sexta-feira, 23 de outubro de 2015

No Batalhão de Choque, tem dia que não tem nem carne nas refeições


Muitos comem arroz, feijão e salsicha, como vem ocorrendo nos últimos dias no Batalhão. O comando da PM confirmou que o motivo de os policiais comerem arroz, feijão e salsicha é a falta de dinheiro.
Em setembro, a verba para alimentação foi cortada. A corporação afirmou que havia frango no cardápio, mas o frango acabou e não foi reposto.


Um comentário:

  1. Todo mundo quer maior qualidade na segurança pública, mas para melhorar a qualidade será imprescindível melhorar a questão salarial, ou seja, valorizar o Policial Militar com uma remuneração digna.

    O salário do Policial Militar é incapaz de atender às suas necessidades vitais básicas (previstas no inciso IV do artigo 7º da Constituição Federal de 1988).

    "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER." NÃO HÁ JUSTIFICATIVA PARA OS BAIXOS SALÁRIOS DOS SERVIDORES MILITARES NO RIO DE JANEIRO! POLICIAL MILITAR DESMOTIVADO SIGNIFICA SEGURANÇA PÚBLICA AMEAÇADA.

    Pelo serviço que presta, um Soldado da PMERJ deveria ter ensino superior (3º Grau) completo e receber um salário de R$ 7.514,33 (sete mil, quinhentos e quatorze reais e trinta e três centavos), para uma jornada de trabalho de até 144 horas mensais.

    ResponderExcluir