sexta-feira, 31 de maio de 2013

SARGENTO DA PM NÃO ALIVIA NINGUÉM E CIDADE PEDE ARREGO.

Na cidade de Tamarana, de 13 mil moradores e trânsito sossegado, a imprudência era rotina. Ninguém usava cinto de segurança, nem capacete. A farra acabou com a mudança no comando da PM.

Um PM promoveu um choque de ordem no trânsito de uma pequena cidade do interior do Paraná. E acabou comprando uma briga com moradores e políticos.
Na cidade de 13 mil moradores e trânsito sossegado, a imprudência era rotina. Ninguém usava cinto de segurança, nem capacete.
Um comportamento que vem mudando de uns tempos para cá. “Agora que diz que precisa usar, eu estou usando”, confessa o taxista Dito Endo.
A farra acabou com a mudança no comando da PM de Tamarana. Um sargento linha dura assumiu o cargo e adotou uma política de tolerância zero com as infrações de trânsito.
“É o que me compete. E eu fui preparado e capacitado para isso”, diz o sargento da PM Michel Jovanovich.
Nas ruas, a caneta não para. A equipe do sargento aplica em média duas multas por dia e já apreendeu quase 200 veículos, a maioria motos. O rigor espantou agricultores que costumam rodar na cidade em situação irregular. O movimento no comércio caiu e foi uma chiadeira só.
O protesto chegou até a Câmara de Vereadores, que resolveu convocar o sargento Michel para dar explicações.
“Ele respondeu todas as perguntas, a população questionou, os vereadores questionaram”, contou o vereador Renato Gonçalves.
A ata da sessão mostra um grupo preocupado com a fiscalização. Moradores e vereadores falaram dos prejuízos na cidade e sugeriram que polícia fizesse uma campanha de orientação antes de aplicar as multas. O sargento bateu o pé. Disse que as leis já são conhecidas de todos e que vai continuar de olho nos abusos.
“O  tom foi de pressão. Independente de ser uma cidade pequena, na área rural, a lei é para todos. Ela deve ser cobrada, sim”, disse o sargento.
Na cidade que reaprende a cumprir as leis na marra, a discussão ganhou as ruas.

FONTE:  G1

GOVERNO DO RJ PEDE A FORÇA NACIONAL AO MINISTÉRIO DA DEFESA DURANTE JORNADA DA JUVENTUDE.



O Ministro de Estado da Justiça atendeu ao pedido do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e autorizou a atuação da Força Nacional de Segurança Pública durante a Jornada Mundial da Juventude. A decisão foi publicada nesta sexta-feira (31) no Diário Oficial da União.


Ainda segundo publicação, a Força Nacional prestará apoio ao estado, no período de 17 de julho a 5 de agosto, em caráter episódico e planejado, junto aos órgãos de segurança pública envolvidos, conforme previsto na lei que versa sobre a atuação em grandes eventos públicos, de repercussão internacional.
De acordo com o D.O., o número de profissionais disponibilizado obedecerá ao planejamento definido pelos entes envolvidos na operação e o prazo poderá ser prorrogado, se necessário.

HOMEM ATIRA EM PMS DO 8°BPM CAMPOS E ACABA PRESO.

Um homem foi preso após atirar contra policiais do 8º BPM (Campos dos Goytacazes), no início da madrugada desta sexta-feira. Os PMs faziam patrulhamento, por volta de 1h40, na Rua Tenente Laurentino Nunes, no bairro Parque São José, quando um carro passou atirando contra eles. Houve perseguição e Luiz Cláudio de Menezes Silva, de 36 anos, conhecido como Lord, acabou sendo preso. Com ele foram apreendidos um revólver calibre 38 e munição. O caso foi registrado na 134 ª DP (Campos).

FONTE:  EXTRA

HOMEM FOI BALEADO DENTRO DE BAR EM CURICICA.

Um homem foi baleado, no fim da noite desta quinta-feira, dentro do próprio bar, na Comunidade do Quinze, em Curicica, Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio. A vítima, identificada como Valter, foi atingida por vários tiros, por volta das 22h30. Ele foi levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. Ainda não há informações sobre seu estado de saúde. O caso foi registrado na 41ª DP (Tanque).

fonte:  EXTRA

POLICIAIS DETÉM SUSPEITO DE SER INCENDIÁRIO.

Rio - Policiais do 5º BPM (Praça Harmonia) detiveram um homem suspeito de atear fogo ao segundo andar de um prédio na Rua Senador Pompeu, no Centro, na manhã desta sexta-feira. Bombeiros foram acionados às 6h25 e controlaram as chamas. De acordo com os militares, ninguém ficou ferido. O homem foi levado para a 5ª DP (Mem de Sá).

FONTE:  O  DIA

OBRIGADO PAPA FRANCISCO !! POR SUA CAUSA A ZONA OESTE VAI GANHAR 4 UPP TEMPORÁRIA.




Rio - A Polícia Militar do Rio vai ocupar ao menos quatro comunidades dominadas pelo tráfico, na Zona Oeste da cidade, durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Serão tomadas as favelas de Antares, do Rola, do Cesarão e do Aço (todas em Santa Cruz), consideradas violentas e comandadas por criminosos com armamento pesado.
Em todas elas, a polícia vai entrar algum tempo antes do início do evento e sair um pouco depois, até o fim do escoamento de saída dos visitantes. Serão espécies de UPPs temporárias, que vão durar de dez dias a duas semanas.
No fim de abril, a Polícia Militar já ocupara o Cerro-Corá, morro que fica a 4km e na mesma cadeia montanhosa do Sumaré, onde fica a residência oficial do arcebispo do Rio, que hospedará o Papa. Nesse local, será implantada uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).
Objetivo é diminuir violência na região
O objetivo da medida preventiva é estabilizar a área e evitar qualquer tipo de episódio de violência na região, no período, e que repercuta negativamente no momento em que as atenções da mídia estarão voltadas para a cidade.
A Favela de Antares é violenta e ficou conhecida nacionalmente por ter sido o local onde foi morto, com um tiro, o cinegrafista da TV Bandeirantes Gelson Domingos da Silva . A comunidade do Rola foi cenário de um dos vídeos polêmicos gravados pela Polícia Civil , em que policiais aparecem mudando de lugar o corpo de um homem morto, para forjar morte em confronto.
As quatro comunidades ficam na região que receberá grande número de eventos da Jornada, entre eles dois Atos Centrais, com a presença do Papa Francisco, em Guaratiba.
Além disso, os bairros de Campo Grande e Santa Cruz – onde estão as comunidades – são, respectivamente, os dois locais com maior procura de hospedagem na cidade, segundo o tenente-coronel da PM Edison Duarte, chefe do Escritório de Assuntos para a Copa do Mundo-2014 e Jogos Olímpicos-2016 (Grandes Eventos).
A Favela do Rola foi alvo de operação do Saer (Serviço Aeropolicial) e da Core (Coordenadoria de Recursos Especiais, da Polícia Civil), com cinco mortos, cuja filmagem foi divulgada pela imprensa. Na ação, policiais aparecem removendo o corpo de um homem desarmado morto, de dentro de uma casa até um bar a 70 metros de distância para forjar suposto confronto com a polícia.

FONTE:  O  DIA

BIG BROTHER NAS VIATURAS DA PM.


Rio - Como nos bastidores de ‘reality shows’, o tenente-coronel Luiz Eduardo observa o trabalho de 64 equipes que patrulham as ruas de São Gonçalo nas telas da sala de monitoramento do 7º BPM (São Gonçalo).
Através das imagens das câmeras instaladas nas viaturas e do GPS dos rádios que ficam com os militares, o comandante e o supervisor de dia recebem, em tempo real, informações sobre as ocorrências, monitoram os pontos onde há carros da polícia baseados e supervisionam as ações.
O ‘Big Brother’ da segurança pública está no ar e eleva a velha ronda da supervisão dos quartéis ao patamar tecnológico, para prevenir erros e desvios de conduta e aprimorar o trabalho dos agentes em campo.

“O trabalho ganha amplitude na medida em que permite que se veja tudo, mesmo sem estar em todos os lugares ao mesmo tempo. A PM está se modernizando”, afirma o comandante-geral da corporação, coronel Erir Ribeiro.
A instalação de câmeras nas viaturas dos 41 batalhões do estado faz parte de projeto orçado em R$ 18 milhões e que foi testado, inicialmente, em 100 carros de duas unidades da PM.
Os equipamentos são de última geração e permitem visão interna e externa dos veículos, com imagem e áudio de qualidade, inclusive à noite.
“Dá para ouvir as conversas dos policiais e das pessoas envolvidas nas ocorrências. Já flagraram várias abordagens e prisões, assim como alguns policiais sonolentos ou falando coisas impróprias. Aí eles lembram da câmera e ficam alertas. Quando algo não vai bem, o supervisor entra em contato com a equipe pelo rádio. Eles pensam duas vezes antes de agir”, alerta o comandante-geral da tropa.


Niterói e Baixada são os próximos alvos
São Gonçalo, cidade com um dos maiores índices demográficos da Região Metropolitana, foi pioneira na implantação da supervisão eletrônica por motivos óbvios: o grande número de ocorrências atendidas — o único batalhão responde a 300 chamados por dia.

Mas a novidade já está chegando ao vizinho batalhão de Niterói, e às unidades do Centro do Rio, São Cristóvão e Irajá, além de Mesquita e Caxias. As imagens ficam armazenadas na unidade por 60 dias e permitem a fiscalização de trabalhos anteriores.
“Com esse monitoramento, dá para ver o que acontece e deslocar viaturas mais próximas do local”, destaca o tenente-coronel Luiz Eduardo. O oficial ressalta que a supervisão eletrônica permite não só observar se os policiais estão agindo dentro da lei, mas também resguardá-los.


Investimento na Corregedoria
Para fiscalizar as denúncias e investigar informações envolvendo os desvios de conduta dos militares, a Corregedoria também recebeu mais agentes e equipamentos, além de criar mais uma Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM), a oitava do estado, e que está voltada para crimes cometidos por policiais das UPPs.
A nova unidade já está em funcionamento no Complexo do Alemão. E nem os próprios agentes da Corregedoria escapam da supervisão: para integrar o quadro, os policiais passam por rigoroso e permanente processo seletivo, que inclui entrevistas, treinamento e avaliação das fichas disciplinar e judiciária.
Somente em 2012, 317 militares que cometeram crimes diversos foram expulsos da corporação.

FONTE:  O DIA

quinta-feira, 30 de maio de 2013

POLICIAIS CIVIS FECHAM BINGO.

 Policiais da 78ª DP (Fonseca) estouraram, na noite desta sexta-feira, um bingo de alto luxo no Combinado CInco de Julho, na Praça do Barreto, em Niterói, Região Metropolitana.
De acordo com o delegado Paulo Magalhães, da 78ª DP, a casa fica ao lado da Unidos do Viradouro, tradicional escola de samba da região, e tem três placares informativos iguais aos de aeroportos internacionais, cerca de 180 roletas com bolas numeradas, 100 mesas e 44 máquinas de bingo, quatro em cada mesa.
Ninguém foi preso. Segundo agentes, o local será lacrado após a perícia.


Fonte:  O  Dia

quarta-feira, 29 de maio de 2013

DELEGADOS QUEREM SER CHAMADOS DE VOSSA EXCELÊNCIA.



Os delegados de polícia brasileiros estão bem representados no Congresso Nacional: têm trazido discussões sobre suas reivindicações para o âmbito nacional – a exemplo da PEC 37, que visa dar a exclusividade da investigação criminal a estes profissionais (o que, já disse aqui, considero equivocado). Agora, porém, a novidade é que a categoria conseguiu aprovar o Projeto de Lei nº 132/2012, que, dentre outros elementos, introduz o seguinte:
Bacharelado em Direito
A lei dá mais poder corporativo aos delegados, a ponto de se cuidar até mesmo com o “tratamento protocolar” que será dispensado a eles – a partir de então, se a medida for sancionada pela Presidenta, serão chamados de “Vossa Excelências”:
BRASÍLIA — Com a presença de dezenas de delegados de polícia, o Senado aprovou nesta terça-feira um projeto de lei que regulamenta as atribuições desses profissionais, dando mais autonomia para que eles conduzam as investigações criminais. O projeto, que sofre oposição do Ministério Público (MP), segue agora para sanção presidencial.
O dia no Congresso foi marcado pela movimentação de representantes do MP e das polícias Civil e Federal, que também estão em lados opostos nas discussões da proposta de emenda à Constituição (PEC) 37. Essa proposta, que limita os poderes de investigação do Ministério Público, ainda não foi votada pelos plenários da Câmara e do Senado.
Os delegados compareceram em peso no Senado para pressionar a votação do projeto de lei. O texto diz que “o delegado de polícia conduzirá a investigação criminal de acordo com seu livre convencimento técnico-jurídico, com isenção e imparcialidade”. Esse trecho foi bastante criticado pelo senador Pedro Taques (PDT-MT).
— Quem adotar o livre convencimento pode se recusar a praticar determinados atos — criticou Taques.
Na opinião do senador, o projeto aprovado, diferentemente da PEC 37, não afeta o MP, mas pode trazer dificuldades para a realização de uma investigação criminal.
— Eu não entendo que este projeto possa de alguma forma restringir o poder do Ministério Público que a Constituição oferta. No entanto, nos termos adotados, trará grandes dificuldades no sentido de que possamos ter uma investigação criminal séria, decente, honesta, no sentido da eficiência, porque é isso que o cidadão brasileiro deseja — disse Taques.
Pelo projeto, o inquérito policial ou outro procedimento em curso somente poderá ser redistribuído a outro delegado “mediante despacho fundamentado, por motivo de interesse público ou nas hipóteses de inobservância dos procedimentos previstos em regulamento da corporação que prejudiquem a eficácia da investigação”. Ou seja, dá mais autonomia aos delegados perante seus superiores.
Quem não gostou da aprovação do projeto foi a Procuradoria-Geral da República (PGR). Mais cedo, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, acompanhado de dez procuradores-gerais de países membros da Associação Ibero-Americana de Ministérios Públicos (Aiamp), se encontrou com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e com o presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN). O procurador-geral entregou a eles uma nota técnica contrária ao projeto de lei e à PEC 37.
Segundo a PGR, o projeto poderá resultar em restrição aos poderes dos órgãos de controle, como o Ministério Público. Também poderá provocar a blindagem dos delegados de polícia frente a seus superiores e trazer insegurança jurídica nos atos processuais. O presidente da Adepol, Paulo Roberto D’Almeida, rebate, dizendo que o controle externo da atividade policial pelo MP está previsto na Constituição e, portanto, não vai ser afetado.
— Só queremos fazer o trabalho de forma isenta e independente — disse Paulo Roberto.
O texto também determina que dever ser dispensado ao delegado “o mesmo tratamento dos magistrados, membros da Defensoria Pública, do Ministério Público e advogados”. Na avaliação de alguns parlamentares, isso poderia levar a regalias jurídicas e salariais aos delegados.
Para resolver o problema, o relator do projeto, o senador Humberto Costa (PT-PE), acatou uma emenda que introduziu a expressão “tratamento protocolar”. Ou seja, a partir de agora, os delegados também deverão ser chamados de Vossa Excelência, mas nada além disso. Como a emenda foi considerada de redação, o texto não precisará voltar para a Câmara e segue direto para a sanção na presidência da República.
Assim como as polícias militares possuem sérios defeitos em sua atuação – o abuso da força e o mau trato com o cidadão são alguns dos principais – considero que as polícias civis também tem suas mazelas. Reivindicar o status de profissional de gabinete, mantendo a lógica cartorial que impede a prática efetiva de investigação, como se a atividade policial fosse puramente de consultoria jurídica, é um desses equívocos. Não que os delegados não devam ser reconhecidos, bem pagos e bem tratados. O problema é tentar assemelhar-se com profissionais que não são policiais, mas somente jurisconsultos.

GLOCK VAI INSTALAR FÁBRICA NO BRASIL.


Não é novidade para os policiais brasileiros que as armas de fogo da fabricante austríaca Glock são muito mais seguras, resistentes e eficientes que as conhecidas e distribuídas nas polícias brasileiras. O problema é que, no Brasil, há resistências à importação de armas de fabrico internacional, como a Glock – no caso do uso particular, mesmo para o policial, só são autorizadas as armas de uso permitido, neste caso, pistolas .380.
A novidade é que a Glock está se mobilizando para instalar uma fábrica no país:
A empresa austríaca Glock, fabricante das famosas pistolas automáticas que levam seu nome, está negociando com o Exército a instalação de uma fábrica de armas no Brasil. A companhia já teria escolhido o Rio de Janeiro como sua base de produção local. Além de abastecer o mercado nacional, em especial o das Forças Armadas, a Glock deve usar a unidade brasileira para atender os demais países da América Latina. Em e-mail enviado à DINHEIRO, a fabricante confirmou seus planos, mas não definiu uma data para começar a operar. Sua maior dificuldade, no entanto, será superar o lobby da gaúcha Taurus, que atualmente equipa a maioria das forças policiais do País e que, no passado, impediu os austríacos de darem seus tiros por aqui.
Em 2006, a empresa chegou a anunciar a construção de uma fábrica em Minas Gerais, na qual seriam investidos R$ 30 milhões. De início, os planos contavam com o apoio do Exército. A ideia era fazer uma sociedade com a estatal Imbel, fabricante de fuzis e pistolas vinculada às Forças Armadas. Um ano depois, as negociações azedaram por conta das exigências feitas pelo governo para autorizar a construção da fábrica. Na época, o presidente da Glock na América Latina, o brasileiro Luiz Antônio Horta, em entrevista à revista ISTOÉ, afirmou que seria a fábrica mais moderna do mundo. “Mas o lobby da Taurus não deixa o projeto andar”, disse o executivo. O esforço austríaco para construir sua fábrica no Brasil e não se explorar a via da exportação se justifica.
Por lei, as Forças Armadas só podem comprar armamentos de fabricantes estabelecidos no País. É verdade que as polícias civis e militares podem importar pistolas. Mas a Glock tem tido pouco sucesso nesse mercado. É um cenário bem diferente do que acontece nos Estados Unidos, onde suas armas equipam mais de 65% das forças policiais. Em Hollywood, elas também são cultuadas e ganharam frases de efeito, como a do austríaco Arnold Schwarzenegger, no filme Fim dos Dias (1999): “Só confio em Deus e na minha Glock”. No Brasil, por enquanto, apenas o cinema parece ter se rendido ao carisma dos austríacos. No filme Tropa de Elite 2, os integrantes das temidas milícias cariocas ostentavam com orgulho suas pistolas Glock 17. Procurada, a Taurus não deu entrevista.
Na medida em que é necessário que os policiais brasileiros qualifiquem seu equipamento, estando tecnicamente aptos para atuar, é positivo que a Glock se instale no Brasil, garantindo a possibilidade de melhores condições de trabalho para nossas polícias.

MAIS UMA VITÓRIA DOS BOMBEIROS CONTRA A COVARDIA.


Nesta semana que se passou os 20 guerreiros do GSE (Grupamento de socorro de emergência) que foram penalizados com PRISÕES administrativas, por postarem suas opiniões em rede social privada, e que tiveram seus e-mails invadidos pela corregedoria interna do Corpo de Bombeiros; e posteriormente colocados em liberdade através de um inédito habeas corpus. Compareceram a AJMERJ a fim de tomarem ciência da sentença proferida pela Juíza da auditoria militar.
 
Estavam acompanhados pelo Dr. Carlos Azeredo, que vem realizando um eficientíssimo trabalho juntos aos militares injustiçados dentro do Corpo de Bombeiros.

Alguns trechos da decisão para vossa degustação:
 
É sempre bom lembrar, apesar de sujeitos à hierarquia e à disciplina da caserna, os militares são pessoas, titulares de todos os direitos e garantias fundamentais previstos no artigo 5º da Constituição da República, ´sem distinção de qualquer natureza´, simplesmente por ostentar a qualidade de ser humano, sendo as exceções inerentes à condição de militar expressamente ressalvadas no próprio texto constitucional, como nas mencionadas hipóteses previstas no art. 5º, LXI; art. 142, § 2º; art. 142, § 3º, IV e V, dentre outras. Tais direitos não podem ser afastados por qualquer lei em sentido estrito ou muito menos regulamento disciplinar de corporação militar estadual. Na verdade, com a promulgação da CRFB/88, o Regulamento Disciplinar do CBMERJ (Decreto nº 3.767/1980), assim como qualquer legislação infraconstitucional, deve ser relido à luz da Carta Magna e as normas que com ela não forem compatíveis não serão recepcionadas, restando desprovidas de eficácia.
Ocorre que aos militares não se asseguram apenas estes direitos fundamentais mencionados, mas todos aqueles previstos no extenso rol do art. 5º da CRFB/88, sendo as exceções expressamente ´relacionadas pela própria Constituição´, como ressaltou a própria Autoridade nomeada coatora. In casu, um dos direitos constitucionais desrespeitados é a inviolabilidade do sigilo da correspondência, o qual inclui pacificamente o e-mail e, por extensão, o grupo fechado de Facebook, eis que somente acessível o seu conteúdo pelos seus participantes, e não de forma irrestrita por qualquer pessoa que integre genericamente aquela rede social. Ressalte-se, o próprio Corregedor Interno do CBMERJ reconhece que ´de fato existe um 'grupo fechado', na rede social FACEBOOK, que se intitula 'GSE/CBMERJ'´ (grifei) e ainda esclarece que, para acessar seu conteúdo, faz-se necessário ´ter seu ingresso aceito´ (fls. 254). Ou seja, o próprio Impetrado reconhece que se tratava de grupo fechado e que para acessá-lo era necessária a concordância do responsável pelo mesmo, não sendo seu acesso irrestrito a qualquer usuário do Facebook.

PMERJ VAI INVESTIGAR BENS DE POLICIAIS.


EX COMANDANTE DA PMERJ É A FAVOR DA DESCRIMINALIZAÇÃO DAS DROGAS.



Entrevista com coronel Ubiratan Ângelo, coordenador de Segurança Humana do VivaRio e ex-comandante geral da PMERJ, Ubiratan defende a regulação do uso de drogas e se diz contrário à proibição que, segundo ele, acaba gerando confrontos.
Sobre o assunto, é salutar e curioso ver um ex-comandante geral da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro defender publicamente o caminho da descriminalização. Ouçam as palavras do Coronel PM Ubiratan Angelo em uma entrevista à Rádio CBN:


Link da entrevista: http://cbn.globoradio.globo.com/cbn-rj/cbn-rj/2013/05/22/EX-COMANDANTE-DA-PM-DO-RIO-DEFENDE-A-DESCRIMINALIZACAO-DAS-DROGAS.htm

Jovem é preso e menor apreendido com moto roubada e arma em Vila Valqueire

Rio - Policiais do 9º BPM (Rocha Miranda) prenderam Lucas Garcia Rocha, de 18 anos, e detiveram um menor de 17, na noite desta terça-feira, em Vila Valqueire, Zona Norte do Rio. Os PMs patrulhavam a região, por volta das 22h, quando desconfiaram da dupla em uma moto na Rua das Margaridas. Eles apreenderam uma pistola calibre 380, com 19 munições e a numeração raspada.
Em consulta ao sistema, os PMs verificaram que o veículo tinha sido roubado no último dia 17, na área da 28ª DP (Campinho). Após registro na mesma delegacia - central de flagrantes da região nesta madrugada - o menor foi encaminhado para a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), no Centro do Rio.

CORONEL USAVA VIATURA OFICIAL PARA IR TRANSAR COM MENORES EM MOTEL.

Rio - Para levar mulheres, algumas até menores, a motéis na viatura oficial do Corpo de Bombeiros durante o expediente, em 2010, o coronel Adilson de Oliveira Perinei contava até com motoristas da corporação.
Eles relataram em depoimentos à Justiça que ficavam nas proximidades esperando a hora do ‘resgate’. Como a coluna Justiça e Cidadania publicou nesta sexta-feira, o oficial foi absolvido na Auditoria de Justiça Militar por quatro coronéis por ter usado o veículo para cometer crimes. A juíza Ana Paula Figueiredo foi a única que votou pela condenação. 
Os oficiais alegaram que, como a viatura era descaracterizada e estava à disposição de Adilson, poderia ser levada para qualquer lugar. “Isso é um absurdo. No serviço público, ninguém pode fazer o que bem entende. O crime de peculato está caracterizado e o corporativismo imperou nesta decisão”, avaliou o criminalista Luiz Flávio Gomes. 
Para reverter a absolvição do coronel no julgamento dos oficiais, o promotor Bruno Guimarães vai recorrer ao Tribunal de Justiça. “É escandalosa a falta de punição. O coronel só tinha permissão para usar o carro em serviços administrativos, como visitar outro quartel, e ser pego e levado para casa”, protestou Guimarães. 
Nesta terça-feira O DIA procurou o comandante do Corpo de Bombeiros, Sérgio Simões, mas a assessoria de imprensa informou que o oficial não falaria sobre o assunto. “Esse tratamento que privilegia coronéis não deveria existir. Onze praças foram excluídos porque reivindicaram melhores salários. Mas aí os coronéis entenderam que usar o carro da corporação para cometer crimes não denigre a imagem dos bombeiros?”, questionou o presidente da Comissão da Defesa Civil da Alerj, Flávio Bolsonaro, do PP. 
Se na Auditoria de Justiça Militar, Adilson saiu incólume, na 3ª Câmara Criminal, foi condenado a 19 anos e quatro meses de prisão pelos crimes de favorecimento a prostituição e por ter fotos de sexo envolvendo menores.

FONTE: O DIA ON LINE

POLICIAIS DO 18°BPM JACAREPAGUÁ PRENDEM FALSO BOMBEIRO.

Rio - Policiais do 18º BPM (Jacarepaguá) prenderam um falso bombeiro, na madrugada desta sexta-feira, na Gardênia Azul, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio. Os PMs suspeitaram do Astra prata, placa JPH-7953, na Rua Acapurana, e abordaram o motorista Luciano Moreno Vasconcelos, de 36 anos.
Ele disse ser sargento do Corpo de Bombeiros e apresentou uma carteira. Os militares, no entanto, verificaram que o documento era falso.
Com o suspeito foi apreendido um revólver calibre 38 municiado. Luciano disse que tinha comprado a arma de um policial. Ainda não se sabe se o veículo está em situação regular. O caso foi registrado na 32ª DP (Taquara), central de flagrantes da região.


BOPE ATACA COMPLEXO DO CARAMUJO.


Policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope) fazem uma operação no Complexo do Caramujo, no bairro de mesmo nome, na Zona Norte de Niterói, na manhã desta terça-feira. Houve confronto com traficantes e dois suspeitos foram baleados. Os feridos foram levados para o Hospital estadual Azevedo Lima, no Fonseca, também na Zona Norte. Com eles, segundo os PMs, havia um fuzil Ruger, um fuzil MD 2 e drogas ainda não contabilizadas.
A ocorrência seguiu para a 78ª DP (Fonseca). A ação continua.


FONTE:  EXTRA.GLOBO

terça-feira, 28 de maio de 2013

O CABO DA PM DO RIO DE JANEIRO QUE TODA TROPA GOSTARIA DE VER COMO DEPUTADO NA ALERJ.

Gravem bem esse nome : ALONSIMAR

História.

Primeiramente vamos contar um pouco da história desse cabo da PM que esta dando o que falar em Campos e já preocupa alguns setores do Comando da PM e do Governo. O Cabo Alonsimar  de oliveira Pessanha nascido no dia 7 de junho de 1975  em Campos dos Goytacazes, sempre se destacou na vida política de Campos como o policial que sempre defendeu com unhas e dentes a corporação e seus componentes das injustiças e mazelas do Governo.



Em 2008 o Cabo alonsimar se candidatou ao cargo de vereador pela cidade de Campos , porém não obteve sucesso em sua empreitada , mas a população campista ganhou um nome de peso que servisse de opção para as próximas eleições "2012" o que acabou se confirmando nas urnas.

A Prisão


Reconhecido em todos os batalhões do estado do Rio de Janeiro como uma das lideranças estaduais, isso lhe custou uma prisão arbitrária no presídio de segurança máxima Bangu 1 , onde ao lado dos outros citado líderes , sofreu durante dias no cárcere por uma justa causa para toda uma categoria policial.




Vereador

O Cabo PM Alonsimar enfatizou que como policial militar pagou um preço caro por se manifestar por melhores condições para a categoria, chegando até ser preso. “Como vereador, terei liberdade para me para me expressar e vou ocupar a tribuna sempre que for necessário”.
 No ano passado, ele foi uma das principais lideranças do movimento de reivindicação dos bombeiros-militares, chegando a ser detido por alguns dias durante a greve da categoria. Alonsimar, que era considerado foragido da justiça, se entregou no dia 13 de fevereiro de 2012.


A Câmara Municipal de Campos será representada por mais um policial militar. Além dos vereadores eleitos e agentes militares Gil Viana (PR) e Genásio (PSC), o legislativo teve como novidade a posse do primeiro suplente Alonsimar de Oliveira Pessanha (PTC), que tomou posse nesta quinta-feira (24/01), às 16h, no gabinete do presidente Edson Batista (PTB). A solenidade foi bem simples e contou com presenças de autoridades públicas, políticas e militares.
Alonsimar, que obteve 2.019 votos na última eleição, veio para ocupar a cadeira deixada pelo vereador eleito Oséias Azeredo Martins (PTC), que saiu porque foi nomeado para ocupar a pasta na Secretaria Municipal de Trabalho e Renda. Esta foi a primeira mudança dentro da reforma administrativa que a prefeita reeleita Rosinha Garotinho (PR) fez em seu pleito.
Alonsimar construiu sua trajetória na militância dos movimentos sociais. Na Câmara, o vereador se compromete a dar continuidade ao trabalho que desenvolveu como uma das lideranças do movimento de reivindicação por melhorias das condições de trabalho dos policiais militares e também foi uma das lideranças do estudantil, na Federação dos Estudantes de Campos (FEC).
“Minha luta tem origem nos movimentos populares. Como líder do movimento estudantil, obtivemos importantes conquistas como a Lei do Passe Livre e a que dá direito ao estudante pagar meia entrada nos eventos esportivos e culturais do município. Mas, o fator determinante que permitiu minha votação e me trouxe até a Câmara foi a atuação que tive no movimento de reivindicação em prol de melhores salários e condições de trabalho para os policiais militares”, disse o vereador em seu discurso de posse.
  Fonte: Ururau




A luta pela classe policial.


A Câmara Municipal de Campos realiza nesta quinta-feira, às 10h, uma Sessão Solene em homenagem a policiais militares mortos na área do 8º Batalhão de Polícia Militar (BPM). A indicação legislativa é do vereador Cabo Alonsimar, do PTC, que participou do Folha no Ar desta quarta-feira. Desde a criação da Galeria dos Heróis no 8º BPM, em 1984, já são 10 policiais mortos em serviço, o último deles é meu o irmão, o Cabo Renato Rangel da Mota Júnior, morto em 2006.

A sessão, segundo o vereador, vai homenagear não só policiais mortos, entregando placas e diplomas aos familiares, mas também os policiais que estavam nas respectivas ocorrências que resultaram nas mortes. Além dos vereadores, várias autoridades da área de segurança e dos movimentos SOS Bombeiros e SOS PMERJ vão participar do evento.

— A Câmara é a Casa do Povo e, por isso, toda população está convidada a participar dessa Sessão Solene, que é uma demonstração do reconhecimento público para com os familiares destes policiais, que perderam suas vidas no trabalho policial pela defesa da sociedade — destacou o vereador Alonsimar.

Fonte. Folha da Manha - Folha no Ar




Recebendo uma homenagem na câmara municipal do Rio de Janeiro.



Visitando Dpos e cabines da área do 8°BPM e 32°BPM para verificar as condições de trabalho dos policiais.



Defendendo a população de Campos.

Dia 16 de Abril de 2013 por Saulo Pessanha.

Na sessão plenária de hoje, na Câmara Municipal de Campos, em que um dos assuntos dominantes foi a qualidade, considerada péssima, dos serviços prestados à população pela Águas do Paraíba, o vereador Cabo Alonsimar (PTC) fez um alerta. Caso a concessionária não faça a contrapartida de atender bem, pelo que recebe dos consumidores, ele poderá fazer uma campanha para a que a população não pague as suas contas. “Vamos fazer um boicote. Ninguém paga as contas à Águas do Paraíba”. Alonsimar citou que quando um trabalhador atrasa, por um motivo ou por outro, no pagamento da conta, a Águas do Paraíba corta o fornecimento da água, “sem se importar a razão pela qual não foi feito o pagamento”.

Na sessão plenária de hoje, na Câmara Municipal de Campos, em que um dos assuntos dominantes foi a qualidade, considerada péssima, dos serviços prestados à população pela Águas do Paraíba, o vereador Cabo Alonsimar (PTC) fez um alerta.
Caso a concessionária não faça a contrapartida de atender bem, pelo que recebe dos consumidores, ele poderá fazer uma campanha para a que a população não pague as suas contas. “Vamos fazer um boicote. Ninguém paga contas da Águas do Paraíba”.
Alonsimar citou que quando um trabalhador se atrasa, por um motivo ou por outro, no pagamento da conta, a Águas do Paraíba corta o fornecimento, “sem se importar a razão pelo qual não foi quitado o débito”.
Segundo Alonsimar, a Águas do Paraíba não abre mão de receber as suas contas em dia, mas não oferece eficiência. “Não é possível no Parque Eldorado, que possui água encanada, estar com moradores comprando bomba para jogar água na caixa”.



 Uma liderança no Partido.



liderança na PMERJ.



CONCLUSÃO

Uma coisa é certa e não tem como negar , se a tropa realmente se unir em torno do nome do Alonsimar pra candidato a uma vaga em 2014 na Alerj , nós podemos ter certeza que uma grande revolução haverá na policia Militar nunca nates vista desde a sua fundação.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

PARTIDO MILITAR BRASILEIRO PODE CONVIDAR MINISTRO JOAQUIM BARBOSA PRA DISPUTA PRESIDENCIAL.

O nome do ministro Joaquim Barbosa, atual presidente do STF (Superior Tribunal Federal), lidera a lista de prováveis candidatos à presidência da República pelo PMB (Partido Militar Brasileiro), legenda que está em processo final de legalização junto ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).
A informação foi confirmada pelo idealizador do partido, Capitão Augusto Rosa, no início da semana. Segundo ele, Barbosa possui todos os requisitos necessários para assumir o cargo por sua competência e senso e justiça. 
“A postura do ministro diante de grandes escândalos, como no caso do Mensalão, por exemplo, comprova a intolerância de Barbosa quanto à corrupção. Essa postura vem ao encontro aos ideais do PMB, que está em busca de candidatos que possam resgatar a moralidade na política nacional”, enfatizou Rosa.
A candidatura de Joaquim Barbosa já ganhou apoio popular. Existe até um site “lançando” o ministro a presidente da República. 
No ar desde oito de outubro de 2012, a página usa o slogan “Somos brasileiros que acreditam que o Brasil só achará seu caminho com um presidente sério” e traz diversas informações como biografia, fotos, charges e dezenas de depoimentos elogiosos ao relator do Mensalão.
 O site, criado por um grupo de jornalistas do Rio de Janeiro, pode ser acessado pelo endereçojoaquimbarbosapresidente.com.br.
Esse tipo de manifestação, segundo o idealizador do Partido Militar, expressa a vontade da população por uma verdadeira revolução no cenário político, que se encontra em total descrédito. “Político no Brasil virou sinônimo de piada, de avacalhação. Até quando isso vai continuar? Enquanto não houver pessoas sérias no comando, o país vai permanecer nessa desordem. A população precisa voltar a acreditar e respeitar o Brasil e os seus representantes legais”, ressaltou Augusto Rosa.
O convite oficial para pré-candidatura do ministro deverá ser feito nas próximas semanas em audiência a ser marcada na capital federal. Para lançar candidatos às eleições de 2014, o PMB – que já possui CNPJ aprovado – precisa entregar até o mês de setembro 485 mil assinaturas de apoio à sua criação ao TSE. Para atingir a meta, a militância do partido está promovendo uma grande mobilização pelo país. De acordo com a direção do PMB, mais de 300 mil pessoas já manifestaram apoio à legenda.

Fonte: Partido Militar Brasil

FINAL DE SEMANA DE TERROR NO ALEMÃO.



O Complexo do Alemão, conjunto de favelas na Zona Norte do Rio, teve, nesta sexta-feira, mais uma manhã tensa. Comerciantes das Rua Joaquim de Queiroz e de um trecho da Estrada do Itararé amanheceram com as portas fechadas. Somente por volta das 9h20m, as lojas começaram suas atividades. O atraso na abertura do comércio seria fruto do medo de comerciantes de sofrerem uma represália de traficantes. Uma padaria, por exemplo, costuma abrir às 6h e só começou a funcionar depois das 9h.

Além disso, na noite desta quinta disparos voltaram a assustar os moradores. Por volta das 20h, tiros voltaram a ser ouvidos no alto do Morro do Alemão. A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). Segundo nota enviada pelo órgão, não houve confronto entre policiais da UPP nem registro de feridos. Ainda de acordo com o informe, o policiamento segue reforçado na região com o efetivo de outras UPPs. A medida é por tempo indeterminado
.


Além dos tiros, moradores denunciam também falta de luz em pelo menos quatro localidades do Alemão: Central, Grota, Alvorada e Morro da Baiana. Um fotógrafo da comunidade fez um registro de parte do conjunto de favelas às escutas na noite desta quinta. A assessoria de imprensa da Light informou que a energia já foi restabelecida na maior parte do trecho atingido. Nesta sexta, há equipes trabalhando para normalizar o fornecimento em algumas ruas ainda às escuras.


Toque de recolher
Nesta quinta-feira, os complexos do Alemão e da Penha viveram um dia de toque de recolher imposto por bandidos. Boa parte do comércio fechou e cerca de 11.400 crianças ficaram fora das salas de aula - 14 escolas e sete creches, municipais e estaduais, também foram obrigadas a suspender aas atividades. A ordem para o luto forçado partiu de bandidos em motos, depois da morte do suspeito de tráfico Anderson Simplício de Mendonça, o Orelha, de 29 anos, em tiroteio com PMs, na noite de quarta-feira.

O policiamento foi reforçado na região, mas nem assim a situação voltou à normalidade. Em alguns colégios, antes mesmo da determinação para que as atividades fossem encerradas, era possível ver um intenso movimento de pais e mães buscando seus filhos. Em entrevista à Rádio CBN, o comandante das UPPs, coronel Paulo Henrique de Morais, classificou a atitude de bandidos como uma tentativa de desestabilizar a política de pacificação.
FONTE:  EXTRA.GLOBO

sábado, 25 de maio de 2013

POLICIA CIVIL DE MINAS GERAIS PREPARA GREVE GERAL.

Policiais Civis protestaram na tarde desta sexta-feira e fecharam a Praça Sete, no centro de Belo Horizonte. 
Eles colocaram fogo em caixões para pedir a revisão da Lei Orgânica da Polícia, que define o plano de carreira da Corporação e foi encaminhada à Assembleia Legislativa.

De acordo com o Sindicato, há várias pontos inconstitucionais no projeto final. 

A categoria aprovou, por unanimidade, o início de uma greve geral a partir do dia 10 de junho, caso o governo não apresente uma nova proposta.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

POLICIAL MILITAR CONCORRERÁ AO GOVERNO DE SÃO PAULO.



Em meio ao aumento nos indicadores de criminalidade no Estado e a críticas à sua gestão no setor de Segurança Pública, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), terá um adversário de farda na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes no próximo ano. Em reunião realizada na manhã dessa segunda-feira (20), o PDT oficializou a pré-candidatura do deputado estadual Major Olímpio e já se articula para ser a terceira via nas eleições governamentais de 2014.

"Faz 20 anos que o PSDB está no poder e nada foi feito para solucionar esses problemas (de segurança). O PT, em âmbito nacional, também não apresentou soluções. Hoje, a insegurança é o que mais aflige o cidadão paulista, e minha candidatura vem ao encontro dos interesses do povo por mais segurança e dignidade", afirmou o major.

Em seu segundo mandato como deputado, Olímpio apoia-se na bandeira de combate à criminalidade para tentar levar seu nome a toda população do Estado. Membro da Comissão de Segurança e da Frente Parlamentar de Segurança Pública da Assembleia Legislativa, Olímpio Gomes teve 135 mil votos na última eleição e diz acreditar que com alianças "programáticas" e "muito trabalho" poderá alcançar os votos necessários para chegar ao segundo turno das eleições.

O deputado já se coloca como o candidato que vai acabar com a polarização entre PSDB e PT em São Paulo."Diante dessa crise na segurança pública e com a experiência conquistada ao longo de minha vida pública, vou me colocar como uma 3º via para a população do Estado, como o verdadeiro candidato da mudança."

O UOL conversou, por telefone, com o deputado estadual e, agora, pré-candidato ao Governo de São Paulo, Major Olímpio.

UOL: Deputado, a candidatura é pra valer?

Major Olímpio: Tudo que me dediquei a fazer na vida foi pra valer, por isso eu garanto que vou até o final. Toda candidatura tem nascimento. Podem até achar que é uma aventura, mas vou demonstrar que tenho viabilidade política e posso ser um bom gestor para o Estado de São Paulo.

UOL: O senhor é conhecido por atuar no campo da Segurança Pública. Essa será sua principal bandeira?

M.O.: O tema central será a segurança, mas não serei um candidato monotemático. Há muitos anos venho estudando, viajando o Estado e tenho feito diagnóstico dos diversos setores de atuação do poder público. Sei que é preciso trabalhar ao lado do funcionalismo público, sei da necessidade de descentralizar o orçamento e as decisões políticas e conheço o que aflige a população paulista, que á falta de segurança.

UOL: Como deixar de ser um candidato apenas das Polícias e ser conhecido por toda população em cerca de um ano e cinco meses?

M.O.: Esse é meu grande desafio. Preciso sair dos cerca de 135 mil votos que possuo e superar os 5 milhões para chegar ao segundo turno. Para alcançar essa meta vou, a partir de hoje, intensificar minhas viagens, meus estudos, minhas conversas com o único objetivo de criar musculatura política e apresentar um plano de gestão compatível com os anseios do povo paulista.

UOL: É uma quantidade enorme de votos, o senhor acho possível alcançar esse objetivo?

M.O.: É uma corrida contra o tempo. Ninguém tem a pedra filosofal para fazer isso, mas vou trabalhar 24 horas por dia para chegar em 2014 sendo conhecido por toda população de São Paulo.

UOL: A segurança pública é hoje um problema para o governo Alckmin  Nesse cenário, o senhor vê esse tema como um trunfo da sua candidatura?

M.O.: Dizer que a insegurança é um trunfo seria errado de minha parte. Esse descaso com a segurança no Estado gerou essa sensação de insegurança que hoje é o que mais aflige nosso povo. Faz 20 anos que o PSDB está no poder e nada fez para solucionar esse problema. Com tudo isso, é claro que vou trazer esse debate como tema principal de minha campanha, mas não focarei só isso. Como disse, não serei um candidato monotemático.

UOL: Como o PDT decidiu pelo lançamento da sua pré-candidatura?

M.O.: O partido realizou na manhã de ontem (20) uma reunião da executiva nacional. Presente ao encontro, o nosso presidente nacional, Carlos Luppi, falou sobre as expectativa de crescimento da sigla e ponderou sobre o fato de São Paulo ser um dos carros chefes para esse crescimento. Dentro desse cenário, de forma unânime, os membros presentes decidiram que minha candidatura seria o caminho para alavancar o crescimento do partido no Estado e uma alternativa esse modelo de gestão que ai está.

UOL: Além da questão partidária, qual o motivo da candidatura?

M.O.: É claro que existe uma polarização na disputa em São Paulo, de um lado PSDB, e do outro, PT. O PSDB está há 20 anos no poder e há um desgaste visível, já o PT tenta alcançar o comando do Estado depois de conseguir a prefeitura. Diante dessa crise na segurança pública e com a experiência conquistada ao longo de minha vida pública, vou me colocar como uma terceira via para a população do Estado.


FONTE: UOL

POLICIAIS MILITARES DE MATO GROSSO DO SUL DECIDEM SE AQUARTELAR.



Por unanimidade, os militares de Mato Grosso do Sul decidiram pelo aquartelamento. Nesta terça-feira (21), a partir das 7h30, estarei na entrada do Comando Geral da Polícia Militar, em Campo Grande, para aguardar os que aderirem à mobilização e, de lá, partirmos rumo à Assembleia Legislativa.
Vamos pedir aos deputados um espaço para esclarecer os motivos dessa decisão, que traduz o descontentamento da classe com o atual Governo. Convocamos os policiais que assumirem serviço às 8h para que sigam até o Comando. Os que estão de folga também devem ir a mostrar a força da nossa Polícia Militar.
Conto com a presença de todos, desde os mais jovens até os mais experientes. Compartilhem conosco esta luta!
Edmar Soares da Silva
Presidente da ACS


BANDIDO ARRANCA ORELHA DE ASPIRANTE OFICIAL DA PM COM UMA MORDIDA.



Um aspirante da Polícia Militar de Goiás, que preferiu não ser identificado, teve parte da orelha esquerda arrancada e a mão direita mordida por um homem durante a prisão de uma quadrilha especializada em roubo de carro, na madrugada desta quarta-feira (22), no Setor Cruzeiro do Sul, em Aparecida de Goiânia. Ele conta que entrou em luta corporal com um dos suspeitos, de 29 anos, que arrancou e engoliu o pedaço da sua orelha. O policial também levou uma mordida na mão. O suspeito acabou preso com a ajuda de um policial civil que passava pelo local.
“Ele [suspeito] tinha fugido em um carro roubado e, quando conseguimos encontrá-lo, ele saiu correndo de dentro do veículo e entrou em um lote para se esconder. Quando pulei o muro e entrei no lote, ele tentou pegar minha arma e nós entramos em luta. Neste momento, ele acabou mordendo minha orelha e também a minha mão”, conta o militar.
Ainda segundo o aspirante, o suspeito foi contido por um agente policial que estava à paisana e participou da ação. Em entrevista ao G1, o agente, que também preferiu não ser identificado, disse que ouviu o militar pedindo ajuda dentro do lote. “Ele gritou que o criminoso estava tentando pegar a arma dele. Entrei e consegui pegar a pistola e prendê-lo rapidamente. Acho que ele foi pego de surpresa porque estava muito escuro lá dentro”, acredita.
Ação


A equipe do aspirante foi acionada pelo Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) após uma quadrilha roubar dois veículos, no Setor Cruzeiro do Sul, em Aparecida de Goiânia. Logo em seguida, eles conseguiram avistar outro carro que, segundo uma das vítimas, foi utilizado para transportar os criminosos. No veículo, estava uma mulher ao volante, que acabou confessando aos policiais militares que tinha levado dois homens para cometer dois roubos. O carro que ela estava também tinha sido roubado no último domingo (19).

Com isso, outros policiais foram acionados para reforçar a perseguição. Na ação, eles conseguiram prender o suspeito de arrancar a orelha do aspirante e um rapaz de 26 anos, que estava em outro veículo roubado. De acordo com a Polícia Militar, os dois têm passagem latrocínios, homicídios, roubos e furtos e estavam foragidos da Justiça.
Os dois homens e a mulher foram encaminhados para o 4º Distrito Policial (DP), em Aparecida de Goiânia, onde prestaram depoimento e aguardam decisão da Justiça. A PM afirma que as vítimas dos roubos foram encontradas e deverão comparecer no DP para retirar os veículos.
O aspirante que teve parte da orelha arrancada contou ao G1 que recebeu atendimento médico no Hospital de Doenças Tropicais (HDT), mas irá retornar à unidade para realizar exames. Além disso, o militar afirma que está providenciando uma consulta com um cirurgião plástico para tentar reconstituir parte da orelha esquerda.

FONTE:  G1

COMANDANTE DO BPCHOQUE/GOIÁS DÁ UM SOCO NA CARA DE MANIFESTANTE.



comandante-geral da Polícia Militar de Goiás, Coronel Silvio Benedito Alves, informou que o comandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar, major Wendel de Jesus Costa, foi afastado da função no final da tarde de quinta-feira (16). Ele foi flagrado dando um soco no rosto de um jovem, que protestava contra o possível aumento da tarifa de ônibus do transporte público, em Goiânia (veja vídeo abaixo). A confusão aconteceu durante uma manifestação, que reuniu cerca 400 pessoas, a maioria estudantes secundaristas e universitários, na manhã de quinta-feira, no Terminal Praça A, no Setor Campinas.
A polícia informou, em nota, que o afastamento do comandante do Pelotão de Choque, a princípio, se deu por causa de “conduta indevida” no protesto. Coronel Silvio Benedito Alves declarou ainda que foi instaurado procedimento administrativo para a apuração dos fatos.
Em entrevista ao G1, o major Wendel de Jesus Costa afirmou que ainda não tinha sido comunicado sobre o afastamento até as 9h dessa sexta-feira (17). No entanto, ele adiantou que estava à espera do comandante-geral da PM, que o chamou para uma reunião.
O major se defende e diz que sua atitude não foi excessiva em virtude do contexto. "Tem um contexto anterior que não foi documentado. Já tínhamos pedido ao manifestante que saísse dali e ele não saiu. Ele avançou em direção à minha cintura. Foi um reflexo da atitude dele. Não foi uma atitude gratuita", argumenta.
O então comandante do Batalhão de Choque alegou ainda que não era só uma bandeira. Nela, afirma, havia uma haste de madeira, que o rapaz e outros manifestantes estavam lançando contra os policiais.
Wendel de Jesus Costa ressaltou que a atitude dos policiais foi legítima, dentra da ordem e da legalidade. "A população que mora na área e que passava pelo local sofreu com a ação desses indivíduos, com o terror que eles provocaram", declarou.
O major lembrou ainda do último protesto que aconteceu na capital contra o possível aumento da passagem de ônibus, nas Avenidas Goiás e Anhanguera. "Eles fizeram o movimento com a finalidade de protestar, foi de forma organizada e com intenções pacíficas. Essa situação foi totalmente diferente da de ontem. Eles saquearam comércios e atiraram pedras e madeira contra os PMs", comparou.
Protesto
O protesto começou no Centro da capital e seguiu para o Terminal da Praça A, no Setor Campinas, onde os estudantes colocaram fogo em pneus na Avenida Anhanguera para bloquear o trânsito ao redor do local.
A Polícia Militar tentava negociar a liberação enquanto os estudantes protestavam. Um grupo tentou ocupar o terminal e foi recebido pelo Batalhão de Choque da PM. Houve correria e os policiais formaram um escudo para impedir o retorno dos manifestantes.
Eles continuaram o protesto do lado de fora. Mas a tropa de choque, a todo momento, atirava bomba de gás lacrimogêneo contra os manifestantes. Estudantes e pessoas que passavam pelo local tentaram buscar abrigo no comércio, mas a maioria fechou as portas. Uma agência bancária teve um dos vidros quebrados.
A polícia disse que agiu dessa forma para evitar danos ao patrimônio público. Estudantes tentaram argumentar com a PM, mas a conversa foi recebida com violência. Dois manifestantes foram detidos e levados para o 5º DP, suspeitos de depredarem o patrimônio público. Eles foram liberados horas depois.
Desde a greve dos motoristas do transporte coletivo, realizada no início do mês, cogita-se o aumento da passagem de R$ 2,70 para R$ 3. A possibilidade de um segundo reajuste no mesmo ano tem preocupado a população e desagradado os estudantes. "Nós somos um movimento que busca o não aumento da tarifa", disse o manifestante agredido. (G1).


FONTE:  g1