terça-feira, 16 de junho de 2015

Funcionários do Degase fazem protesto no Rio


Funcionários do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase) realizavam um protesto no fim da tarde desta segunda-feira (15), na Estrada do Galeão. Eles ocupavam uma faixa no sentido Ilha do Governador, próximo à Praça do Avião. Segundo o Centro de Operações, o trânsito chegou a ser intenso no local e a pista foi liberada por volta das 19h. O 17ºBPM (Ilha do Governador) acompanhou a manifestação.
No último dia 10, os funcionários decidiram em assembleia entrar em greve por tempo indeterminado. De acordo com o sindicato, cerca de 400 servidores participaram da assembleia. A categoria reivindica a criação de uma Secretaria de Estado para o Atendimento Socioeducativo; a equiparação salarial dos agentes do Degase com os agentes penitenciários e o retorno do plano de cargos, carreiras e salários do órgão.
Ficou decidico que, durante a greve, somente serão realizados serviços considerados essenciais, como a alimentação dos internos, a higiene pessoal e emergências médicas. Serão interrompidas as atividades administrativas e serviços como audiências, transferências entre unidades, banho de sol dos adolescentes, atividades escolares, esportivas e de lazer, atendimentos do corpo técnico  (psicologia, pedagogia e serviço social).

Um comentário:

  1. Todo mundo quer maior qualidade na segurança pública, mas para melhorar a qualidade será imprescindível melhorar a questão salarial, ou seja, valorizar o Policial Militar com uma remuneração digna.

    O Salário Mínimo Necessário foi calculado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) em R$ 3.377,62 (três mil, trezentos e setenta e sete reais e sessenta e dois centavos) no mês de Maio de 2015, de acordo com o inciso IV do artigo 7º da Constituição Federal de 1988 ("salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo"). Acrescido dos 30% de Adicional de Periculosidade (R$ 1.013,28), o valor do Piso Salarial da categoria deveria ser fixado em R$ 4.390,90 (quatro mil, trezentos e noventa reais e noventa centavos). O menor vencimento deve ser igual ou superior ao referido valor.

    http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html

    O adicional de periculosidade para profissionais de segurança pública foi aprovado!

    A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 193/15, que garante aos integrantes do sistema de segurança pública de todo o País o adicional de periculosidade. Pelo texto, cada estado vai estabelecer o valor do adicional, desde que observado um percentual mínimo de 30% sobre a remuneração total.

    ResponderExcluir