quarta-feira, 15 de abril de 2015

Advogado de PMs reforça que não houve confissão de que tiro atingiu menino no Alemão


O depoimento de três PMs que afirmaram em depoimento ter efetuado disparos com fuzis na direção de bandidos, na troca de tiros que resultou na morte do menino Eduardo de Jesus, prestaram depoimento à Divisão de Homicídios (DH) terminou no final da noite desta terça-feira. Segundo o advogado dos policiais Rafael Calheiros, não houve confissão de que o tiro possa ter atingido Eduardo. "Não há confissão de que o tiro possa ter atingido o menino. Quem vai dizer isso é a perícia. Eles reafirmam tudo o que já disseram. Efetuaram disparos contra bandidos e só tomaram ciência da criança quando continuaram prosseguindo".

Nenhum comentário:

Postar um comentário