quinta-feira, 5 de novembro de 2015

CRISE: Salário da PM atrasa, a incerteza do 13º salário e a premiação por metas que não foi paga


Prêmio de até R$ 13,5 mil para a Segurança

A crise financeira do estado está afetando a vida dos funcionários públicos e os planos e coerência das autoridades. No mesmo dia em que o secretário de Fazenda, Julio Bueno, afirmou que não tem certeza se conseguirá pagar o 13º salário dos servidores estaduais e também quando uma falha técnica atrasou em mais de 10 horas o pagamento dos salários de 70 mil servidores, o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, assinou a publicação no Diário Oficial de uma tabela em que promete prêmios de até R$ 13,5 mil para cada policial civil ou militar de 101 unidades das polícias. Serão contemplados 20 batalhões, 68 delegacias, cinco regiões integradas de segurança pública (Risps) e oito unidades especiais.

EXEMPLOS DE UNIDADES
Os prêmios por meta de redução de criminalidade são referentes ao primeiro semestre de 2015. Das 101 unidades, policiais de 53 destas ganharão o prêmio máximo, de R$ 13,5 mil, entre elas o Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRV) e a Delegacia de Roubos e Furtos de cargas (DRFC). Nas outras, os valores vão de R$ 4,5 mil até R$ 9 mil para o Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos (BPGE), da PM, e a Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), da Polícia Civil.

PRIORIDADE UM 
“A probabilidade de pagamento da segunda parcela do 13º é muito elevada. No entanto, como a situação econômica do país é gravíssima, gerando graves problemas para o caixa, eu tenho que ter cautela e não posso fornecer garantias. Mas a determinação número um do governador Pezão é que os pagamentos sejam efetuados em dia”, disse Julio Bueno.

SISTEMA ÚNICO
Sobre queixas de atrasos de salários, Júlio Bueno informou que houve um problema de transmissão de dados entre o estado e o banco onde os servidores têm conta. Segundo ele, há um programa unificando as folhas de pagamento sendo implantado: “Até o fim do ano, vamos implantar um sistema único de pagamento de todo o funcionalismo”.

BOATOS DE ATRASO
Um professor do estado, que pediu anonimato, contou que os boatos de atraso de salário e de que o 13º não seria pago no prazo, até 20 de dezembro, circulam nas escolas desde março. “Pessoas ligadas ao sindicato já antecipavam problemas de falta de recursos para salários desde o fim do ano passado”, relatou.

QUAL É A PRIORIDADE?
A coluna procurou as secretarias de Segurança, de Fazenda e a de Planejamento e Gestão para saber qual a prioridade do Estado do Rio: o 13º ou o prêmio dos policiais? Também foi questionado de onde virão os recursos para cumprir os dois pagamentos. Confira a seguir as respostas enviadas pelos órgãos.

GERAÇÃO DE RECEITA
A Secretaria de Fazenda, em nota, disse que os recursos para o pagamento dos salários virão das receitas extraordinárias que estão sendo geradas através de projetos de lei enviados à Assembleia Legislativa do Rio. De onze, 10 já foram aprovados. As medidas já geraram R$ 11 bilhões, segundo o comunicado.

CALENDÁRIO MANTIDO
Sobre a previsão de pagamento do prêmio aos policiais, a Fazenda disse que era preciso questionar a Segurança mas a Segurança informou que quem saberia era a Fazenda. Questionado após agenda pública, Pezão disse ontem que está mantido o calendário de pagamento dos servidores estaduais.

PAGAMENTO — O secretário estadual de Fazenda, Júlio Bueno, ressaltou que a crise afetou mais o Estado do Rio por causa do forte peso do setor de óleo e gás na economia, porém, o pagamento dos servidores fluminenses tem ocorrido em dia, inclusive no caso da primeira parcela do 13º salário.

3 comentários:

  1. Todo mundo quer maior qualidade na segurança pública, mas para melhorar a qualidade será imprescindível melhorar a questão salarial, ou seja, valorizar o Policial Militar com uma remuneração digna.

    O salário do Policial Militar é incapaz de atender às suas necessidades vitais básicas (previstas no inciso IV do artigo 7º da Constituição Federal de 1988).

    "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER." NÃO HÁ JUSTIFICATIVA PARA OS BAIXOS SALÁRIOS DOS SERVIDORES MILITARES NO RIO DE JANEIRO! POLICIAL MILITAR DESMOTIVADO SIGNIFICA SEGURANÇA PÚBLICA AMEAÇADA.

    Pelo serviço que presta, um Soldado da PMERJ deveria ter ensino superior (3º Grau) completo e receber um salário de R$ 7.514,33 (sete mil, quinhentos e quatorze reais e trinta e três centavos), para uma jornada de trabalho de até 144 horas mensais. Em contrapartida, a Polícia Militar deveria acabar definitivamente com a Promoção de Praças por Tempo de Serviço! As Promoções devem ser conquistadas mediante aprovação em concursos internos para o CFC, o CFS e o CAS.

    ResponderExcluir
  2. Todo mundo quer maior qualidade na segurança pública, mas para melhorar a qualidade será imprescindível melhorar a questão salarial, ou seja, valorizar o Policial Militar com uma remuneração digna.

    O salário do Policial Militar é incapaz de atender às suas necessidades vitais básicas (previstas no inciso IV do artigo 7º da Constituição Federal de 1988).

    "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER." NÃO HÁ JUSTIFICATIVA PARA OS BAIXOS SALÁRIOS DOS SERVIDORES MILITARES NO RIO DE JANEIRO! POLICIAL MILITAR DESMOTIVADO SIGNIFICA SEGURANÇA PÚBLICA AMEAÇADA.

    Pelo serviço que presta, um Soldado da PMERJ deveria ter ensino superior (3º Grau) completo e receber um salário de R$ 7.514,33 (sete mil, quinhentos e quatorze reais e trinta e três centavos), para uma jornada de trabalho de até 144 horas mensais. Em contrapartida, a Polícia Militar deveria acabar definitivamente com a Promoção de Praças por Tempo de Serviço! As Promoções devem ser conquistadas mediante aprovação em concursos internos para o CFC, o CFS e o CAS.

    ResponderExcluir
  3. queria saber quando vão pagar o prêmio pela meta pois não falaram a data.

    ResponderExcluir