sábado, 11 de abril de 2015

Deputado Estadual Marcelo Freixo: Toque de recolher imposto pela PM no Alemão será investigado


O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), o deputado estadual Marcelo Freixo (Psol), disse que a denúncia de um toque de recolher imposto pela PM no Complexo do Alemão, será investigada tanto pela comissão quanto pela Defensoria Pública do Rio, assim que houver uma queixa formal. O parlamentar se reuniu com representantes da associações do complexo e moradores nesta manhã, contudo, nenhuma queixa foi formalizada por escrito.
Também esteve presente na região o deputado estadual Flávio Bolsonaro (PP). Freixo questionou sua presença e disse que ele "quer criar uma polarização que não existe." "Não é momento de brigas ou de pensar em ganhar votos em cima da situação. É o momento de debater a questão do complexo como um todo", falou, deixando claro que vai ouvir os moradores e também os policiais que trabalham nas UPPs.

O deputado estadual Flavio Bolsonaro (PP) e seu irmão, o deputado federal por São Paulo Eduardo Bolsonaro (PSC) fizeram, uma visita ao Complexo do Alemão. O objetivo, segundo os parlamentares, é ouvir os policiais militares que atuam nas quatro Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) do conjunto de favelas.
- Está havendo uma oitiva da Comissão de Direitos Humanos junto aos moradores. O objetivo aqui é fazer um trabalho complementar. Os policiais, que são os agentes mais importantes da segurança pública, muitas vezes acabam esquecidos. Por isso, hoje, queremos ouvir não só os PMs, como também a comunidade. Captando todos os lados, podemos, a partir daí, buscar ajudar o Estado a se estabelecer legitimamente no Alemão - afirmou o deputado Flavio Bolsonaro.


O deputado federal Eduardo Bolsonaro, membro da Comissão de Segurança Pública, da Câmara, também comentou a visita. - Queremos fazer um contraponto e ouvindo os PMs, que também são humanos. Os chamados direitos humanos só escutam o outro lado, só falam dos excessos, que nós sabemos ser uma exceção - disse Eduardo, frisando que as bases da UPP exibem várias marcas de tiro.

*A Polícia Militar negou que tenha sido decretado toque de recolher nas favelas do Alemão a partir das 21h. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário