quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Dívida do estado ameaça programas de segurança


A crise financeira do governo estadual pode colocar em risco a continuidade das operações Lapa Presente e Barreira Fiscal. O problema tem como causa a falta de pagamento à Full Log Transportes. A dívida total com a empresa, referente ao aluguel de cerca de 400 carros, já passa dos R$ 7 milhões. A informação foi divulgada na segunda-feira pela jornalista Berenice Seara em sua coluna no jornal ‘‘Extra’’.

A Full Log atende 19 órgãos estaduais desde 2010. Os contratos somam cerca de R$ 6 milhões por ano, mas, em 2014, parte dos repasses à empresa começou a atrasar. Este ano, nenhum centavo teria sido pago. Em julho, a empresa deu um ultimato: se as secretarias não quitarem o débito até o fim deste mês, os veículos serão recolhidos, começando pelos utilizados nas duas operações.

Segundo Luciano Miranda, diretor da Full Log, se não tivesse contratos com outros estados, a empresa, que tem 20 anos e atua em todo o país, teria falido.

— Algumas secretarias do Estado do Rio até pagaram alguma coisa, mas, de modo geral, os repasses estão atrasados desde meados de 2014. A operação Lapa Presente nunca pagou o aluguel dos carros. E já notificamos o governo sobre a dívida da Barreira Fiscal, mas não recebemos resposta — reclamou Miranda.
A Barreira Fiscal foi criada em 2010 para combater a sonegação fiscal de cargas que entram no Rio e coibir o tráfico de armas e drogas. Os 120 fiscais e 200 PMs que participam da operação contam com 38 veículos. Já a Operação Lapa Presente tem 76 PMs e 48 guardas municipais patrulhando o bairro com 13 carros.

A Secretaria estadual de Governo informou que as duas operações não serão interrompidas e que suas atividades seguem sem qualquer alteração. De acordo com o órgão, os débitos pendentes com a Full Log já estão sendo quitados.

3 comentários:

  1. O loteamento de cargo público só serve ao roubo. O presidente da República que promove o loteamento de cargos públicos é conivente com a corrupção. Porque está cansado de saber para quê o loteamento serve. Lula sabia que os diretores da Petrobras nomeados por ele foram postos ali para servir a seus padrinhos. Dilma sabe que o setor elétrico, tão caro a ela, é uma fonte inesgotável de recursos para o PMDB. Precisamos tirar o PT do poder nas próximas eleições!

    ResponderExcluir
  2. A prioridade é a PMERJ, é o essencial! Esses programas são secundários.

    Esses PMs devem ser devolvidos para a Corporação e vestir a farda para a qual prestaram concurso.

    ResponderExcluir
  3. Todo mundo quer maior qualidade na segurança pública, mas para melhorar a qualidade será imprescindível melhorar a questão salarial, ou seja, valorizar o Policial Militar com uma remuneração digna. Os Policiais Militares do Rio de Janeiro morrem por um vencimento inferior ao Salário Mínimo Necessário!

    O Salário Mínimo Necessário foi calculado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) em R$ 3.377,62 (três mil, trezentos e setenta e sete reais e sessenta e dois centavos) no mês de Maio de 2015, de acordo com o inciso IV do artigo 7º da Constituição Federal de 1988 ("salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo").

    http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html

    O adicional de periculosidade para profissionais de segurança pública foi aprovado!

    A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 193/15, que garante aos integrantes do sistema de segurança pública de todo o País o adicional de periculosidade. Pelo texto, cada estado vai estabelecer o valor do adicional, desde que observado um percentual mínimo de 30% sobre a remuneração total. Acrescido dos 30% de Adicional de Periculosidade (R$ 1.013,28), o valor do Piso Salarial da categoria deveria ser fixado em R$ 4.390,90 (quatro mil, trezentos e noventa reais e noventa centavos). O menor vencimento deve ser igual ou superior ao referido valor.

    "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER." NÃO HÁ JUSTIFICATIVA PARA OS BAIXOS SALÁRIOS DOS SERVIDORES MILITARES NO RIO DE JANEIRO! POLICIAL MILITAR DESMOTIVADO SIGNIFICA SEGURANÇA PÚBLICA AMEAÇADA.

    ResponderExcluir