terça-feira, 13 de outubro de 2015

PM restringe uso de tablets e smartphones por policiais

Policiais militares que forem flagrados utilizando irregularmente tablets e smartphones em patrulhamento podem ser expulsos da corporação. É o que determina um boletim interno da Polícia Militar, publicado na última sexta-feira. Segundo o chefe do Estado-Maior Geral da PM, coronel Robson Rodrigues, a punição deve ser aplicada nos casos em que a desatenção de um agente, provocada por uso de aplicativos como o WhatsApp ou redes sociais, facilite uma ação criminosa.



— As pessoas precisam se concentrar. A desatenção torna mais fácil a ação dos criminosos. Isso não pode ocorrer com os policiais militares. Ele precisa estar atento ao próprio risco e à segurança das pessoas — afirma o coronel.

O coronel ressalta, no entanto, que cada caso deverá ser analisado individualmente. A partir da abertura de um processo administrativo, a corporação analisa o histórico do policial e a gravidade da situação, levando em consideração a defesa que ele apresentar. As punições variam de penas leves como uma simples advertência até o afastamento do PM.

No boletim, consta que "o uso de smartphones e/ou tablets por policiais militares em serviço de policiamento ostensivo, que desvie o policial de suas atribuições funcionais será considerado falta de natureza grave, devendo ser objeto de fiscalização das supervisões de diversos escalões". As orientações, segundo a PM, prezam pela preservação da vida do policial militar e a otimização do policiamento ostensivo, como a comunicação, a interação com a população, postura e abordagens.

— O uso (de aplicativos de mensagem instantânea) podem ser utilizados para interagir com a população e com o comando, por exemplo. Mas, durante o policiamento ostensivo, a comunicação deve ser realizada por meio de rádio, na qual ela é mais eficaz — orienta o coronel Robson Rodrigues.

PUBLICIDADE
O chefe do Estado-Maior Geral da PM lembra, no entanto, que, caso haja falha no rádio, os aplicativos e redes sociais poderão ser utilizados na comunicação. Nestes casos, o mais experiente da equipe poderá escolher um PM para fazer o uso das ferramentas disponíveis no celular.

— Ele tem a autonomia para autorizar o uso (do aparelho) por um dos membros da patrulha — explica o coronel, ressaltando que os outros devem continuar atentos em suas posições.

A fiscalização da conduta dos PMs será realizada pela supervisão de rotina das unidades. Além disso, a Coordenadoria de Comunicação Social da PM realiza uma campanha para que os policiais evitem a utilização desnecessária dos aplicativos durante o serviço.

4 comentários:

  1. Cmdo-Geral,tem que ver a escala de serviço de 6hs p,melhor qualidade de policiamento.

    ResponderExcluir
  2. ESTÁ CORRETÍSSIMO, O POLICIAL MILITAR NÃO PODE FICAR DESATENTO EM SERVIÇO!

    ResponderExcluir
  3. 6hs,de serviço melhor escala de policiament

    ResponderExcluir
  4. O que é notório, é que logo após a globo mostrar senas de pms acessando as redes sociais, é que foi publicado em tempo recorde essa determinação, nesse caso talvez exista razão na publicação, mas não acho que tenhamos que ser punidos com tanto rigor, já que os maiores prejudicados somos nós mesmos, e em quanto somos vigiados por essa emissora maldita, já vimos vários casos de deputados em plena sessão ordinária, acessando as redes e até vendo vídeos pornôs, como se fossem estudantes do primário desinteressados, isso demonstra o grande desfavor em relação a nós PMs que somos crucificados diariamente por essa emissora e que infelizmente hoje é dona da nossa instituição pois o comandante geral é seu empregado e por isso não temos perspectiva nenhuma de melhoras.

    ResponderExcluir