sábado, 19 de dezembro de 2015

Integrante da máfia da Saúde da PM criou projeto para apoiar policiais feridos


Acusado de fazer parte da quadrilha que desviou mais de R$ 16 milhões do Fundo Único de Saúde da PM do Rio, Orson Welles da Cruz, ex-funcionário da Secretaria estadual de Governo e membro suplente da Comissão de Ética do PMDB fluminense, criou, em outubro deste ano, um projeto para “atuar junto aos familiares dos policiais militares falecidos e com aqueles que estão afastados em decorrência de licença para tratamento de saúde”. O projeto, batizado Anjo da Família, é assunto de um ofício enviado pelo secretário de Governo, Paulo Melo, ao atual comandante da PM, coronel Alberto Pinheiro Neto. Orson foi exonerado do cargo, na tarde de ontem, após sua prisão.

No documento, de 14 de outubro, o secretário informa ao oficial o celular de Orson para posterior contato e informa que o projeto “visa amenizar a angústia e o sofrimento dos envolvidos, orientando, acompanhando e fazendo a intercomunicação entre os órgãos envolvidos”.



Nenhum comentário:

Postar um comentário