMOS QUE EXISTE MUITA ANTIPATIA POR PARTE DO GOVERNO PARA COM OS BOMBEIROS E PRINCIPALMENTE CONTRA O DACIOLO E ISSO AFETA OS POLICIAIS , MAS ISSO NÃO É MOTIVO PARA ACREDITARMOS EM TUDO QUE É DITO.
CABE A ACUSAÇÃO O ÔNUS DAS PROVAS ,PORQUE ACUSAR AS PESSOAS É FÁCIL DEMAIS, AGORA PROVAR AS COISAS QUE É DIFÍCIL.
NÃO DEVEMOS JULGAR AS PESSOAS ,AINDA MAIS SEM APRESENTAR PROVAS.
O CABO DACIOLO TEM O APOIO DESSE BLOG E ATÉ QUE PROVEM O CONTRÁRIO , ELE É UM DOS GRANDES HERÓIS AO LADO DE OUTROS GRANDES HOMENS NAS DUAS CORPORAÇÕES QUE FIZERAM DIFERENÇA NA HISTÓRIA.

sábado, 28 de abril de 2012

PMs SÃO PRESOS ACUSADOS DE SEQUESTRAR LADRÕES E PEDIR RESGATE.

O desespero de uma mãe que esteve na delegacia na última terça-feira para registrar um sequestro sofrido pelo seu filho levou agentes da 38ª DP (Brás de Pina) a descobrirem um esquema de extorsão montado por dois policiais militares. Com a ajuda de um informante, o sargento Márcio Luis da Silva e o cabo Wallace Dias Pedroso, do 16º BPM ( Olaria), são acusados de localizar ladrões de carros e, em troca de sua liberdade, exigir dinheiro. Os PMs estão presos. Os acusados de roubo, soltos.

Depois de invadirem a residência da sogra de Fábio de Souza Sales, de 26 anos, e retirá-lo algemado de dentro de casa, os policiais, acompanhados de um outro integrante da quadrilha, foram até dois locais onde estavam um Fiat Pálio e um Vectra roubados. A partir daí, começaram, segundo os próprios ladrões, a negociar a liberdade de dois rapazes, acusados de serem integrantes do bando que vem roubando carros na região de Brás de Pina.

A negociação durou mais de sete horas até que os policiais descobriram que Joelma Gomes de Souza estava na 38ª DP (Brás de Pina) para registrar o sequestro do filho. Os dois policiais decidiram então levar o Vectra junto com Luiz Cláudio Barros Marques Junior, o Cofrinho, e Gilson Ricardo Tunis de Oliveira, o Buchecha, para apresentá-los como receptadores de veículos.

Na delegacia, os policiais, que já estavam sendo investigados por extorsão mediante sequestro, foram presos e autuados em flagrante. Apesar de terem abordado os rapazes por volta das 18h, apenas à 1h23m eles chegaram à delegacia. No mesmo dia eles foram transferidos para a unidade prisional da Polícia Militar.

Enquanto estava na delegacia, Joelma chegou a pensar em desistir de fazer o registro, depois de ter ligado para o celular do filho. Um homem atendeu aconselhando-a a sair do local porque o que eles queriam era R$ 5 mil. Fábio foi liberado pelos policiais militares algumas horas depois.

No depoimento, a sogra de Fábio confirmou que os policiais entraram em sua casa fardados, reviraram móveis e, acompanhados de um outro homem, levaram Fábio algemado. Quando eles retornaram, ela ainda viu quando o rapaz permanecia dentro do carro.

Cofrinho admitiu que roubou o Vectra no dia 22 desse mês, na Avenida Brasil, altura de Penha. Na delegacia ele disse que em determinado momento os policiais chegaram a exigir R$ 60 mil para libertá-lo e a Buchecha. Diante da negativa, o cabo Pedroso prendeu Buchecha dentro do Vectra, depois de espirrar jatos de spray de pimenta no veículo.

No dia do fato, a Polícia Civil chegou a pedir a prisão temporária por receptação para Cofrinho e Buchecha, o que foi negado pelo plantão judiciário. Os dois agora vão ser investigados em um inquérito que foi instaurado na 38ª DP (Brás de Pina), que já identificou outros integrantes da quadrilha. Vítimas de roubos ocorridos na região já fizeram reconhecimento dos acusados através de fotografias.

Na delegacia, o cabo Pedroso se reservou ao direito de só falar à Justiça. Já o sargento Wallace disse que a dupla começou o serviço no plantão por volta das 19h. Ele alegou que somente após a meia noite recebeu informação de que homens estariam circulando com um carro roubado.

Admitindo ser informante do cabo Pedroso, um rapaz esteve na delegacia e confessou que passava informações sobre a quadrilha para os policiais. Por volta das 15h30m, ele ligou para o PM dizendo que Fábio estaria circulando pelo bairro Dourado, em Cordovil, com um Pálio roubado. Ele entregou também Cofrinho, afirmando que estaria com um Vectra roubado no IAPI da Penha. Depois de sequestrar Fábio e pegar um revólver 38, que estava no porta luvas do Pálio, eles foram até o local onde estaria Cofrinho.

O Pálio foi deixado na Penha e os policiais seguiram com Fábio, Cofrinho e Buchecha, no Vectra. Thiago admitiu que durante o tempo esteve acompanhando os policiais. Em determinado momento, Pedroso pediu que ele fosse com o cunhado até o IAPI para dar um sumiço na Pálio. O carro foi levado até a Rua Tambaú, em Ramos, onde ficou estacionado. Thiago então foi embora com um cunhado.


Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/policiais-sao-presos-acusados-de-sequestrar-extorquir-ladroes-de-carros-4749269.html#ixzz1tMbqiyR0

PMERJ ABRE CONCURSO INTERNO PARA MANUTENÇÃO DE ARMAMENTO E MUNIÇÃO.

DGEI-CMARM-CENTRO DE MANUTENÇÃO DE ARMAMENTO E RECARGA
DE MUNIÇÃO– ESTÁGIO BÁSICO DE MANUTENÇÃO DE ARMAMENTO
E MUNIÇÃO I,II,II E IV –PRAÇAS/2012(EBMAM I,II,III E IV– PRAÇAS/
2012) -PROCESSO SELETIVO–INSTRUÇÕES REGULADORAS – PUBLICAÇÃO

O Comandante Geral, no uso de suas atribuições legais e atendendo proposta do Diretor
Geral de Ensino e Instrução, torna pública as Instruções Reguladoras referentes ao processo seletivo
para o Estágio Básico de Manutenção de Armamento e Munição- I, II, III e IV –PRAÇAS/2012 – EBMAM-
I, II, III e IV-PRAÇAS/2012.
1 – DO ESTÁGIO:
Local: CENTRO DE MANUTENÇÃO DE ARMAMENTO E RECARGA DE MUNIÇÃO;
Período de inscrição: 27 de Abril a 04 de Maio
Duração: 01 (uma) Semana, por estágio;
14
Aj G – Bol da PM n.º 077 - 26 Abr 12
Apresentação: 11 Mai 2012 (1ª turma), 18 Mai. 2012 (2ª turma), 25 Mai. 2012 (3ª turma), 01 Jun
2012(4ª turma);
Início: 14 Mai. 2012 (1ª turma), 21 Mai 2012 (2ª turma), 28 Mai 2012 (3ª turma), 04 Jun 2011 (4ª
turma);
Término: 18 Mai. 2012 (1ª turma), 25 Mai. 2012 (2ª turma),01 Jun 2012. (3ª turma), 11 Jun 2012
(4ª turma);
Vagas: 15 vagas por Estágio ,distribuídas de forma equitativa pelas Unidades de AISP 01, no total de 60
vagas;
Para Praças: 15 Vagas, preferencialmente 01 vaga por UOp, no total de 60 vagas;
Público alvo: Policiais Militares que preferencialmente trabalham na Reserva Única de Material Bélico
(RUMB) das UOp.

2 – DOS REQUISITOS EXIGÍVEIS AOS CANDIDATOS:
1. Ser Praça da Polícia Militar em situação de atividade, lotada preferencialmente na RUMB;
2. Estar no desempenho da função policial militar;
3. Não estar freqüentando curso ou estágio, interna ou externamente, seja de interesse ou não da Corporação;
4. Não estar agregado na forma do Estatuto dos Policiais militares;
5. Possuir interstício mínimo exigível do último curso ou estágio de especialização, ou extensão freqüentado,
conforme a publicação contida no Bol. PM nº 095, de 01 jun. 09, 2ª parte, tópico 4;
6. Não estar matriculado no Programa de Trabalho para Policial Militar em Reciclagem ou Reintegrado.
7. Não ter freqüentado anteriormente o Estágio Básico de Manutenção de Armamento e Munição (EBMAM),
no CMARM.
8.Não estar sub judice, nem respondendo a Inquérito Policial, ou restar condenado por crime ou contravenção
ofensivos ao decoro da classe, à dignidade policial militar e que causem descrédito para a Corporação,
condições estas devidamente informadas pelos Cmt/Ch/Dir através de ofício à DGEI;
9.Não estar respondendo à Averiguação, Sindicância, IPM ou qualquer Processo Administrativo Disciplinar
ofensivos ao decoro da classe, à dignidade policial militar e que causem descrédito para a Corporação,
condições estas devidamente informadas pelos Cmt/Ch/Dir através de ofício à DGEI;
10.Estar, no mínimo, no comportamento “BOM”;
11. Não estar aguardando ou frequentando CiDAPS;
3 – DO REQUERIMENTO DE INSCRIÇÃO:
15

Aj G – Bol da PM n.º 077 - 26 Abr 12
1. A inscrição do candidato far-se-á mediante REQUERIMENTO do interessado ao seu Comandante,
Chefe ou Diretor. da OPM que analisará se o policial militar preenche os requisitos necessários para inscrição;
2. Os requerimentos deferidos deverão ser remetidos à DGEI, impreterivelmente, até a data prevista no calendário
de atividades, acompanhados das respectivas Fichas Disciplinares atualizadas; Não serão aceitos
requerimentos sem a ficha disciplinar, requerimentos fora do prazo sob qualquer tipo de alegação,
bem como requerimentos avulsos. As Unidades deverão remeter um único oficio contendo os requerimentos
dos interessados.
3. Nos requerimentos de inscrição, no campo destinado a complementação de informações deverá ser informado
a data de início e término do último curso ou estágio freqüentado na Corporação ou fora dela e
o local de funcionamento;
4. Somente poderão ser inscritos os candidatos que satisfaçam todas as condições previstas nesta Instrução
Reguladora
5. As dúvidas poderão ser sanadas pelo telefone: 2333-2799 ( DGEI/3).
As informações contidas nos requerimentos dos interessados deverão ser analisadas pelos
seus Comandantes, Chefes ou Diretores, que irão decidir pelo deferimento ou indeferimento da inscrição
para preenchimento das vagas, devendo ser transcrita em Bol. Int. da Unidade.
4. DA MATRÍCULA:
Respeitando o critério de número de vagas (quinze vagas), será matriculado, 01 (um) candidato de cada
UOp da AISP 01. As Vagas restantes poderão ser preenchidas pelos interessados, respeitando em caso de
empate, o seguinte critério ordenador:
a. O de maior graduação;
b. O mais antigo;
c. O mais idoso.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

BOATOS TENDENCIOSOS EM REDES SOCIAIS.

QUERO INFORMAR A TODOS QUE NENHUM DOS POLICIAIS QUE FICARAM PRESOS EM BANGU 1 , ESTÃO PROMOVENDO ESSA OPERAÇÃO TARTARUGA AZUL.

ESTÃO ESPALHANDO BOATOS NAS REDES SOCIAIS DIZENDO QUE NO DIA 30 DE ABRIL TODOS OS BATALHÕES VÃO FAZER ESSA OPERAÇÃO E ISSO NÃO PROCEDE.

NENHUM DOS PORTA VOZES DA TROPA CONFIRMAM ISSO.

VIVIAN ,WAGNER LUÍS ,PABLO RAFAEL ,HAMUDE,ALONSIMAR,AQUINO DO PAPA,MAJOR HELIO, CEL RABELO ,CEL PAUL, NETO , NÃO VI NENHUM DESSES FALAR SOBRE ISSO.

TEMOS QUE TOMAR CUIDADO COM ALGUMAS COISAS QUE PODEM MAIS ATRAPALHAR DO QUE AJUDAR.

O MOMENTO AGORA É DE DIALOGAR COM O GOVERNO E COM O COMANDO DA PMERJ E NÃO APOIAMOS NENHUMA AFRONTA QUE VISE DESESTABILIZAR O GOVERNO OU O CMT DA PM.

QUALQUER POLICIAL QUE FIZER ESSA OPERAÇÃO ,ESTA CONTRIBUINDO PARA ATRAPALHAR O PROCESSO DE ANISTIA.

QUALQUER POLICIAL QUE PROMOVER ESSA OPERAÇÃO ,TAMBÉM ESTA JOGANDO CONTRA A TROPA.

NÃO É HORA DE FAZER PASSSEATAS E NEM MANIFESTAÇÕES.

POR FAVOR COMPARTILHEM ESSA MENSAGEM.

ATOR DE FILMES PORNÔ FILHO DE PM, TENTA BATER EM BOMBEIRO NA DELEGACIA

A 43ª DP (Guaratiba) foi palco de cenas inusitadas nesta quarta-feira. Um policial militar e um bombeiro estavam no local para registrar um problema envolvendo um imóvel e também o furto de uma lancha - o PM alegava que seu barco havia sido pego pelo bombeiro - quando um homem forte e tatuado pulou o balcão da delegacia e partiu em direção à mesa onde ambos estavam. Era o filho do PM: o lutador de jiu-jitsu e ator pornô Raphael Moreira da Silva, conhecido como Coyote, de 25 anos, que queria defender, no braço, o pai. O rapaz, porém, não conseguiu seu intento.

Segundo o delegado Luiz Mauricio Armond Campos, titular da 43ª DP, Raphael acabou sendo contido pelos policiais de plantão e foi autuado em flagrante por perturbação à segurança pública:

- Caso condenado, ele pode pegar até cinco anos de reclusão.

Fonte:
Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/ator-porno-invade-delegacia-na-zona-oeste-do-rio-para-defender-pai-um-pm-acaba-preso-4742303.html#ixzz1tILAkbvm

DEPUTADA CRITICA COMANDO DA POLICIA MILITAR

A DEPUTADA JANIRA ROCHA CRITICOU A POLITICA DO COMANDO DA PMERJ DE CONCEDER GRATIFICACOES SOMENTE PARA ALGUNS BATALHOES E TAMBEM A MUDANCA DA ESCALA.


quinta-feira, 26 de abril de 2012

CORONEL OFENDE GOVERNADOR COM PALAVRAS DE BAIXO CALÃO

CORONEL DO CORPO DE BOMBEIROS MARCELO PINHEIRO DO G-MAR EM COPACABANA, OFENDE GOVERNADOR SÉRGIO CABRAL EM REUNIÃO.




PÉSSIMO EXEMPLO VINDO DE UM OFICIAL.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

PM É MORTO COM TIROS DE FUZIL EM COPACABANA.

Um policial militar do 19º BPM (Copacabana) foi morto com cerca de 20 tiros de fuzil, no fim da noite desta segunda-feira, na Pavuna, Zona Norte do Rio. Segundo informações da PM, o cabo Francisco Alcântara estava num bar na Rua Palas quando bandidos em dois carros passaram pelo local e o reconheceram. Eles abriram fogo contra o PM. O bar onde Francisco estava ficou com a fachada marcada por tiros. Os bandidos fugiram com a arma do policial.

O caso será investigado pela Divisão de Homicídios. Os agentes investigam se o crime foi cometido pelo traficante conhecido como Mexicano. Ele é do Morro da Pedreira, em Costa Barros. Antes de ir para o 19º BPM - onde estava há dois meses -, o cabo havia trabalhado no 41º BPM (Irajá), reponsável pelo policiamento no Morro da Pedreira.


Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/cabo-da-pm-morto-tiros-de-fuzil-quando-estava-em-bar-na-pavuna-4720280.html#ixzz1t2qWwHlH

Milícias: polícia investiga sargento suspeito de tentar matar suposto comparsa na Taquara

Paulo Carvalho

Tamanho do textoAAA

Um sargento da PM que trabalha no restaurante do 18º BPM (Jacarepaguá) está sendo investigado por supostamente ter cometido, na madrugada de domingo, duas tentativas de homicídio dentro da localidade de Nova Aurora, na Taquara, em Jacarepaguá. O nome do sargento aparece em um registro policial feito ontem na 32 DP (Taquara), que investiga a denúncia sobre a violência na comunidade da Zona Oeste.

De acordo com a polícia, o policial teria chegado à favela para cobrar dívidas de um homem que seria o encarregado de tomar conta da milícia que atuaria na Nova Aurora para o sargento PM, ainda segundo a versão apresentada à Polícia Civil. Informações que a polícia investiga dão conta de que a vítima não estaria repassando o dinheiro arrecadado ao PM.

O policial teria chegado ao local, por volta de meia noite, já atirando contra a vítima, que foi atingido três vezes — duas nas pernas e uma na barriga. Ele foi levado para o hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. Uma mulher que estava participando de um churrasco foi ferida por uma bala perdida.

O delegado Antonio Ricardo Nunes disse que pretende intimar ainda hoje o sargento acusado de tentativa de homicídio. O delegado afirmou também que vai entrar em contato com a Polícia Militar para que seja requisitada a prisão administrativa do PM.

O sargento já vinha sendo investigado como integrante de uma milícia desde 2008. Na ocasião, o policial chegou a ter sua prisão decretada em um inquérito conduzido pela Divisão de Homicídios (DH). Os agentes investigavam um grupo de extermínio e milicianos que agiam nos bairros da Pavuna e de Anchieta. O sargento, que não chegou a ser preso, estaria envolvido em dois assassinatos cometidos em Guadalupe.

Mesmo citado no inquérito, o PM continua trabalhando normalmente na corporação. No ano passado, por exemplo, o sargento integrou uma lista de policiais que participaram de um curso básico de Higiene para Manipuladores de Alimentos. Procurada ontem para falar sobre o assunto, a assessoria de imprensa da Polícia Militar informou que não seria possível passar informações sobre o PM


Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/milicias-policia-investiga-sargento-suspeito-de-tentar-matar-suposto-comparsa-na-taquara-4718463.html#ixzz1t2q7JQou

terça-feira, 24 de abril de 2012

POLICIAIS DA UPP DO ALEMÃO LARGARAM O AÇO NA BANDIDAGEM

PMs e traficantes trocam tiros em comunidade do Alemão que ganhou UPP há menos de uma semana
Fonte:O Globo

Policiais militares e bandidos trocaram tiros na Favela Nova Brasília, no Complexo do Alemão, na noite desta segunda-feira. Uma Unidade de Polícia Pacificadora foi instalada na comunidade há menos de uma semana. De acordo com a polícia, os PMs receberam denúncia sobre um ponto de venda de drogas em um local conhecido como Coqueirinho. Três pessoas envolvidas no tiroteio conseguiram fugir e deixaram para trás uma granada com a inscrição "morte UPP". Os policiais também encontraram munição para fuzil e cocaína.

O registro da ocorrência é da 22ª DP (Penha).


Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/pms-traficantes-trocam-tiros-em-comunidade-do-alemao-que-ganhou-upp-ha-menos-de-uma-semana-4719654.html#ixzz1sxLJzgRh

segunda-feira, 23 de abril de 2012

PM MATA POLICIAL MILITAR DO 8°BPM CAMPOS

Foi sepultado na tarde deste domingo (22/04) o soldado Leonardo Cabral Carvalho, 35 anos, assassinado com dois tiros na noite de sábado, em São Fidélis. O policial militar na madrugada, por volta da 0h, depois de levar dois tiros, nas costas e outro no abdomem. Segundo a Polícia, a PM fazia o policiamento em frente a uma festa particular, na Avenida Paraná, no Centro da cidade, quando Leonardo teria abordado o também policial militar Paulo César dos Santos Vieira, e este não teria gostado.


No final da festa Paulo César teria voltado e atirado em Leonardo, que morreu minutos depois. Um policial que estava trabalhando com Leonardo, reagiu, atirando no pescoço de Paulo, que foi socorrido e levado para o Hospital Ferreira Machado em Campos. Uma jovem de 18 anos que estava no local levou um tiro de raspão, foi atendida no hospital e liberada. O policial era casado e deixou dos filhos.

O comandante do 8º Batalhão de Polícia Militar (BPM), Tenente Coronel Lúcio Flávio Baracho, lamentou o fato. “Infelizmente é uma situação muito triste, ver homens preparados para combater a criminalidade se envolverem numa ocorrência dessa. A Polícia vai investigar o fato e se for comprovado que o policial cometeu o crime, o mesmo perde sua função e vai preso,” diz o Comandante.

O policial Paulo César está internado, na Clínica Cirúrgica do Hospital Ferreira Machado. O caso está sendo investigado pela 6º Delegacia Judiciária, em Campos, onde o caso foi registrado.

http://www.ururau.com.br/cidades14992#Sepultado

F.B.I. PODERÁ DAR INSTRUÇÃO PARA RECRUTAS DO CEFAP

Instrutores do FBI poderão dar aulas

Também está em estudo a possibilidade de contratação, no ano que vem, de instrutores do FBI para repassarem ensinamentos sobre como atuar para evitar atentados ou após ataques — isso já de olho nos eventos internacionais que o Rio vai sediar. A cada ano, a PM perde pelo menos 1.200 homens, que vão para a reserva ou morrem.

— Estamos trabalhando na capacitação dos policiais militares, para fazer no menor prazo possível o que não foi feito em dez, 15 anos pelos governos anteriores. Precisamos de mais gente, mas também de policiais com uma formação de maior qualidade. Ou seja, não basta aumentar o número de policiais formados, é preciso melhorar nossos currículos e nosso corpo docente. Nossa Subsecretaria de Ensino já conseguiu melhorar bastante a capacitação. Promoveu nos últimos anos o aprimoramento dos currículos. E agora está desenvolvendo um programa de capacitação continuada para os policiais já na ativa — diz o secretário.

A subsecretária de Ensino e Programas de Prevenção, Juliana Barroso, responsável pela estruturação da grade curricular, disse que a modernização da formação custou R$ 6 milhões.

— O governo do estado está cada vez mais mais preocupado com a qualidade dos recrutas, apesar da preocupação de prepará-los a tempo para o cronograma das UPPs. É como se fosse a relação de um pai com o filho. Queremos acompanhar o crescimento deles. Por isso, a ideia dos observadores externos, dos supervisores — diz Juliana, lembrando que representantes dos governos do Ceará e do Tocantins já a procuraram para discutir o programa de formação da polícia.

Um deles foi o diretor-geral da Academia de Segurança Pública do Estado do Ceará, César Barreira:

— Estou pinçando o que há de melhor em cada modelo. Um aspecto positivo do programa do Rio é o banco de talentos, pois aproxima a sociedade civil dos profissionais da área de segurança.

A seleção dos recrutas pela PM tem sido rigorosa. A corporação adota no exame toxicológico a análise da queratina (substância presente nos pelos dos candidatos), capaz de detectar se a pessoa consumiu drogas nos últimos 180 dias.

Entre os especialistas em segurança pública, a produção em série de recrutas divide opiniões. Há quem argumente que o curso com duração de seis meses é sinal de má qualidade, como critica o coronel José Vicente da Silva Filho, ex-secretário nacional de Segurança:

— Não há dúvida de que serão formados maus policiais. O processo “miojo” (por ser instantâneo) não faz com que os recrutas, em tão pouco tempo, absorvam valores morais, éticos e a técnica necessários para ser um bom soldado da PM. Os efeitos dessa má qualidade vão explodir durante a Copa e as Olimpíadas.

Já para o consultor de segurança e ex-capitão do Bope Paulo Storani, o importante é dar continuidade aos cursos, principalmente o de tiro:

— O perfil dos meninos que estão entrando para as UPPs já está dentro do espírito da política de proximidade com os moradores, mas, em algum momento, o recruta terá que usar a arma de fogo. Por isso, o treinamento constante é fundamental, para se preparar para o pior.

Desde que a nova grade curricular passou a vigorar este ano, os recrutas não param de atirar, segundo o comandante do Cefap, coronel João Silvestre de Araújo:

— O desafio cultural é retirar o fuzil da mão do policial, que se sente mais seguro com esse tipo de arma. Por isso, o aluno treina mais com pistola e revólver.

Nas turmas, formadas por homens e mulheres, as alunas do sexo feminino se destacam no tiro de precisão. A carga horária de 1.177 horas de curso tem que ser seguida à risca. O que a maioria busca é a estabilidade no emprego. Com o casamento marcado para maio, a soldado Tatiana Peixoto, de 29 anos, junta o soldo de R$ 1.050 por mês para comprar o enxoval. Ela termina o curso em 29 de abril:

— Já comprei geladeira e TV.

O colega Jeferson de Araújo, de 24 anos, um dos melhores atiradores do curso, não vê a hora de deixar o banco escolar:

— Estou me preparando para trabalhar na UPP da Rocinha. Sei que tenho o perfil de conciliador.


http://oglobo.globo.com/rio/meta-da-pm-fechar-2012-com-sete-mil-novos-recrutas-4706776

PMERJ VAI INCORPORAR NESSE ANO 7 MIL RECRUTAS

RIO - Na linha de montagem da Polícia Militar, a previsão é fechar o ano com sete mil recrutas recém-saídos do forno. São 19 soldados por dia, que vão atuar nas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), principal programa da atual política de segurança do estado. A meta é chegar a 2016 com 60 mil PMs — 16 mil a mais do que o efetivo atual —, para garantir também a segurança de grandes eventos, como as Olimpíadas. Para a produção de policiais em larga escala, o Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças da PM (Cefap), em Sulacap, precisou ampliar suas instalações, com a construção de mais dois prédios, totalizando um complexo de cerca de três milhões de metros quadrados. Ali, um soldado é formado no prazo de seis meses. Apesar de parecer contraditório, já que, na grade curricular, quase todas as disciplinas têm foco em direitos humanos, o comando do Cefap informou que nunca se treinou tanto tiro no local. Até o fim deste ano, a previsão é que os alunos tenham feito 840 mil disparos.

secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, sai em defesa do programa de formação dos novos policiais, rechaçando as críticas de que teria havido uma queda na qualidade do ensino. Segundo Beltrame, em nenhum momento a qualidade do curso foi deixada em segundo plano. Uma prova disso, diz, são as mudanças na metodologia de ensino. Ele cita ainda a implantação do banco de talentos, em que professores civis de universidades renomadas são selecionados para dar aulas aos recrutas. Além disso, foram criadas turmas de supervisores para avaliar o desempenho dos alunos.


http://oglobo.globo.com/rio/meta-da-pm-fechar-2012-com-sete-mil-novos-recrutas-4706776

domingo, 22 de abril de 2012

EXPULSÃO DOS BOMBEIROS É CONCRETIZADA

Secretaria de Estado de Defesa Civil


CORPO DE BOMBEIROS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO.


ATOS DO "comandante geral"


DIÁRIO OFICIAL DE 17.04.2012


EXCLUI, ex officio, do serviço ativo deste Corpo de Bombeiros Militar
do Estado do Rio de Janeiro, a contar de 12 de março de 2012, face
o que consta na Nota CI/JD 218/12, publicada no Boletim da SEDEC/CBMERJ nº 049, de 12.03.2012, o Subtenente BM Q10/81 VALDELEI DUARTE, RG CBMERJ nº 06.933, Segundo Sargento BM
Q10/00 DANIEL ALVES DOS SANTOS, RG CBMERJ nº 27.295, , o Terceiro Sargento BM Q10/98
ALEXANDRE GOMES MATIAS, RG CBMERJ nº 24.191, , o Cabo BM Q10/98 ALEXANDRE SALVADOR DE AZEVEDO, RG CBMERJ nº 24.275, o Cabo BM Q10/98 BENEVENUTO DACIOLO FONSECA DOS SANTOS, RG CBMERJ nº 24.481.
DE 17.04.2012

LICENCIA, ex officio, do serviço ativo deste Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro, a contar de 12 de março de 2012,
face o que consta na Nota CI/JD 216/12, publicada no Boletim da SEDEC/CBMERJ nº 049, de 12.03.2012, o Terceiro Sargento BM Q10/02
WALLACE RODRIGUES CHAVES, RG CBMERJ nº 31.406, , o Terceiro Sargento BM Q10/02
HARRUA LEAL AYRES, RG CBMERJ nº 31.416,, o Terceiro Sargento BM Q10/02
ANDRÉ MANOEL PONTES DE MATOS, RG CBMERJ nº 31.429,, o Terceiro Sargento BM Q10/02
HERALDO CORREIA VIEIRA, RG CBMERJ nº 31.536, , o Cabo BM Q10/08 ANDREI
CARLOS AZEVEDO DOS SANTOS, RG CBMERJ nº 43.850, de acordo com o que preceitua o inciso II, e § 3º, alínea “c”, do art. 120, da
Lei Estadual nº 880, de 25.07.1985 (EBMERJ), § 2º do art. 31, do
Decreto nº 3.767, de 04.12.1980 (RDCBMERJ), e inciso IV, letra “a”,
do art. 13 do Decreto nº 2.155, de 13.10.1978, e o que consta no
Processo nº E-27/0029/11161/2012.

* ESTA É A PUBLICAÇÃO EM DIARIO OFICIAL QUE CONCRETIZOU A EXPULSÃO DOS BOMBEIROS QUE LUTARAM POR MELHORIAS SALARIAS E DIGNIDADE.

POLICIAIS DO BATALHÃO DE CHOQUE SÃO ACUSADOS DE ESTUPRO

Moradora da Rocinha presa por furto acusa quatro PMs do Batalhão de Choque de tortura e estupro
FONTE: JORNAL EXTRA


Uma mulher de 36 anos, moradora da Favela da Rocinha que está presa por furto, acusa quatro policiais militares do Batalhão de Choque de tortura e estupro. Os crimes teriam acontecido na noite da última quarta-feira, na comunidade.
Horas antes, a mulher havia furtado a bolsa de outra moradora da favela. A vítima pediu ajuda aos PMs, que localizaram a casa da suspeita. A bolsa foi encontrada na residência.
Antes de ser levada à 14ª DP (Leblon), a mulher que furtou a bolsa diz que foi espancada com socos, chutes e golpes de toalha molhada. Além disso, a mulher disse que sofreu violência sexual por parte dos PMs, mas não houve conjunção carnal.
Laudo do Instituto Médico Legal (IML) divulgado pelo “RJ TV”, da TV Globo, deu positivo para lesão corporal e para ato libidinoso diverso de conjunção carnal.
A mulher contiua detida na carceragem da 14ª DP. Os PMs suspeitos ainda não foram ouvidos sobre o caso.
Em nota, a Secretaria de Segurança informou que a Corregedoria Geral Unificada (CGU) está acompanhando as investigações da 14ª DP desde quinta-feira. A CGU também vai instaurar procedimento administrativo disciplinar para apurar o caso.
Já a Polícia Militar informou que os quatro suspeitos serão afastados das atividades operacionais até o término da investigações. A Corregedoria interna da corporação instaurou inquérito policial-militar para apurar os fatos.

* NÓS DO SOS POLICIAIS NÃO JULGAMOS NINGUÉM E RECOMENDAMOS QUE NINGUÉM JOGUE PEDRA NOS TELHADOS DOS OUTROS ,ATÉ PORQUE CABE A JUSTIÇA PROVAR SE HOUVE OU NÃO O FATO.
ENQUANTO ISSO TEMOS QUE DAR TOTAL APOIO AOS COLEGAS DE FARDA.

Oito sargentos reformados e seis cabos presos por participação em greve da PM em Volta Redonda ( JORNAL EXTRA)

Oito sargentos reformados e seis cabos presos por participação em greve da PM em Volta Redonda
FONTE: JORNAL EXTRA


A manifestação grevista de policiais militares, deflagrada em fevereiro deste ano, ainda provoca repercussões administrativas na corporação. O Conselho de Disciplina da PM decidiu reformar oito sargentos — sete deles atuavam no 28º BPM (Volta Redonda) e um estava lotado no 20º BPM (Mesquita).
A corporação também puniu disciplinarmente seis cabos do 28º BPM, com 30 dias de detenção, por transgressão grave, que foram considerados aptos para seguir na ativa. Dos 16 policiais submetidos ao conselho, apenas dois foram inocentados: um sargento, que nem chegou a ser julgado porque o 28º BPM informou que ele não participou da manifestação, e um cabo, que trabalhou normalmente entre 9 e 10 de fevereiro, quando houve adesão à greve. O registro saiu no boletim interno 72, publicado nesta quarta-feira — um dia antes da PM determinar a redução do período de descanso na escala dos policiais militares.
De acordo com as justificativas apresentadas pelo Conselho de Disciplina, o movimento era ilegal. Até às 21h de quinta-feira, a PM não tinha se manifestado sobre o assunto.
“Afronta às normas”, alega PM
Os sargentos que estavam no batalhão foram reformados, sob a alegação de que participaram de “uma afronta às normas regulamentares em vigor”. A corporação alegou, ainda, que o comando-geral publicou mensagens no boletim de 8 de fevereiro, alertando os policiais sobre a ilegalidade do manifesto.
Não foi a primeira punição em Volta Redonda. No mês passado, 11 policiais do batalhão foram expulsos por atos de indisciplina por causa da adesão à greve. O episódio já repercute na Assembleia Legislativa.
— Querem dar tratamento de bandido para aqueles que estão à serviço da população, para combater a criminalidade. Estão punindo pais de família e mandando policiais para casa num momento em que a PM precisa de reforço de efetivo — criticou o deputado estadual Flávio Bolsonaro (PP), que criou, nesta quinta-feira, um projeto de lei que prevê remuneração aos policiais com folga reduzida.

* COMO JÁ FALAMOS EM OUTRAS OCASIÕES ,ESSAS PENAS QUE ESTÃO SENDO EXECUTADAS NOS PMS ACUSADOS DE MANIFESTAÇÕES POR DIGNIDADE ,SÃO PENAS PARA POLICIAL BANDIDO E NÃO PARA TRABALHADOR.
O BANDIDO NÃO FAZ GREVE PORQUE NÃO PODE SAIR DA PISTA E O POLICIAL HONESTO QUER AUMENTO DE SALÁRIO.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

SINDICATO DA POLICIAI CIVIL FARÁ ATO PÚBLICO SOBRE EXPULSÕES DE POLICIAIS E BOMBEIROS

O Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis) irá fazer um ato público nesta sexta-feira (20) para debater a anistia dos 13 bombeiros e 18 PMs expulsos durante a greve das corporações. A reunião acontece às 18h na Associação Brasileira de Imprensa.

Um projeto de lei, que concede anistia administrativa aos militares estaduais aos quais foram atribuídas “condutas inadequadas” durante o movimento reivindicatório, deve entrar em pauta para votação na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro).

Os bombeiros foram expulsos da corporação no dia 12 de março, por decisão do comando-geral do Corpo de Bombeiros.De acordo com a assessoria da corporação, todos são considerados “culpados por articulação em manifestações de caráter político-partidário, nas quais incitaram ostensivamente a tropa à prática de ilícitos de natureza disciplinar e penal militar, além da adoção de conduta incompatível com a missão de Bombeiro-militar”.

Na ocasião, o Comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Sérgio Simões, disse que a decisão foi tomada com base em documentos, gravações telefônica, vídeos e fotografias que comprovam o intuito do grupo em paralisar o serviço e incitar a greve de forma violenta na semana que antecedeu o Carnaval.

Policiais de Campos voltam à base de origem

No dia 10 de abril, a 2ª Vara Cível, de Campos dos Goytacazes, no norte fluminense, determinou o retorno dos policiais militares que haviam sido transferidos do Batalhão de Campos dos Goytacazes (8º BPM) para outras unidades do Estado em represália ao movimento grevista.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

LÍDER DO GOVERNO SÉRGIO CABRAL FALARÁ COM CMT PMERJ SOBRE EXPULSÕES E TRANSFERÊNCIAS

COLUNA DA BERENICE SEARA - JORNAL EXTRA

Santo de casa
►Ontem, André Lazaroni (PMDB) pediu à Comissão de Segurança da Assembléia o adiamento da convocação do comandante da PM, Erir Costa Filho, por duas semanas.
►A idéia era, antes disso, tentar uma solução para as exclusões e transferências de policiais que reivindicaram melhorias salariais — o que tem provocado a revolta da tropa.
►Os governistas estavam prestes a perder a votação, quando Luiz Martins (PDT) deu o "nome do santo": "foi um pedido do deputado André Corrêa, líder do governo, para que ele próprio abra o diálogo com o comandante".
►Como o moço está bem na fita com a situação e a oposição, o presidente Zaqueu Teixeira (PT) adiou a convocação por uma semana, para o "milagre" ser feito.

* NOS DIAS 17 E 18 DE ABRIL UMA COMISSÃO DE POLICIAIS MILITARES ESTIVERAM NA ALERJ E CONVERSARAM COM PELO MENOS 40 DEPUTADOS PRINCIPALMENTE DA BASE GOVERNISTA E CHEGOU AOS OUVIDOS DO PALÁCIO GUANABARA. TANTO QUE O PRÓPIO LÍDER DO GOVERNO NA ALERJ ,DEPUTADO ANDRÉ CORREA ,ENTRARÁ NESSA QUESTÃO DAS EXPULSÕES E TRANSFERÊNCIAS NA PM. A ANISTIA ESTA BEM PRÓXIMA E ISSO SERÁ UMA VITÓRIA PARA AQUELES QUE VERDADEIRAMENTE VESTIRAM A CAMISA DA CLASSE.

RESULTADO DO CONSELHO DE DISCIPLINA

REFORMAR, ex officio, a bem da disciplina, o 2º SGT PM RG 43.665 JORGE GONÇALVES COELHO,
o 2º SGT PM RG 43.992 CLAUDIO GONÇALVES DA COSTA, o 3º SGT PM RG 56.840
JOSÉ DE SOUZA PAULA, o 3º SGT PM RG 56.841 WAGNER VIDAL RIBEIRO, o 3º SGT PM RG
61.606 LUCIANO ALVES ROQUE, o 3º SGT PM RG 61.707 MARCELO DA SILVA VIEIRA, e o 3º
SGT PM RG 72.014 CARLOS EDUARDO DELFIN TANINI, todos do 28º BPM, nos termos do Art. 13,
inciso IV, alínea “a”, do Decreto Estadual nº 2.155, de 13 de outubro de 1978, c/c o Art. 102, inciso VI, da
Lei Estadual nº 443, de 01 de julho de 1981;
2. REFORMAR, ex officio, a bem da disciplina, o 3º SGT PM RG 56.842 ADILSON ALVES, do 20º
BPM, nos termos do Art. 13, inciso IV, alínea “a”, do Decreto Estadual nº 2.155, de 13 de outubro de 1978,
c/c o Art. 102, inciso VI, da Lei Estadual nº 443, de 01 de julho de 1981;
3. Determinar ao 20º BPM, ao 28º BPM e à DGP, a adoção das medidas relativas ao processo de passagem
para a inatividade, referente ao 3º SGT PM RG 56.842 ADILSON ALVES, do 20º BPM, assim como ao 2º
SGT PM RG 43.665 JORGE GONÇALVES COELHO, o 2º SGT PM RG 43.992 CLAUDIO GONÇALVES
DA COSTA, o 3º SGT PM RG 56.840 JOSÉ DE SOUZA PAULA, o 3º SGT PM RG 56.841
WAGNER VIDAL RIBEIRO, o 3º SGT PM RG 61.606 LUCIANO ALVES ROQUE, o 3º SGT PM RG
61.707 MARCELO DA SILVA VIEIRA, e o 3º SGT PM RG 72.014 CARLOS EDUARDO DELFIN
TANINI, todos do 28º BPM, tendo em vista a punição que lhes foi imposta;
4. CONSIDERAR CAPAZ de permanecer no estado ativo desta Corporação o CB PM RG 68.054 GIBRAN
DE OLIVEIRA BRANDÃO, do 28º BPM, nos termos do Art. 13, I, do Decreto Estadual nº
2.155/78;
5. CONSIDERAR CAPAZES de permanecer no estado ativo desta Corporação o CB PM RG 65.730
ROSEMIR RODRIGUES DOS SANTOS, o CB PM RG 68.627 KEELER MARQUES, o CB PM RG
68.650 JOÃO BATISTA ALVES, o CB PM RG 71.947 DANIEL EXPEDITO DA SILVA CASTRO, o
CB PM RG 76.023 ANDERSON BERTÚSSIO, e o CB PM RG 76.044 RODRIGO GARCIA GOMES,
todos do 28º BPM, nos termos do Art. 13, II, do Decreto Estadual nº 2.155/78;
6. PUNIR disciplinarmente o CB PM RG 65.730 ROSEMIR RODRIGUES DOS SANTOS, o CB PM
RG 68.627 KEELER MARQUES, o CB PM RG 68.650 JOÃO BATISTA ALVES, o CB PM RG 71.947
DANIEL EXPEDITO DA SILVA CASTRO, o CB PM RG 76.023 ANDERSON BERTÚSSIO, e o CB
PM RG 76.044 RODRIGO GARCIA GOMES, todos do 28º BPM, pelo fato dos mesmos, no serviço do
dia 09 para o dia 10 de fevereiro de 2012, quando escalados no policiamento ordinário daquela OPM, terem
se afastado dos serviços para os quais estavam previamente escalados, regressando para a sede do 28º BPM, e
permanecido no interior daquela repartição pública, sendo necessária a intervenção do Comando daquela
OPM para que os citados graduados retornassem ao patrulhamento, gerando transtornos de ordem administrativa
e prejudicando o policiamento ostensivo do 28º BPM. Desta forma, incidiram nos itens 07, 17, 18, 26,
79, e 97, do Item II, do Anexo I, com agravantes dos incisos nº II, IV, V, VI, VIII e IX, do Art. 19, e atenuante
do inciso I, do Art. 18, tudo do RDPMERJ. Transgressão GRAVE. Ficam DETIDOS por 30 (trinta)
dias;
7. Revogar as medidas administrativas restritivas, que foram aplicadas aos acusados, por ocasião da submissão
dos mesmos ao presente Conselho de Disciplina, relacionadas ao porte de arma e à carteira de identidade
funcional, devendo o 20º e o 28º BPM, a DGP e a Coordenadoria de Inteligência providenciarem nas esferas
de suas atribuições, caso os policiais militares não estejam respondendo a outro processo administrativo
disciplinar, por motivo diverso;
Providencie o 28º BPM para que se proceda ao cumprimento da punição referente ao item 6 desta Solução,
bem como para que a mesma seja registrada nas respectivas fichas disciplinares dos respectivos policiais
militares, efetuando a devida reclassificação do comportamento, caso necessário. A presente punição deverá
ser cumprida no Aquartelamento do 10º BPM, ficando o Comandante desta OPM encarregado de nomear diariamente
01 (um) Oficial Encarregado de Instrução (caráter educativo da punição), com a elaboração de um
Quadro de Trabalho Semanal (Segunda a Sexta) que contemple no período de 09:00 às 12:00h Instruções de
Ética, Execução de Serviços e Regulamentos da PMERJ e, no período de 14:00 às 17:00h com Instruções de
Procedimentos Operacionais em Vigor, Atuação dos Conselhos Comunitários de Segurança e Importância do
Sistema de Metas de Redução de Indicadores da Criminalidade. Haverá ampla fiscalização das rotinas de
cumprimento da presente punição por parte deste Comandante Geral
9. Registrar a presente solução nas fichas judiciárias dos acusados; e,
10. Arquivar os autos na CIntPM/SJD.


* TODOS ESSES POLICIAIS POSSUEM MAIS DE 10 ANOS DE SERVIÇO E TEM ESTABILIDADE.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

PUBLICADA O PROJETO DE ANISTIA NO DIÁRIO OFICIAL

PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL - PROJETO DE LEI Nº 1453/2012 CONCEDE ANISTIA ADMINISTRATIVA AOS MILITARES ESTADUAIS.
PROJETO DE LEI Nº 1453/2012... - 17/04/2012
Fonte : Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro



CONCEDE ANISTIA ADMINISTRATIVA AOS MILITARES ESTADUAIS.
Autores: Deputados PAULO RAMOS, LUIZ PAULO, JANIRA ROCHA, MARCELO FREIXO, FLÁVIO BOLSONARO, WAGNER MONTES, ZAQUEU TEIXEIRA, ROBERTO HENRIQUES, CLARISSA GAROTINHO.
DESPACHO:
A imprimir e às Comissões de Constituição e Justiça; de Servidores Públicos;
de Defesa Civil ; e de Segurança Pública e Assuntos de Polícia.
Em 16.04.2012.
DEPUTADO PAULO MELO, PRESIDENTE.
A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RESOLVE:
Art. 1º - Fica concedida anistia administrativa aos militares estaduais aos
quais se atribuem condutas durante movimentos reivindicatórios por melhorias de vencimentos e de condições de trabalho ocorridos entre janeiro e março de 2012.
Art. 2º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as
disposições em contrário.
Plenário Barbosa Lima Sobrinho, 27 de março de 2012
Deputados: ALEXANDRE CORREA, ALTINEU CORTES, ANDRÉ CECILIANO,
ANDREIA BUSATTO, ASPÁSIA CAMARGO, BEBETO, BRUNO CORREIA, CHIQUINHO
DA MANGUEIRA, CLAISE MARIA ZITO, CLARISSA GAROTINHO, CORONEL JAIRO, DICA, DIONISIO LINS, DR. JOSÉ LUIZ NANCI, EDSON ALBERTASSI, ENFERMEIRA REJANE, FABIO SILVA, FLAVIO BOLSONARO, GERALDO MOREIRA, GERSON
BERGHER, GILBERTO PALMARES, GRAÇA MATOS, GRAÇA PEREIRA, GUSTAVO TUTUCA, HELCIO ANGELO, INES PANDELO, IRANILDO CAMPOS, JANIO MENDES, JANIRA ROCHA, JOÃO PEIXOTO, LUCINHA, LUIZ MARTINS, LUIZ PAULO, MARCELO
FREIXO, MARCELO SIMÃO, MÁRCIO PACHECO, MARCOS ABRAHÃO, MARCOS SOARES, MARCUS VINÍCIUS, MIGUEL JEOVANI, MYRIAN RIOS, NILTON SALOMÃO, PAULO RAMOS, PEDRO FERNANDES, RAFAEL DO GORDO, RICARDO ABRÃO, ROBERTO DINAMITE, ROBERTO HENRIQUES, ROBSON LEITE, ROGÉRIO CABRAL, ROSANGELA GOMES, ROSENVERG REIS, SABINO, SAMUEL MALAFAIA, SAMUQUINHA,
THIAGO PAMPOLHA, WAGNER MONTES, WAGUINHO, XANDRINHO, ZAQUEU

JUSTIFICATIVA

O PRÓXIMO PASSO É ENTRAR EM PAUTA PARA VOTAÇÃO NA ALERJ.

terça-feira, 17 de abril de 2012

APROVADA HORA EXTRA REMUNERADA PARA POLICIAIS, BOMBEIROS E INSPETORES.

APROVADA HORA EXTRA REMUNERADA PARA POLICIAIS, BOMBEIROS E INSPETORES.

A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou nesta terça-feira (17/04), em segunda discussão, o projeto de lei 996/11, que cria no estado um programa de estímulo para servidores das polícias Militar e Civil, Bombeiros Militares e Inspetores de Segurança e Administração Penitenciária dedicarem parte do seu tempo livre ao serviço extraordinário em serviços operacionais nas próprias corporações. Para tanto, ele define que o serviço extraordinário será aquele que ultrapasse a jornada semanal de 40 horas, exceto em condições emergenciais onde não haja possibilidade de planejamento, e define o cálculo para pagamento pelas horas extras: resultado do valor/hora normal de trabalho, de cada posto, graduação ou cargo, acrescido de 50% e multiplicado pelo número de horas extras trabalhadas.

[ÁUDIO] Ouça na Rádio Alerj http://radioalerj.posterous.com/ordem-do-dia-170412-projeto-cria-estimulo-par

O autor da proposta, deputado Flávio Bolsonaro (PP) explicou que a proposta busca “garantir a estes profissionais algo mais próximo do que eles merecem”. “É lógico que o ideal seriam contracheques compatíveis com a responsabilidade desses profissionais”, acentuou ele, lembrando que a medida combate a rotina dos ‘bicos’ e garante a hora extra remunerada. “Hoje eles não recebem um centavo a mais”, frisou. O texto encarrega o Poder Executivo da regulamentação da norma, com definição das atividades alvo do programa e da elaboração de tabela com valores das horas de serviço extraordinário.

(texto de Fernanda Porto)

VOLTA DA ESCALA 24X48

‎1. MUDANÇA DE ESCALA DE SERVIÇO NA CORPORAÇÃO - DETERMINAÇÃO
Considerando a necessidade de se prestar um serviço de qualidade a todos os cidadãos, trazendo
assim legitimidade para a PMERJ;
Considerando que os índices de criminalidade alcançados no Estado do Rio de Janeiro devem ser
mantidos, evitando assim um retrocesso no processo de pacificação do nosso Estado;
Considerando a necessidade de caráter emergencial e temporária de se atender as expectativas de
redução dos índices de criminalidade;
Considerando finalmente a previsão de recompletamento do efetivo das Unidades Operacionais
até o final do ano de 2012;
Este Comando determina que, em caráter temporário, as escalas de serviço, a contar de 19 de
abril 2012 (quinta–feira), sejam adequadas a realidade anterior à publicação inserta no Bol PM nº 027
de 08 fev 12, item nº 1 dos assuntos administrativos.

SERÁ QUE A TROPA VAI FICAR OMISSA DIANTE DISSO ?

segunda-feira, 16 de abril de 2012

ENCONTRO DIA 17 E DIA 18 DE ABRIL NA ALERJ

DIA 17 DE ABRIL TODOS OS POLICIAIS MILITARES QUE RESPONDEM CD /CRD / CJ ESTÃO CONVIDADOS PARA PARTICIPAR DOS AGRADECIMENTOS AOS DEPUTADOS ESTADUAIS QUE ASSINARAM A FAVOR DA ANISTIA AOS MILITARES ESTADUAIS QUE PARTICIPARAM DE MOVIMENTOS REIVINDICATÓRIOS.

DIA 18 DE ABRIL HAVERÁ UMA AUDIÊNCIA PÚBLICA NA ALERJ E TODOS OS POLICIAIS MILITARES TAMBÉM ESTÃO CONVIDADOS PARA PARTICIPAR.

ESCOLHA UMA DAS DATAS OU VÁ NAS DUAS ,O IMPORTANTE É QUE OS DEPUTADOS ESTADUAIS SAIBAM QUE ESTAMOS GRATOS PELO APOIO QUE RECEBEMOS DELES.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

CAMPANHA PELA ANISTIA

MANDE MSG PARA OS DEPUTADOS ESTADUAIS PEDINDO QUE VOTEM A FAVOR DA ANISTIA.


http://www.alerj.rj.gov.br/deputados5.htm

ESSE LINK DIRECIONA PARA PAGINA DE MSG DE TODOS OS DEPUTADOS ESTADUAIS.

POLICIAIS DO 8° BPM -CAMPOS CONSEGUEM VOLTAR COM DECISÃO JUDICIAL.

INFORME DO DIA

pag 8 12/04/2012 quinta

Fernando Molica

PMs do 8° BPM - CAMPO,S voltaram

- A 2ª Vara Cível de Campos dos Goytacazes determinou a volta, para o batalhão

da PM da cidade, de 81 policiais. Eles haviam sido transferidos pelo comando da

corporação depois de participarem de manifestação por melhores condições de

trabalho e aumento salarial. O Estado tem 48h para cumprir a decisão, solicitada

pela Defensoria Pública.

* Primeiramente temos que lembrar que logo após a decisão da justiça de voltar os PMs de Campos que tinham sido transferidos, abriu CD e CRD para todos eles.
Alguns podem interpretar isso como uma vingança ou que realmente já era previsto a abertura para todos os PMs que tiveram apenas a punição geográfica.
E vale lembrar que também abriu Cd e CRD para alguns que não entrarão na justiça pedindo o retorno ao seu batalhão de origem , e isso nos leva a crer que não bastará a punição geográfica.
Temos informes que continua chegando fotos e vídeos na corregedoria da PM e talvez possam vir mais CD e CRD por aí.
A luta de todos deve ser pela anistia.

DEPUTADO PAULO RAMOS APRESENTA PROJETO DE ANISTIA

APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE ANISTIA ADMINISTRATIVA NA ALERJ.

DEPUTADA JANIRA ROCHA DIZ QUE EXPULSÃO DE POLICIAIS É INJUSTA

A DEPUTADA JANIRA ROCHA EM SEU DISCURSO NA ALERJ ,DISSE QUE A EXPULSÃO DOS POLICIAIS MILITARES QUE PARTICIPARAM DE MOVIMENTOS REINVINDICATÓRIOS É INJUSTA E DEVE SER DEBATIDA O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL.

quarta-feira, 11 de abril de 2012

DISCURSO DO DEPUTADO PAULO RAMOS NA ALERJ - 10-04-2012

DISCURSO DO DEPUTADO PAULO RAMOS HOJE NA ALERJ



Todos nós estamos acompanhando os desdobramentos punitivos do movimento levado a efeito por policiais militares e bombeiros militares na luta por melhores condições de vida e de salário.
Já tive oportunidade, Sr. Presidente, de dizer desta tribuna que não considero oportuno o momento para troca de farpas com os nossos governantes, tendo em vista a exacerbação das punições. Punições estão alcançando famílias inteiras, com a exclusão daqueles que, tendo responsabilidades em casa, integram os quadros da corporação e participaram do movimento.
Esta Casa, com a subscrição de 61 dos 70 Deputados, já propôs, com serenidade, mas com sentimento de justiça, uma anistia para a reintegração dos excluídos. A anistia já foi levada à Mesa Diretora. Mas entendemos a necessidade do estabelecimento de conversações na busca do convencimento, na busca do entendimento de não ser justo excluir aqueles que lutavam por melhores condições de vida e de salário - em nome de todos - culminando com a perda dos postos de trabalho.
Hoje, chegou às minhas mãos o boletim interno da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro dando-nos ciência de que dezenas e dezenas de policiais militares estão sendo incluídos para submissão a conselho de disciplina, que é a medida que antecede a decisão pela exclusão.
Lendo a motivação para submissão ao conselho de disciplina, somos forçados a concluir que a decisão já está tomada; apenas há o cumprimento do ritual legal: o preenchimento de uma exigência para a alegação a posteriori de que houve a ampla defesa, mas que a decisão de excluir, nos moldes das exclusões já acontecidas, já está tomada. São dezenas e dezenas e dezenas. São páginas inteiras do boletim da Polícia Militar com os nomes daqueles que estão sendo alcançados.
Venho a esta tribuna, Sr. Presidente, com muita preocupação, muita. Porque a desagregação interna na Polícia Militar e no Corpo de Bombeiros, a angústia vivida pelos militares estaduais, a certeza da injustiça, tudo faz com que o melhor caminho seria o caminho do entendimento, da tolerância, o caminho da anistia.
Como as medidas administrativas estão sendo aceleradas, trazendo contingentes cada vez maiores de militares estaduais que certamente perderão o vínculo com suas respectivas instituições, eu imagino que deveremos agora, pelo menos agora, requerer a urgência para a tramitação desta iniciativa, reitero, assinada, que tem como autores 61 Deputados em 70. Aliás, registrei, quando me manifestei dando entrada na proposta, em nome dos 61 Deputados, eu entendia que o Presidente da Casa e o líder do Governo, efetivamente, não deveriam assinar, para ficarem em uma posição de independência, de modo a conduzir o processo de negociação.
Mas agora, Sr. Presidente, diante do boletim da Polícia Militar, que alcança com a possibilidade ou com a certeza da exclusão de mais uma centena de policiais militares, ainda preocupado com o que está por vir não só na Polícia Militar como também no Corpo de Bombeiros, eu fico a imaginar que esta Casa, pela responsabilidade que tem, deverá agilizar o processo legislativo para que possamos caminhar para um entendimento com o Poder Executivo, o entendimento sobre a anistia, sem que isso venha a macular a autoridade não só do Governador, mas dos respectivos comandantes das instituições militares estaduais.
Sr. Presidente, a partir de amanhã vamos, com todos, requerer a urgência na tramitação do projeto. Imaginávamos estar construindo o caminho de uma negociação prévia de modo a que, ao ser incluído na Ordem do Dia, o projeto representasse praticamente uma comemoração: a comemoração do entendimento, da tranquilização da família policial militar e da família bombeiro militar.
Desta tribuna, Sr. Presidente, quero mandar uma mensagem especialmente ao Governador Sérgio Cabral: que ele possa assumir as rédeas da condução desse problema, porque eu sei como se comportam os comandantes militares.
O entendimento é sempre um entendimento de que a Mensagem que vem do Governo é destinada à punição. Quanto mais rigorosa a punição, mais o Comandante Militar fica credenciado a permanecer no cargo.
Que o Governador Sérgio Cabral, considerando que o movimento alcançou resultados, demonstrando que eram justas as reivindicações, demonstre não ser esse o seu propósito.
Ainda mais agora que, no Distrito Federal, veja Sr. Presidente, Srs. Deputados, os policiais militares e bombeiros militares do Brasil, por meio da PEC 300, reivindicavam a equiparação com seus pares do Distrito Federal e agora, no Distrito Federal, os policiais militares e bombeiros iniciam um movimento, que eu chamo “paredista”, mas de resistência passiva, sendo orientados internamente pelas lideranças ou pelas entidades representativas, à resistência passiva, a não atuação, ao comparecimento, mas sem efetivar procedimentos.
Lá, no Distrito Federal, o Governador acaba de substituir o comandante da Polícia Militar sob a alegação de que o comandante não teria usado do rigor necessário.
Vejam, Sr. Presidente, Srs. Deputados, que na Polícia Militar e no Corpo de Bombeiros Militares, onde seus integrantes experimentam os melhores salários do Brasil, mesmo assim há uma reivindicação em curso.
Como ficam, portanto, no Rio de Janeiro, aqueles que reivindicavam a equiparação, alcançaram muito menos do que isso, e estão sendo punidos com o excesso que pode ser revisto e pode ser evitado?
Sr. Presidente, Srs. Deputados, que possamos ter consciência de que a Segurança Pública e a Defesa Civil dependem desses profissionais, depende do que chamávamos, à época, do moral da tropa e, com as punições, com os excessos, com as exclusões, o moral da tropa, do qual a população depende para ter sua segurança, está ficando a cada dia mais abalado.
Em defesa, do fim das punições e da reintegração daqueles que já foram punidos na Polícia Militar e no Corpo de Bombeiros.
Muito obrigado, Sr. Presidente.

MP denuncia major da PM pelo crime de estelionato

MP denuncia major da PM pelo crime de estelionato
FONTE: JORNAL EXTRA


O Ministério Público do Rio denunciou o major da Polícia Militar Fabio Campos da Costa pelo crime de estelionato na compra de um carro, em outubro de 2010.
De acordo com a denúncia da 4ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal (PIP) da 2ª Central de Inquéritos, na ocasião, o major adquiriu um Honda Civic por R$ 66 mil, dividido em cinco parcelas, mas após quitar três, “voluntaria e dolosamente”, deixou de pagar o valor restante de R$ 29.256, emitindo dois cheques sem fundos.
"Cumpre registrar que, em momento algum, o denunciado procurou reparar o dano junto à sociedade lesada, uma vez que se tentou por diversas vezes entrar em contato com o denunciado, a fim de propor uma composição amigável e receber o seu crédito. No entanto, em nenhuma das vezes, obteve sucesso, afirmando, inclusive, que tinha ciência ser o denunciado oficial da Polícia Militar, o que ensejou receio em cobrar a dívida", narra texto da denúncia.
Segundo informações do MP, o major foi punido pela Polícia Militar por infrações disciplinares. Cópias da denúncia foram enviadas à Corregedoria Geral Unificada (CGU) para adoção das providências administrativas disciplinares pertinentes

MAIS CD E CRD FORAM ABERTOS PARA POLICIAIS

ONTEM FOI ABERTO CD E CRD PARA 216 POLICIAIS MILITARES E HOJE FOI ABERTO PARA 32 POLICIAIS.
O CMT GERAL CORONEL ERIR TINHA DITO QUE OS TRANSFERIDOS POR CAUSA DA GREVE "PUNIÇÃO GEOGRÁFICA" ,NÃO SERIAM NOVAMENTE PUNIDOS, MAIS NÃO É ISSO QUE ESTAMOS VENDO PORQUE A MAIORIA QUE FOI COLOCADA NO CD E CRD DE ONTEM PARA HOJE, TINHA SIDO TRANSFERIDO.
ATÉ ONDE ISSO VAI PARAR?
ATÉ QUANDO NÃO SECARÁ A SEDE POR VINGANÇA?
O COMANDO DA POLICIA MILITAR PODE ESTAR ACABANDO COM A TENTATIVA DO GOVERNADOR DE FAZER O MAIOR NUMERO DE PREFEITOS NESSAS EELIÇÕES DESSE ANO ,PARA TENTAR VIR FORTE DAQUI A DOIS ANOS PARA GOVERNADOR.
A REVOLTA NA TROPA ESTA AUMENTANDO A CADA DIA.

terça-feira, 10 de abril de 2012

CMT GERAL DA PM COLOCA MAIS 2 PAIS DE FAMÍLIA NA RUA

BDR 065:

1-LICENCIAR, ex-officio, a bem da disciplina, dos quadros da Corporação o SD PM RG 82.881 LINDOMAR ALCANTARA E SILVA e o SD PM RG 82.966 THYAGO RODRIGUES DOS REIS, ambos do 28º BPM, nos termos do art. 117, inciso II, § 3º, nº 3, da Lei Estadual nº 443, de 01 JUL 81, c/c o art. 13, inciso IV, da Portaria/PMERJ nº 407, de 10 de fevereiro de 2012;


SD PM RG 82.881 LINDOMAR ALCANTARA E SILVA;


SD PM RG 82.966 THYAGO RODRIGUES DOS REIS.

OBSERVAÇÃO: Gostaria muito de saber do Sr. CMT GERAL como que ele consegue deitar a sua cabeça no travesseiro a noite e dormir tranquilo. Colocando um monte de pai de família honesto na rua ,sem emprego,sem renda ,a troco de que ? Por que o Coronel ERIR passou todos os CD e CRD de Policiais bandidos e safados para trás e ta mandando julgar os CD e CRD de Policiais honestos só porque participaram da luta por dignidade? Será que para ele , a vingança pessoal tem que ser executada a qualquer custo? Por que tanto ódio no coração ? Por que tanto despreparo emocional?
Será que o coronel ERIR devolve o aumento salarial que ele teve as custas dos mesmos policiais que ele esta despedindo injustamente ?

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Policiais que receberam indevidamente Bolsa Formação (PRONASCI) devolverão dinheiro

Policiais que receberam indevidamente Bolsa Formação (PRONASCI) devolverão dinheiro
SITE: CORREIO BRAZILIENSE

Falhas em cursos de capacitação dão prejuízo de R$ 5 milhões ao governo
O projeto Bolsa-Formação do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), carro-chefe do governo federal no combate à violência, repassou indevidamente recursos a cerca de 3 mil profissionais em todo o país. Policiais, bombeiros, agentes penitenciários e peritos receberam o benefício mensal de R$ 443 como incentivo para fazerem cursos virtuais de capacitação, mesmo sem atender às condicionalidades impostas pelo projeto — como o teto salarial de R$ 1,7 mil ou estar em atividade na área da segurança. A quantia embolsada ilegalmente entre 2008 e 2011 chega a R$ 5 milhões — valor que agora o Ministério da Justiça, gestor do Pronasci, tenta receber de volta.
Ofícios começaram a ser expedidos neste mês aos profissionais solicitando a devolução dos recursos repassados indevidamente. Eles terão 60 dias para questionar a cobrança. Se decidirem quitar os débitos, poderão parcelar. Caso se recusem a ressarcir os cofres públicos, serão acionados judicialmente, via Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. A secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Mikki, não acredita que será preciso chegar a tal ponto. “Creio que, na maior parte dos casos, os profissionais receberam de boa-fé, achando que poderiam receber. Pode ser um policial que tenha morrido, por exemplo. Essa família vai ser convidada a devolver o que foi repassado”, diz

ANISTIA PARA POLICIAIS E BOMBEIROS

DISCURSO DO DEPUTADO PAULO RAMOS NA ALERJ


Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, ainda estamos sob o impacto de um importante movimento reivindicatório levado a efeito por bombeiros e policiais militares.
O movimento foi crescente a partir da tramitação no Congresso Nacional, em princípio na Câmara dos Deputados, da chamada PEC 300: uma Emenda Constitucional que se destinava a equiparar policiais militares e bombeiros militares de todas as unidades da Federação com os seus pares do Distrito Federal.
Todos nós sabemos que no Brasil inteiro tem sido muito árdua a tarefa deferida aos militares estaduais que emprestam, que dedicam a sua própria vida na defesa da sociedade. Muitos perdem a vida, muitos ficam amputados, muitos ficam paraplégicos e tetraplégicos, perdem órgãos vitais, ficam cegos em ato de serviço, sem falar das consequências na saúde em decorrência do próprio serviço.
Basta verificarmos os estabelecimentos hospitalares que cuidam dos militares estaduais para que tenhamos a noção do sofrimento e da angústia de tudo aquilo por que passam os militares estaduais e seus familiares.
Todos nós sabemos que a remuneração é sempre muito amesquinhada. Aqui no Rio de Janeiro, a segunda unidade da Federação em Orçamento, os militares estaduais são praticamente os penúltimos do Brasil. A PEC 300 não só mobilizou como também aproximou lideranças e entidades representativas e entusiasmou. Seria uma forma rápida de alcançar um objetivo remuneratório que, pelo menos, viria a possibilitar melhores condições de vida para os militares estaduais de todo Brasil.

Fonte: http://deputadopauloramosrio.blogspot.com.br/2012/04/anistia-dos-bombeiros-e-policiais.html

POLICIAL GRÁVIDA É ENCARCERADA

POLICIAL MILITAR DO RIO DE JANEIRO , GRÁVIDA É PRESA E ENCARCERADA.

DENÚNCIA RECEBIDA

Venho aqui como anônimo por medo de covardias, denunciar que quando da publicação de expulsão dos PMs foi também publicada no mesmo boletim a punição da SD Clarisse Inês Pereira que esta gravida de 5 meses com 30 dias de prisão, a covardia se faz contra ela porquê ela que estava de férias postou em um blog que os recrutas do CFAP estavam trabalhando armados. Ela é lotada na DGP é secretária do Cel Augusto e vai começar a cumprir a penalidade a partir do 29/03/2012 no 5º BPM, o que nos preocupa é que ela teve um abordo no ano passado, e ficou internada no HCPM por mais de 20 dias inclusive no isolamento, estamos muito preocupados com o que pode acontecer a ela e ao filho que espera, temos que denunciar através da Comissão de Direitos Humanos da ALERJ, para ver se isso está dentro da legalidade, pois a gravidez dela é de risco. Peço desculpas por não me identificar porém o Cel Erir está punindo todos que ele ache que estão fazendo denuncias.

NOTA PM: ASASSINATO DE POLICIAL MILITAR NA ROCINHA

O cabo do Batalhão de Polícia de Choque (BPChq), Rodrigo Alves Cavalcante, de 33 anos, foi morto na madrugada desta quarta-feira (04.04) durante a abordagem de um suspeito na localidade conhecida como “99”, num beco próximo à rua 1, na parte alta da Rocinha. Durante o patrulhamento a pé na comunidade, um grupo de oito policiais militares identificou um suspeito e ao iniciar a abordagem foram surpreendidos pelo marginal, que efetuou disparos contra os policiais, atingindo o cabo Rodrigues no ombro esquerdo, na altura da axila. Socorrido para o Hospital Miguel Couto, no Leblon, o cabo Rodrigues veio a falecer antes mesmo de dar entrada no hospital. Cerca de 150 policiais militares do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), do Batalhão de Choque e da Coordenadoria de Inteligência fazem operação na Rocinha desde a madrugada para identificar e prender o marginal. Filho de um policial militar da reserva, o cabo Rodrigues será sepultado com honras militares. Ainda não estão definidos o local e data do sepultamento. A Polícia Militar solicita à população que ajude com informações que levem à captura do marginal, através dos telefones 2332-8486 (Setor de Inteligência do BPChq) ou 2253-1177 (Disque-Denúncia), além do e-mail bpchqintel@gmail.com. O anonimato será garantido

SUBTENTE DA POLICIA MILITAR É ASSASSINADO

Um subtenente aposentado da Polícia Militar foi assassinado em Bonsucesso, zona norte do Rio, quando buscava a filha na porta da escola., ele foi atingido por três tiros quando estava dentro do carro na porta do colégio. O PM será enterrado às 14h, no cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, zona oeste.

Dois homens em uma moto atiraram quando ele colocava o cinto de segurança na filha, a criança, de 4 anos, presenciou o crime. Ela não foi ferida.

Ele trabalhava como segurança da rua.

REGULARIZAÇÃO DO BICO PARA POLICIAIS MILITARES

O governador Sérgio Cabral assinou ontem o decreto de criação do Programa Mais Polícia, que regulamenta as condições para que policiais civis e militares, bombeiros e agentes penitenciários possam trabalhar de forma legal em suas horas de folga. Graças a esse novo Programa, as Secretarias de Segurança, Defesa Civil e de Administração Penitenciária passam a contar com uma poderosa ferramenta para ampliar seus efetivos em situações especiais ou sempre que necessário, garantindo a qualidade de prestação de seus serviços à população.

Regulamentado pelo Decreto nº 43.538/2012, publicado hoje no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro, o Programa Mais Polícia representa uma alternativa mais vantajosa ao “bico”, que expõe os profissionais de segurança pública a condições sem garantias trabalhistas em serviços privados de segurança. Além disso, permitirá utilizar esses servidores durante seu período de folga como reforço na segurança pública de grandes eventos internacionais programados para o Rio de Janeiro, como a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (“Rio+20”); a Copa das Confederações da Fifa e a Jornada Mundial da Juventude Católica, ambas em 2013; a Copa do Mundo FIFA de 2014; e os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Verão de 2016.

O decreto cria o Regime Adicional de Serviços (RAS) para as quatro categorias beneficiadas, em sistema de turnos adicionais com escala diferenciada e sem prejuízo da escala regular de serviço.
Com o decreto, o Governo estadual passa a contar com dois programas que ajudam na gestão dos efetivos de servidores da área de Segurança Pública: o Mais Polícia e o Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis) da Secretaria de Segurança.

O Proeis, que desde o ano passado já conta com 1.266 policiais militares participantes, permite que PMs trabalhem durante suas horas de folga para entidades da administração indireta e direta estadual, Municípios e concessionárias de serviços públicos, através de convênio. Já assinaram convênio com o Proeis as empresas Codin, Supervia e Light e as Prefeituras de Rio de Janeiro, Queimados, Itaperuna e Macaé.

As secretarias de Estado beneficiadas pelo Mais Polícia terão agora que regulamentar as regras para que seus servidores possam se inscrever no Programa. Essas regras devem ser divulgadas ainda no mês de abril. O decreto assinado pelo governador prevê que, enquanto estiverem trabalhando sob o regime do RAS, os policiais, bombeiros e agentes penitenciários terão garantidos todos os benefícios trabalhistas que já possuem em suas respectivas secretarias.

O Programa Mais Polícia e o Proeis dão aos gestores da Segurança Pública do Estado do Rio importantes alternativas para remanejar, de forma estratégica, seus servidores para áreas onde os efetivos ainda estão aquém do adequado.
Em termos de orçamento, o novo programa não irá onerar a folha de pagamento nem pressionar os gastos com previdência. Além disso, permitirá aos servidores aumentar seus vencimentos de forma vigorosa, sob a proteção da legislação trabalhista, o que não acontece quando eles fazem “bicos” informais.

No caso do Proeis, os encargos são de responsabilidade dos órgãos contratantes, como prefeituras e concessionárias de serviços públicos. Inclusive, caso desejem, esses contratantes podem pagar aos policiais remunerações acima do que está definido no decreto. Já no Programa Mais Polícia, os custos ficam sob responsabilidade do governo do Estado.

O.A.B. PODERÁ INVESTIGAR AS EXPULSÕES NA PM

Ophir: OAB está muito preocupada com crise que envolve policiais e bombeiros




Brasília, 20/03/2012 - O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcante, afirmou hoje (20) após receber uma comissão de parlamentares e representantes de policiais e bombeiros, que a crise nessas forças, em função da baixa remuneração e das más condições de trabalho, está longe de ser solucionada no País, o que só acontecerá com uma política nacional de Segurança Pública coordenada envolvendo União e Estados. "Ela (a crise) pode voltar a eclodir a qualquer momento, pois a situação hoje, como se apresenta, é como uma tampa de plástico numa panela de pressão", alertou ele durante entrevista.

Ophir Cavalcante afirmou também que "preocupa muito à OAB" casos de ilegalidades denunciados pelos visitantes, que estariam sendo cometidos nas apurações sobre os recentes movimentos de policiais e bombeiros, como os da Bahia e Rio de Janeiro."A Ordem exige que essas apurações sejam feitas dentro do princípio da legalidade, sob pena de macularem a própria lógica do Estado democrático de Direito", cobrou o presidente nacional da OAB, destacando que há denúncias de que advogados não estão tendo acesso aos processos e de que Defensorias Públicas estão alegando falta de condições para defender os acusados - quando estão obrigadas por lei a fazê-lo se eles não têm como pagar advogado.

Participaram da reunião com Ophir Cavalcante, na Presidência do Conselho Federal da OAB, os deputados federais do PSOL Ivan Valente (SP), Chico Alencar (RJ) e Jean Wyllys (RJ); a deputada estadual do PSOL do Rio de Janeiro, Janira Rocha; o presidente da Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados, Mendonça Prado (DEM-SE), e o sargento Walace, do Corpo de Bombeiros-RJ. Também o diretor tesoureiro do Conselho Federal da OAB, Miguel Cançado, participou do encontro.

Seguem as declarações do presidente nacional da OAB,durante entrevista, após a reunião com parlamentares:

"A Ordem dos Advogados do Brasil, após essa visita, mantém o seu estado de vigilância e de alerta a respeito dessa questão. A cries nas polícias militares em corpos de bombeiros, em função da baixa remuneração de seus integrantes, não está resolvida ou solucionada no Brasil. Ela pode voltar a eclodir, a qualquer momento, pois a situação hoje, como se apresenta, é como uma tampa de plástico numa panela de pressão. Esse sentimento de descontentamento pelas condições de trabalho e condições remuneratórias pode levar a outras crises, em diversos estados da Federação. É necessário que os governos comecem a pensar nessa questão de uma forma maior e não de uma forma superficial como pensada hoje. A cada crise, busca-se solucioná-la com paliativos ou mesmo com a criminalização dos movimentos sociais daqueles que defendem melhores condições de trabalho e de remuneração dos policiais e bombeiros do País. Portanto, é necessário que a União e os Estados se unam em torno de uma solução que passa, certamente, por uma coordenação nacional dessa situação e por uma solução que envolva a Segurança Pública como uma política de Estado em todo o País - e nisto está incluída a questão remuneratória.

Preocupa muito também à OAB as ilegalidades que vem sendo cometidas nas apurações sobre envolvimento de militares e bombeiros nesses movimentos. Tivemos noticiais de que os advogados, em muitos Estados, não estão tendo acesso aos autos para poder defender seus clientes, além de outros obstáculos. A Defensoria Pública do Rio de Janeiro, por exemplo, declarou que não tem condições de defender os policiais militares, quando é obrigação do Estado proceder à defesa de quem não tem condições de pagar advogado. Preocupa à OAB todas essas denúncias referindo a casos que não observam o devido processo legal. Até para os militares, há uma legislação. Em que pese haver uma legislação específica para os militares muito mais dura do aquela em relação aos civis, mas o fato é que há todo um procedimento que tem que ser obedecido. Mas a denúncias que nos chegam é de que tais procedimentos não estão sendo observados. Por isso, a Ordem exige que essas apurações sejam feitas dentro do princípio da legalidade, sob pena de macularem sob pena de macularem a própria lógica do Estado democrático de Direito".

SOMENTE A JUSTIÇA PODE EXPULSAR POLICIAIS MILITARES

A mesma
constituição que proíbe a greve de militares, também impede a
exclusão dos mesmos sem a decisão de um tribunal.

Se é para cumprir,
... cumpram tudo.

CRFB 88

Art. 125 - Os Estados organizarão sua Justiça,
observados os princípios estabelecidos nesta Constituição.

§ 4º - Compete à Justiça Militar estadual processar
e julgar os militares dos Estados, nos crimes militares definidos em lei e as
ações judiciais contra atos disciplinares militares, ressalvada a competência
do júri quando a vítima for civil, cabendo ao tribunal competente decidir sobre
a perda do posto e da patente dos oficiais e da graduação das praças.

Constituição do Estado do Rio de Janeiro.

Art. 91 - São servidores militares estaduais os
integrantes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar.

§ 7º - O oficial e a praça só perderão o posto, a
patente e a graduação se forem julgados indignos do oficialato, da graduação ou
com eles incompatíveis, por decisão de tribunal competente.

Código de Organização e Divisão Judiciárias do
Estado do Rio de Janeiro

Art. 153 - Como órgão de Segunda Instância da
Justiça Militar Estadual funcionará o Tribunal de Justiça ao qual caberá também
decidir sobre a perda do posto e da patente dos oficiais e da graduação das
praças.