segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Segurança integrada em Niterói vai reunir polícia e Guarda Municipal

Niterói vai contar, a partir das 10h desta segunda-feira, com mais uma ferramenta no combate à criminalidade da cidade. Isso porque vai começar a funcionar o Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp) em Piratininga, na Região Oceânica. O empreendimento contará com 600 câmeras, que farão monitoramento 24 horas. Duzentas entrarão em operação já nesta segunda-feira, e até novembro mais 400 serão instaladas. A tecnologia de última geração inclui ainda 80 botões de pânico instalados em escolas, na estação das barcas, universidades e outros pontos considerados estratégicos para a tomada de ações rápidas entre as forças de segurança da cidade.

A prefeitura informou que do total de câmeras, 50 terão alcance de 360 graus e outras 50 serão analógicas e inteligentes, identificando placas de veículos, que entrem ou circulem pela cidade, através dos cinco portais, também colocados em pontos de interesse para a segurança pública da cidade.

Além disso, carros da Polícia Militar e da Guarda Municipal passarão a ter rastreadores com equipamentos georreferenciados com o objetivo de chegarem mais rápido aos locais de ocorrências. Através das câmeras, ocorrências em andamento ou mesmo alguma suspeita de delitos, serão captadas de imediato emitindo o sinal para o veículo que estiver mais próximo. 

Cerca de 66 guardas-municipais e pessoal administrativo trabalharão em escala no Centro, além de agentes da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, NitTrans, Defesa Civil e Polícia Civil. 

Segundo o prefeito Rodrigo Neves, o gasto com a segurança Pública em Niterói já passou dos R$ 40 milhões. Só o Cisp custou a metade. Além disso, ele garante que todas as entradas e saídas de Niterói serão monitoradas por esses aparatos. Ele destaca que o Cisp transformará Niterói na cidade mais vigiada do Brasil.

Das 400 câmeras, 50 terão alcance de 360 graus e outras 50 serão analógicas e inteligentes


“A prefeitura já fez este ano investimentos de mais de R$ 40 milhões em segurança pública. Eu estou convicto, de que, apesar de ser uma obrigação constitucional do Estado, os municípios devem cooperar e cobrar medidas para a segurança da cidade. Sem dúvida o Centro de Segurança vai ser um dos melhores, com câmeras que vão identificar as placas de veículos roubados, caso entrem na cidade. Essas medidas só são possíveis quando temos o apoio do Governo Estadual”, ressaltou o prefeito. 

Os guardas-municipais que irão operar o Cisp foram treinados pela empresa El Corte Inglês, vencedora da licitação para instalação do sistema de câmeras do Centro.

O coronel Marcus Jardim, secretário de Ordem Pública e comandante da Guarda Municipal, disse que o Cisp dará todo o suporte para a Polícia Militar e para a Guarda Municipal, que terá um papel fundamental neste processo. 

“Todo o esquema de monitoramento foi montado para que sejam ações rápidas entre as forças de segurança evitando vitimizações e com o apoio dos serviços de inteligência na elucidação dos casos. Será sem dúvida uma cidade antes e outra depois do Cisp”, disse o comandante.

O secretário Marcus Jardim confirmou ainda que a Guarda Municipal de Niterói será a primeira entre todas as guardas do Estado que passará a operar com o telefone 153 para chamadas.

“Os três dígitos serão incorporados à mesa de atendimento do Cisp em curto espaço de tempo, ajudando também na rapidez das ações e agilidade de informações e operações”, informou. 

O comandante-geral da Polícia Militar do Rio de Janeiro, coronel Alberto Pinheiro Neto, já visitou as instalações do Centro de Segurança e afirmou que o Cisp trará mais agilidade no atendimento à população.

“A infraestrutura e a tecnologia que serão utilizadas pelo Cisp permitirá uma integração maior das forças de segurança. Este protocolo de integração possibilitará um atendimento mais ágil às demandas da população”, declarou.

2 comentários:

  1. O empreendimento da Segurança Integrada deveria ser adotado no Rio de Janeiro (capital) também!

    ResponderExcluir
  2. Todo mundo quer maior qualidade na segurança pública, mas para melhorar a qualidade será imprescindível melhorar a questão salarial, ou seja, valorizar o Policial Militar com uma remuneração digna. Os Policiais Militares do Rio de Janeiro morrem por um vencimento inferior ao Salário Mínimo Necessário!

    O Salário Mínimo Necessário foi calculado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) em R$ 3.377,62 (três mil, trezentos e setenta e sete reais e sessenta e dois centavos) no mês de Maio de 2015, de acordo com o inciso IV do artigo 7º da Constituição Federal de 1988 ("salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo").

    http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html

    O adicional de periculosidade para profissionais de segurança pública foi aprovado!

    A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 193/15, que garante aos integrantes do sistema de segurança pública de todo o País o adicional de periculosidade. Pelo texto, cada estado vai estabelecer o valor do adicional, desde que observado um percentual mínimo de 30% sobre a remuneração total. Acrescido dos 30% de Adicional de Periculosidade (R$ 1.013,28), o valor do Piso Salarial da categoria deveria ser fixado em R$ 4.390,90 (quatro mil, trezentos e noventa reais e noventa centavos). O menor vencimento deve ser igual ou superior ao referido valor.

    "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER." NÃO HÁ JUSTIFICATIVA PARA OS BAIXOS SALÁRIOS DOS SERVIDORES MILITARES NO RIO DE JANEIRO! POLICIAL MILITAR DESMOTIVADO SIGNIFICA SEGURANÇA PÚBLICA AMEAÇADA.

    ResponderExcluir