quinta-feira, 16 de maio de 2013

PM que que atirou em shopping é indiciado por lesão corporal.

O policial militar do 16º BPM (Olaria) que atirou na perna de Gandhi Bibart Lopez, de 25 anos, estudante de Educação Física, no Carioca Shopping, em Vicente de Carvalho, na Zona Norte, será indiciado por lesão corporal. A informação é da Polícia Civil. Gandhi foi operado e não corre risco de morrer.


Na ocasião, duas mulheres começaram uma briga na fila de brinquedos. Duas crianças , de 5 e 2 anos, estavam no pula-pula, quando a irmã de uma delas, de oito anos, que estava em outro brinquedo quis entrar no brinquedo. Como a fila estava grande, a mulher do PM achou que a menina estava furando a fila, o que iniciou uma discussão entre as responsáveis pelos menores.
As mulheres começaram a se agredir e os homens tentaram apartar a briga. Na confusão, o policial militar, que estava de folga, sacou a arma e atirou na perna de Gandhi, marido da outra envolvida na confusão. O mesmo tiro acertou a mão de Luana Nascimento dos Reis, 26, sobrinha de Gandhi.
Os dois atingidos foram levados para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha, e não correm risco de vida. Silvia Rosana Nascimento Reis, 45, mãe de Luana, contou que o grupo dela tinha três adultos e três crianças e que tentou evitar a confusão.
Lojas fecharam as portas, e clientes fugiram às pressas do local, derrubando cadeiras e mesas, e se atropelando para escapar da confusão.
O delegado da 22ª DP (Penha), Claudio Moreira, entretanto, depois de ver as imagens do circuito de segurança do shopping, informou preliminarmente que a mulher do PM foi agredida primeiro e que o próprio PM levou um soco no rosto. Ele teria reagido quando caiu e viu Gandhi partindo na sua direção, o que poderia caracterizar a legítima defesa.
O PM e a mulher dele, cujos nomes não foram divulgados, foram levados à delegacia para prestar depoimento. Até o fechamento desta edição, o delegado ainda ouvia o depoimento dos vários envolvidos.

Ligação para o 190 poderá atenuar culpa
Segundo a Polícia Civil, o PM que atirou não fugiu do local, ligou para o 190 e ainda chamou os bombeiros para socorrer os baleados. Tudo isso, segundo o delegado da 27ª DP, Claudio Moreira, pode servir de atenuante para a atitude dele de disparar a arma dentro do shopping.
Uma comerciante, que pediu para não ser identificada, disse, porém, que o número de feridos poderia ser muito maior, em virtude do desespero das pessoas no shopping lotado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário