quarta-feira, 30 de setembro de 2015

COMANDANTE DO 32º BPM (MACAÉ) RECEBE SEM TRABALHAR

FONTE: VIA E-MAIL

Policiais militares e bombeiros ficarão fora da reforma da previdência do estado

NOVO PROJETO VAI ESCLARECER

RISCO JURÍDICO 
Segundo o advogado Marcelo Queiroz, do escritório Queiroz e Andrade Sociedade de Advogados, especialista em Direito Militar, sem a segurança no projeto de lei que os militares estão excluídos da reforma, haveria risco de abertura de brechas para a não concessão de alguns tipos de benefícios para pensionistas militares do Estado do Rio. 

DEVER JURÍDICO 
Queiroz declarou que não se trata de um privilégio, mas de um tratamento adequado para os militares, que são a única categoria que tem o dever jurídico de exercer sua função e é submetida a dois códigos penais (comum e militar),e tem um regulamento disciplinar que prevê cerceamento a sua liberdade e é proibida de fazer greve. 

RETIRADA ADEQUADA 
Ainda de acordo com o advogado, o momento é ideal para que o Executivo regulamente uma lei para pensionistas militares. "A medida de retirar os militares estaduais da reforma da previdência é adequada pois, historicamente, a constituição federal e estadual determinam leis específicas para a categoria", destacou Queiroz.

terça-feira, 29 de setembro de 2015

RIOPREVIDÊNCIA: GOVERNADOR retira PL 833/2015 da ALERJ

Texto que altera pensão é retirado

O governo do estado enviou uma mensagem à Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) retirando da Casa o projeto que endurecia as regras de concessões de pensões para dependentes de funcionários públicos. O projeto, enviado no dia 11, com um pedido de urgência na votação, chegou a entrar em pauta na quinta-feira passada, mas foi retirado depois que deputados pediram um prazo maior para apresentar emendas ao texto original.

Entre outros pontos, a matéria restringia o direito à pensão de acordo com a idade da viúva ou do viúvo. Teria direito ao benefício vitalício somente o cônjuge ou o companheiro com expectativa de vida menor ou igual a 35 anos — ou seja, 44 anos, segundo o IBGE. Quem ficasse viúva aos 22 anos, por exemplo, receberia apenas três anos de pensão.

Nos corredores da Alerj, comenta-se que a pressão contraria ao projeto seria grande e não viria somente dos servidores. O texto, que tenta evitar um rombo maior na Previdência, estabelece que não apenas o Executivo, mas o Judiciário, o Legislativo, o Ministério Público, a Defensoria Pública e o Tribunal de Contas do Estado seriam “garantidores das obrigações” do Rioprevidência, o que não teria agradado às partes.

Em nota, o governo do estado informou que o projeto será desmembrado em dois porque tratava de dois assuntos distintos. Informou ainda que novo texto será enviado à Casa.




Pressionando Deputados Estaduais do Rio de Janeiro - REPROVAÇÃO DO PL 833/2015

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

PM vai montar 17 pontos de bloqueio a ônibus nos acessos às praias do Rio

A partir deste sábado (26), com o início da Operação Verão no Rio, um cinturão de segurança vai ser montado no entorno da orla, no Subúrbio e na Baixada Fluminense. De acordo com o coronel Lima Freire, chefe do Estado-Maior Operacional da Polícia Militar, serão montados 17 pontos de bloqueio nas imediações das praias de Ipanema, Leblon e Copacabana e em bairros mais afastados para fazer revistas em ônibus.
Os detalhes da Operação Verão foram definidos em uma reunião realizada nesta quinta-feira (24) no Quartel General da PM e contou com a participação de representantes da Polícia Civil, Guarda Municipal, e órgãos da prefeitura.
Agentes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SMDS) vão atuar junto com a polícia na abordagem aos menores. Nos postos 7 e 9, entre o Arpoador e Ipanema, a secretaria vai instalar tendas para dar assistência às crianças e aos adolescentes.
Segundo o coronel Lima Freire, crianças com até 11 anos e 11 meses que estiverem desacompanhadas por algum responsável serão encaminhadas para abrigos da prefeitura. “Agora a gente vai ter a pessoa que é capacitada para verificar a questão da vulnerabilidade destes menores”, destacou o coronel sobre a atuação dos agentes da SMDS.
“As tropas especiais da PM também vão participar da operação. Homens dos batalhões de Choque, Operação Especial e de Operação com Cães vão reforçar o patrulhamento no fim de semana. O objetivo, segundo o coronel Lima Freire é garantir “o lazer público mais democrático que existe no mundo”, se referindo à praia.

Aparato tecnológico e reforço nas delegacias
Do alto, um helicóptero equipado com câmera de rastreamento vai enviar imagens em tempo real da movimentação na orla para o carro de comando móvel da PM, que ficará no Arpoador, e para o Centro Integrado de Comando e Controle. Com isso, a PM espera poder atuar mais rapidamente quando forem identificados tumultos na orla, com o direcionamento de homens e viaturas para o local.
Ainda segundo o coronel Lima Freire, ficou definido pela Polícia Civil que haverá reforço no atendimento das três delegacias que atendem os bairros de Copacabana, Ipanema e Leblon. Caso o atendimento nestas unidades esteja sobrecarregado, os PMs poderão direcionar a ocorrência para outra delegacia mais próxima.

Governo propõe que benefício vitalício só seja pago a pessoas que, no dia da morte do cônjugue, tenham mais de 44 anos

O  texto de projeto PROJETO DE LEI Nº 833/2015,  não foi votado  nesta quinta-feira na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). O projeto foi retirado de pauta, por ter recebido várias emendas.


Eles percorreram  os gabinetes dos Deputados e principalmente dos Relatores do Projeto protocolando um Ofício reforçando do posicionamento da Associação ABMERJ  contra este Projeto que prejudica os Profissionais de Segurança Pública em Geral.



Reportagem do jornal o dia 

terça-feira, 22 de setembro de 2015

PRIVILÉGIOS PAGOS COM O DINHEIRO PÚBLICO


Na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj),  cada um dos 70 deputados tem direito a um cartão combustível mensal para uso nos carros oficiais, no valor de R$ 2.970. O custo anual chega a R$ 2,4 milhões.
No Tribunal de Justiça do Rio, entrou em vigor, em agosto deste ano, o auxílio-educação para até três filhos de magistrados e servidores, no valor de R$ 953,47 por filho. O tribunal também reembolsou o retroativo aos meses de junho e julho. Até agora, o custo do auxílio foi de R$ 11,4 milhões, um adicional de R$ 3,8 milhões por mês. O benefício já está sendo usado por 5.092 pessoas, sendo 5.081 filhos de magistrados e servidores e 11 magistrados, que têm direito ao benefício enquanto cursarem pós-graduação. O salário bruto de um desembargador é de R$ 30,4 mil.

Outra mordomia dada no Judiciário é o auxílio-celular. Somando os custos com o benefício no Tribunal de Contas da União (TCU), no Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT-RJ) e no Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ), o custo é de R$ 1,3 milhão por ano. Só no TCU, os gastos chegam a quase R$ 1 milhão por ano, ou R$ 82,3 mil por mês. Têm direito ao benefício 104 servidores e 19 autoridades, com cifras variáveis de acordo com o cargo: vão de R$ 465,03 a R$ 1.395,10 por mês. O maior salário do tribunal, sem benefícios, é de R$ 23,8 mil.

Outro auxílio polêmico — e caro aos estados — é o pagamento de pensão a ex-governadores e ex-primeiras-damas. Em abril deste ano, o Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu liminar suspendendo a pensão vitalícia a ex-mandatários do Pará. No ano passado, ex-governadores e ex-primeiras-damas recebem aposentadorias especiais e pensões vitalícias que variam de R$ 10,5 mil a R$ 26,5 mil, a um custo anual de R$ 46,8 milhões.

Leia mais sobre esse assunto: O GLOBO 

domingo, 20 de setembro de 2015

PM do Rio acumula dívida com funerária


A Polícia Militar do Rio deixou de pagar pelos serviços da Funerária Kaf Rio, contratada pela corporação para cuidar dos enterros dos militares mortos em atos de serviço, e acumula uma dívida com a empresa. De acordo com informações da companhia, os pagamentos foram interrompidos em agosto do ano passado, e o débito já chega a R$ 400 mil.
O contrato, que teve início em janeiro de 2014, terminou no fim do ano e não foi renovado. Ainda assim, a funerária continuava prestando serviços para a polícia, com a promessa de que as dívidas seriam quitadas
Segundo informações da corporação, a licitação para contratação de uma nova funerária ainda está em andamento e só deve ser concluída em dois meses. Até lá, cada unidade será responsável pelo gasto com os funerais.

sábado, 19 de setembro de 2015

ATO PELA DIGNIDADE DAS PENSIONISTAS DE POLICIAIS E BOMBEIROS MILITARES DO RIO DE JANEIRO


Para tentar ajustar as contas, o governo do estado enviou à Assembleia Legislativa um projeto de lei para enxugar os gastos. Uma das alterações afeta diretamente o pagamento das pensões por morte, segundo o que já fez o governo federal em junho deste ano.
Se as mudanças forem aprovadas, a pensão vitalícia, só será paga se a companheira ou companheiro do servidor morto tiver pelo menos 44 anos de idade. O benefício passaria a ser pago de acordo com a expectativa de vida. Uma pessoa de até 22 anos de idade, por exemplo, receberia a pensão somente por 3 anos. E só teria direito quem tivesse no mínimo dois anos de casamento ou união estável.
Se aprovado pela ALERJ, o projeto que muda as regras paras pensões só vai valer pra quem for pedir o benefício, não afeta quem já é pensionista.

PARTICIPE DO EVENTO 

ATENÇÃO POLICIAIS E BOMBEIROS MILITARES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, REPASSEM AO MÁXIMO POSSÍVEL!!!

O projeto de lei 833/2015 será apresentado na ALERJ nessa Quinta – Feira, dia 24/09/2015, às 15:00 horas, esse projeto altera as regras do RIO PREVIDÊNCIA de forma que as futuras pensionistas, que tiverem menos de 44 anos, não tenham mais direito a pensão vitalícia, igualando o RIO PREVIDÊNCIA ao INSS nesse quesito.

Senhores, dificilmente uma pessoa que dependia totalmente do esposo/esposa militar terá condições de entrar no mercado de trabalho, por exemplo, com 43 anos de idade, sendo então tal projeto de lei DESUMANO.

Somente com LUTA o projeto 833/2015 de autoria do poder executivo não será aprovado, por isso Quinta – Feira, dia 24/09/2015, a partir das 09:00 horas da manhã faremos um ato público pacífico em frente a ALERJ e procuraremos TODOS os Deputados, para que ouçam nossa reivindicação e digam NÃO ao projeto de lei 833/15.

Por isso VOCÊ, Policial e Bombeiro Militar de toda a parte do Estado do Rio de Janeiro, compareça à ALERJ e demonstre sua insatisfação.
Sua atitude de hoje irá refletir na dignidade da sua família amanhã, NÃO VAMOS PAGAR A CONTA DE UMA CRISE QUE NÃO CRIAMOS.
JUNTOS SOMOS FORTES E NEM UM PASSO DAREMOS ATRÁS, DEUS ESTÁ NO CONTROLE!!!

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

A quem interessa essa sórdida e permanente campanha de desmoralização do deputado Cabo Daciolo?


DIREITO DE RESPOTA:

A Swell Home Office é um Empresa da minha família, fundada em 2009, especializada em Tecnologia da Informação e em Segurança Pública.

Desde 2011 a Swell aparece no site SOSBOMBEIROS, o original, pelo fato de ser um dos fornecedores de conteúdo do site.
Desde 2012 a Empresa vem trabalhando com o Cabo Daciolo, desde que este era um excluído da Corporação. Passamos por longos períodos sem recurso algum, mas sempre oferecemos o suporte em internet e na geração de conteúdos, até a posse do Deputado Cabo Daciolo.
Depois de eleito, havia a possibilidade do Cabo Daciolo contratar uma empresa de Tecnologia da Informação, e como nós já fazíamos este trabalho desde 2012, foi subconseqüente a contratação do Mandato aos serviços da Swell Home Office.
A Empresa aparece no site transparência da Câmara Federal, está totalmente legalizada e cumpridora dos seus deveres fiscais.
A notícia publicada pelo jornalista sensacionalista, famoso pelo caso do Senador Romário, não trouxe nenhuma novidade, nenhuma ilegalidade, nenhuma imoralidade, já que os preços praticados são de acordo com o mercado de internet.
Fica aqui o meu questionamento: o alvo é a empresa, sou eu, ou o mandato do Cabo Daciolo?
Cláudio Vinicius -  Sargento BM



quinta-feira, 17 de setembro de 2015

BELTRAME ANUNCIA TRANSFERÊNCIA DE 240 POLICIAIS PARA O INTERIOR

O secretário de Estado de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, afirmou que, na próxima semana, 240 policias militares que atuam na capital serão transferidos para os seus municípios de origem no interior. O objetivo é atender a um antigo pleito da categoria. 
Os agentes que trabalham na capital e moram no interior reclamam que, por causa dos horários de trabalho e descanso, não conseguem voltar para casa. Os 240 policiais foram escolhidos entre os que estão trabalhando há mais tempo na capital.”




Estagiário vai ganhar mais que soldado na Polícia Militar do Rio



Em tempos de crise econômica e contenção de gastos do governo, a Polícia Militar do Rio está oferecendo uma vaga de estágio bem atrativa: o escolhido para trabalhar no Escritório de Gestão de Projetos do Estado-Maior da corporação irá receber R$ 2.400 para dar expediente apenas no período da manhã. O valor é maior que o recebido por PMs em começo de carreira, com vencimentos entre R$ 1.500 e R$ 2.000. É também superior ao previsto para aprovados em concurso, ainda em andamento, que pagará inicialmente cerca de R$ 2.300 após o treinamento no curso de formação de soldados.  

A vaga é nova na PM e se destina a estudantes de qualquer período de Ciências Sociais ou Relações Internacionais. Deseja-se apenas conhecimentos dos “pacotes básicos de computação” e “interesse na área de gestão pública”. O estagiário trabalhará quatro ou seis horas por dia, após processo seletivo que levará em conta apenas o currículo do candidato e entrevista com o gestor. 

Em nota, a PM informou que “os critérios para preenchimento das vagas estão sendo definidos”. A corporação não se pronunciou sobre o fato de o salário previsto para o estagiário ser maior do que o de militares.

Presidente da Associação de Praças da PM, Vanderlei Ribeiro considerou alto o salário dos estagiários e defendeu mudanças. “Esse tipo de estágio é bom para o aluno apenas financeiramente. Por que a PM, que precisa se reestruturar, paga um valor desses?”, questionou. 

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Base da PM no Complexo do Alemão.


Além dos sacos de areia, a barricada também foi feita com um telhado improvisado de alumínio para proteger os agentes da chuva que atingiu a cidade nos últimos dias. A trincheira foi instalada em um dos acessos da localidade conhecida como Fazendinha ( Complexo do Alemão) , próximo à rua Canitá, em frente ao espaço cultural da comunidade.

LEIA A REPORTAGEM AQUI

Rioprevidência vai chamar 32 mil pensionistas viúvas de servidores do estado


O Rioprevidência vai chamar 32 mil pensionistas viúvas de servidores do estado a partir de outubro deste ano. O órgão está fazendo um pente-fino nos benefícios concedidos para tentar reduzir o déficit do governo e já cancelou cinco mil pensões pagas irregularmente a filhas ou filhos de funcionários estaduais.
A economia de 2012 — quando o recadastramento começou — até hoje foi de R$450 milhões. Além da devassa na folha, que custa aos cofres mais de R$ 16 bilhões ao ano, o governo de Luiz Fernando Pezão lançou a ofensiva na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

O Executivo enviou à Casa o Projeto de Lei do 833/2015, para restringir as concessões de pensões por morte. O objetivo é igualar as regras às do INSS. De acordo com o texto, somente terão direito ao benefício vitalício aquelas que, no dia da morte do cônjuge ou companheiro, tiverem, pelo menos, 44 anos de idade (com uma expectativa de vida menor ou igual a 35 anos, com base em tabela de mortalidade do IBGE).

A proposta estabelece seis faixas: beneficiárias mais jovens terão direito a menos tempo de pensão. Quem ficar viúva aos 22 anos receberá o benefício por apenas três anos. Hoje, há 18 mil pensionistas (cerca de 20% do total de beneficiárias no estado) com menos de 44 anos de idade. Mas as medidas não valem para os benefícios já em vigor, por se tratar de direito adquirido. Qualquer mudança somente afetará aqueles concedidos após a promulgada a lei.

A mensagem propõe ainda um prazo mínimo de dois anos de casamento ou de união estável para que cônjuges ou companheiros possam ter direito à pensão. Além disso, o benefício só será liberado se o funcionário morto tiver feito, pelo menos, 18 contribuições ao Rioprevidência. Não haverá esta exigência se a morte ocorrer por acidente ou doença profissional. Outra ideia seria restrigir as pensões aos dependentes até 21 anos, mesmo que estejam cursando a universidade.

A expectativa de economia no primeiro ano é de R$ 19 milhões, quando todas as beneficiárias estiverem sob a nova regra. O relator do projeto na Alerj será o deputado Edson Albertassi (PMDB), líder do governo. Ele é presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O deputado Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PSDB) estima que rombo no Rioprevidência seja de R$ 9 bilhões em 2016, por causa da queda na arrecadação de royalties, participação especial e adiantamentos pedidos pelo governo. Hoje, o Rioprevidência tem 213 mil beneficiários na folha.

Juiz nega ação de desacato a PMs


O juiz André Vaz Porto Silva, titular da 1ª Vara Criminal da Comarca de Barra Mansa, no Sul do Estado do Rio, se inspirou numa música da banda de rap-metal americana Rage Against the Machine, conhecida por suas letras de protesto, para absolver um réu dos crimes de desacato e desobediência. Na epígrafe — frase geralmente usada no início de um livro para resumir ou situar o leitor — da decisão, o magistrado escreveu: “Fuck you/ I won’t do what they tell me” (Foda-se, não vou fazer o que você manda, em tradução livre).

Na ocasião, o réu Welington André Ferreira era acusado por dois policiais de “ter se recusado a obedecer ordem dos PMs no sentido de encostar na parede para ser revistado, e por tê-los desacatado ao dizer ‘vão se foder, eu conheço meus direitos, vão tomar no cu, seus filhos da puta’”.

O juiz não se convenceu com os depoimentos dos PMs, que, segundo ele, apresentava inconsistências. “Constato que a ordem emanada dos policiais — para que o acusado assentisse com sua revista pessoal — revestiu-se de duvidosa legalidade”, escreveu o magistrado, para depois completar: “Regras corruptas não merecem obediência”.
André Vaz Porto Silva ainda cita na decisão um informe da Comissão Americana de Direitos Humanos (CADH) e alega que a tipificação de crime de desacato “viola a liberdade de expressão tutelada pela CADH” para, em seguida, finalizar: “faz-se mister afastarmos de nosso jardim os obstáculos que impedem o sol e a água de fertilizar a terra, pois logo surgirão plantas de cuja existência eu sequer suspeitava”

Réu já foi condenado por tráfico

O réu absolvido pelo magistrado de Barra Mansa já havia sido condenado pelo crime de tráfico de drogas na mesma comarca. Em 2008, Welington André Ferreira foi condenado a seis anos e seis meses de prisão, após ser preso tentando vender cocaína para dois compradores no município do Sul Fluminense. Quando foi preso por dois policiais, Welington ainda tentou fugir e jogar fora os sacos com cocaína.

Em depoimento na delegacia, Welington alegou que foi vítima de um “flagrante forjado”: “antes da abordagem, os policiais teriam ido até uma bolsa e lá teriam pego a droga que está acusando o depoente como sendo o seu dono; que é usuário de cocaína; que no dia dos fatos tinha usado droga, mas não tinha nenhuma em seu poder”, afirmou. Entretanto, a tese não foi aceita em juízo.

Na decisão de agosto, o magistrado argumentou que as abordagens policiais têm motivações “racistas e classistas”: “essa espécie de procedimento, como informam as próprias regras de experiência, marcam o dia a dia da atividade policial, visto materializarem a incidência seletiva do sistema penal em termos de criminalização secundária por seus critérios tipicamente racistas e classistas”.

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Cerca de 19 mil policiais civis e militares passarão por qualificação

Para capacitação e qualificação de policiais civis e militares, a Secretaria de Segurança receberá R$ 1.585.300 por meio de uma parceria firmada com a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). A transferência dos recursos foi autorizada pela Mesa Diretora da Alerj, publicada no Diário Oficial da semana passada. Serão beneficiados cerca de 19 mil policiais.



O repasse será destinado aos programas de educação, valorização profissional e prevenção à violência como seminários de capacitação profissional, material didático para os cursos de formação de soldados da Polícia Militar e de agentes da Polícia Civil, em pesquisas, na organização e realização da primeira Semana de Convivência e Segurança Cidadã, prevista para novembro, entre outras ações.

“A parceria é muito importante para a prevenção da violência, especialmente voltada para os jovens e suas famílias, e para legitimar as ações da polícia de proximidade nas comunidades onde atuam no enfrentamento da criminalidade, a partir da convivência cidadã”, afirmou o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame.

O subsecretário de Educação, Valorização e Prevenção, Pehkx Jones da Silveira, é importante fortalecer os laços de convivência entre a comunidade e os profissionais de Segurança.

“A partir de pesquisas realizadas identificamos a necessidade de investir ainda mais em estratégias que fortaleçam os laços de convivência e segurança cidadã entre os operadores da segurança pública e a comunidade onde atuam”, disse o subsecretário.

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Guardas Municipais punidos por reivindicarem melhorias tentam reverter punição


Os agentes da Guarda Municipal do Rio (GM-Rio) que foram punidos por reivindicarem melhorias, como salários e segurança, estão sendo defendidos pelo Sindicato dos Servidores Públicos do Município do Rio de Janeiro (Sisep-Rio). O diretor jurídico do Sisep-Rio, Frederico Sanches, diz que, se preciso, irá à Justiça para reverter as punições.
"Ninguém pode ser punido se não tem os instrumentos necessários de trabalho", afirmou Sanches, que dará assistência jurídica ao lado da advogada Vanessa Palomanes nos Tribunais. Alguns agentes foram punidos com 16 a 90 dias, apesar dos julgamentos dos atos administrativos não terem terminado.

No final de janeiro de 2014 os guardas em período probatório não foram para as ruas por falta de segurança e foram considerados inaptos. Agora levaram suspensão. De acordo com o Sisep-Rio, a punição se deu porque o atual Inspetor Geral era o Diretor de Operações da época, e se sentiu afrontado por não conseguir colocar os GMs na rua. "Ocorre que os GMs não foram para a rua com medo, pois apanharam e muito dias antes", disse Frederico Sanches. 

"Estamos defendendo os servidores, e se não mudarmos a decisão administrativa iremos defendê-los judicialmente contra esses atos truculentos que são as punições. Vemos necessário que a GM-Rio pare de punir os guardas que reivindicaram por melhorias salariais e segurança como fizeram com centenas de guardas", acrescenta o diretor jurídico do Sisep-Rio.

domingo, 13 de setembro de 2015

Justiça do Rio proíbe ações da PM para apreender adolescentes em ônibus


A Justiça proibiu as ações da Polícia Militar (PM) para apreender adolescentes a caminho da praia sem que haja flagrante de crime. As operações vinham ocorrendo desde o início do ano. Os ônibus eram parados durante o trajeto e os jovens retirados e apreendidos.
A decisão foi tomada  na quinta-feira (10) pelo juiz Pedro Henrique Alves, da 1ª Vara da Infância, da Juventude e do Idoso da capital. A determinação atende parcialmente ao pedido de habeas corpus preventivo impetrado pela Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro contra atos da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV) e da Delegacia de Proteção da Criança e do Adolescente (DPCA).

Durante audiência especial, o juiz se reuniu com representantes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SMDS), das polícias Civil e Militar, dos Conselhos Tutelares, do Ministério Público e da Defensoria Pública. No encontro, foi apresentado um documento que estabelece ações integradas entre as instituições.

O magistrado determinou também que os delegados da DCAV e da DPCA informem mensalmente ao juízo os registros dos adolescentes apreendidos sem flagrante e que as entidades de acolhimento enviem relatório no prazo de 24 horas com os nomes dos jovens.

No documento que prevê o trabalho conjunto entre as instituições públicas, a PM se comprometeu a instalar um Centro de Comando e Controle Móvel Local no Arpoador, na Praia de Ipanema, monitorar delitos na orla das praias através do setor de inteligência e só fazer buscas em ônibus quando houver necessidade.

A Polícia Civil informou que vai implantar um posto móvel no Arpoador, próximo à unidade da PM, para facilitar a verificação de antecedentes criminais e mandados de prisão ou de busca e apreensão em aberto.

As informações foram divulgadas em nota publicada na página do Tribunal de Justiça na internet. (ABr)

Labradora é uma das apostas da PM para farejar explosivos nos Jogos de 2016


A labradora acima é uma das armas da PM contra possíveis atentados a bomba na Rio 2016. Filha da cadela Kate Mahoney e de Boss — o maior farejador de drogas da história do Batalhão de Ações com Cães da Polícia Militar —, Cleo  vai trabalhar nas Olimpíadas ao lado de seu irmão, batizado de Chefe. De uma ninhada de oito cachorrinhos, só Cleo e Chefe herdaram o talento do pai: ela fareja explosivos e ele tem o faro aguçado para as drogas. São os xodós dos policiais.

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Degase, superlotado, precisa de 800 vagas


Presidente da instituição afirma que será preciso construir dez novas unidades no Estado
O presidente do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase), Alexandre Azevedo de Jesus, informou, em audiência pública da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) nesta quarta-feira (9), que a instituição precisa construir dez novas unidades no Estado para garantir um funcionamento satisfatório. “Trabalhamos com um déficit de 800 vagas”, disse. Tem aumentado muito o número de apreendidos. No feriado de 7 de setembro, chegamos a ter 210 jovens apreendidos em todo o Estado – há quatro anos, a média era de 11 jovens por dia.”

Niterói, São Gonçalo, a Baixada Fluminense e as Regiões Serrana e dos Lagos precisam urgentemente de novas unidades, ressaltou Azevedo. “Além da superlotação, os adolescentes precisam ficar perto de seus familiares, isso contribui muito para reinserção na sociedade. Muitos ficam longe da família, internados nas unidades da capital por falta de vaga”, explicou. O ideal, prosseguiu, seria ter até 90 jovens em cada unidade – e não 150, como hoje.

A defensora pública Eufrásia Maria Souza das Virgens disse que muitos juízes têm aplicado medidas socioeducativas mais severas, o que, para ela, resulta na internação excessiva no Degase. “Isso tem relação direta com a superlotação nas unidades”, afirmou. 

O assunto será discutido em audiência conjunta das Comissões de Educação e de Direitos Humanos, anunciou o presidente da Comissão de Educação, deputado Comte Bittencourt (PPS). “Vamos chamar representantes do Tribunal da Justiça, do Ministério Público e da Defensoria Pública para debater o tema”, informou Comte. 
O retorno dos jovens egressos do Degase às escolas municipais também é um dos problemas enfrentados pela instituição. “Vamos convidar a Seeduc para debater, em 14 de outubro, projeto pedagógico próprio do Degase”, disse Comte. 

Segundo Azevedo, a instituição trabalha com o mesmo sistema de ensino aplicado na rede estadual. Porém, grande parte dos jovens apreendidos cursa o ensino fundamental gerenciado pelos municípios. “Esse número é alarmante, cerca de 95% desses jovens estão no ensino fundamental”, afirmou o deputado Marcelo Freixo (PSol), presidente da comissão de Direitos Humanos, também presente.  “Quando esse aluno retorna à escola, ele enfrenta dificuldade em identificar o ano que deve cursar. Dentro do Degase, usamos módulos em que o aluno cursa duas séries em um único ano”, explicou Azevedo. O mesmo não acontece nas unidades da rede estadual, onde o aluno é inserido automaticamente”.

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Após desvio de quase R$ 8 milhões, Hospital da Polícia fecha 70 leitos


A sangria de aproximadamente R$ 8 milhões imposta por oficiais da Polícia Militar nas unidades hospitalares da corporação  no fim do ano passado pode levar ao fechamento do Hospital Central da PM (HCPM), no Estácio.

A denúncia foi feita pelo diretor do Sindicato dos Médicos do Rio, José Alexandre Romano, que nesta quarta-feira à tarde receberá cerca de 80 médicos residentes do hospital para tratar do fechamento de 70 leitos e dois centros cirúrgicos do HCPM.

Segundo José Alexandre Romano, devido às fraudes nas unidades hospitalares, diversos contratos foram suspensos e, há cerca de quatro meses, aproximadamente 150 técnicos de enfermagem perderam o emprego. Atualmente, com os 70 leitos fechados e 84 residentes sem função, o HCPM teria de fechar as portas.

“Existem alguns problemas. O primeiro foi o escândalo da máfia e, consequentemente, os contratos que foram descontinuados. O segundo é que dentro da corporação há interesse neste caos para que a administração do hospital seja entregue a algum plano de saúde. É lobby descarado”, acusa José Alexandre Romano.
Ainda de acordo com o diretor do Sindicato dos Médicos, cada policial poderá ter entre R$ 300 e R$ 400 descontados de sua folha de pagamento com uma assistência de saúde privada.

“Sem falar na queda de qualidade do serviço prestado ao policial, e também aos familiares do policial, uma vez que os hospitais atendem à toda a família”, lembrou Romano. O bom serviço prestado no Hospital Central da Polícia Militar também é exaltado pelos médicos residentes, que temem por uma má formação profissional.

“Eu gostaria de concluir o programa onde eu comecei. Aqui o serviço funciona e é de boa qualidade. Já estou há um ano e meio no HCPM, se eu ‘cair de paraquedas’ em um novo serviço, não vou conseguir ter uma boa formação”, disse uma médica residente, que preferiu não se identificar.

Atualmente, as cirurgias de emergência, oncológicas e de fraturas ortopédicas estão mantidas, mas com número reduzido devido à precariedade do hospital.

“Espero que o governo se sensibilize com a questão e faça os pagamentos necessários para que o hospital volte a funcionar. Esta é a posição do Sindicato dos Médicos”, completou Romano.

A assessoria de imprensa da PM informou, por email, que 196 leitos estão em funcionamento normal e 24 leitos estão temporariamente fechados. Quanto aos centros cirúrgicos, três estão em funcionamento normal e dois estão inoperantes.

O Diretor Geral de Saúde, Coronel Arthur Baeta, reconheceu que o fechamento dos leitos se deveu pelo término do contrato do quadro suplementar de técnicos de enfermagem, mas garantiu que o comando do Hospital já incluiu no plano orçamentário de 2016 um concurso para suprir as necessidades da área de saúde.

ARMAS E COLETES DE USO INDIVIDUAL PARA POLICIAIS MILITARES DO RIO DE JANEIRO


O Deputado Federal Cabo Daciolo disponibilizou o valor de R$ 1.500.000,00 (a verba de gabinete disponível para investimento em repartições públicas) para a compra de armas de uso restrito e coletes individuais para os Policiais Militares do Estado do Rio de Janeiro. As armas e coletes serão acauteladas para uso durante a folga dos Policiais Militares.

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Policiais militares aderem ao CrossFit para manter a forma


Desenvolvido para treinar oficiais da polícia americana, o CrossFit se tornou o principal programa de treinamento e condicionamento físico de diversas forças policiais e militares pelo mundo. No Brasil, trilhou um caminho inverso, conquistando primeiramente adeptos entre a população civil.

Agora, a modalidade chega pela primeira vez a uma unidade militar brasileira, o Batalhão de Ações com Cães (BAC) da Polícia Militar, pioneiro no país por se filiar ao CrossFit internacional. Os benefícios já podem ser percebidos nos testes de aptidão física realizados em seu efetivo.

O treino combina exercícios de força, flexibilidade, potência, equilíbrio, resistência cardiorrespiratória e muscular, agilidade e precisão. Cerca de 170 policiais já aderiram às atividades que acontecem na academia e no campo, que ficam na sede do BAC, em Olaria, sob supervisão do soldado Alexandre Gurgel. Formando em Educação Física, ele é um dos 20 profissionais no Brasil que possui a certificação Level 2 do CrossFit. “O treinamento foi adaptado para a atuação com os cães e permite trabalhar melhor o condicionamento dos policiais”, disse o treinador.

Condicionamento – Os resultados já puderam ser medidos no teste de aptidão física realizado nos policiais do BAC.  A avaliação inclui corridas de 100 metros e de 12 minutos, execução máxima de barras fixas e execução máxima de abdominais em 1 minuto.

Integrante do BAC desde janeiro, o soldado Erick Moreira, de 25 anos, praticava corrida e musculação há 10 anos. Com o CrossFit viu seu rendimento disparar. “Hoje, consigo fazer mais barras fixas, correr maiores distâncias e percorrer as comunidades com um desgaste menor. É um treino motivador e dinâmico”, afirmou o soldado.

domingo, 6 de setembro de 2015

Festa do PCC em penitenciária feminina de São Paulo tem cocaína e maconha




Vídeo mostram dezenas de presas de uma penitenciária de São Paulo comemorando com cocaína, maconha e cantoria o aniversário de 22 anos do PCC (Primeiro Comando da Capital), apontado pelo Ministério Público Estadual como a maior facção criminosa do Brasil.

Segundo agentes penitenciários, as imagens foram gravadas com telefone celular no último final de semana na Penitenciária Feminina de Santa'Ana, no Carandiru, zona norte da capital, e apreendidas por um funcionário do presídio. Os funcionários reclamam que não há scanner corporal para visitas no presídio, o que poderia evitar a entrada de celulares e drogas.

Nas imagens do vídeo com maior tempo de duração, de 47 segundos, as presidiárias aparecem batendo palmas e cantando “é o 15, é o 15, é o 15”. O número 15 é como os integrantes do PCC se referem à facção criminosa. A organização usa a numeração 15.3.3 para se referir ao grupo. O 15 corresponde à letra P, a 15ª do alfabeto, e o 3, à letra C, a 3ª do alfabeto.

Boa parte das detentas veste calça amarela ou bege e camiseta branca, cores do uniforme usado pela população carcerária nos presídios paulistas.

O mesmo vídeo mostra ainda uma espécie de bandeja na qual aparece escrito, supostamente com cocaína, a frase  “PCC – 15.3.3 - 22 anos”. O PCC completou 22 anos na última segunda-feira: foi fundado por oito presos em 31 de agosto de 1993, na Casa de Custódia e Tratamento de Taubaté, no Vale do Paraíba.

Ao lado da bandeja, colocada sobre uma mesa, está uma presidiária. Ela faz um breve discurso. Diz que a quantidade de droga obtida para a festa é pouca e que cada baseado (cigarro de maconha) deveria ser fumado por três detentas e pede às presas para que formem seus grupinhos.

Afirma ainda que não havia dado tempo de fazer o bolo de aniversário do PCC. Sentada à mesa, uma outra presidiária surge preparando as carreiras de cocaína com a carta de um baralho, um dois de copas.

O outro vídeo tem 27 segundos de gravação. As imagens mostram duas presas usando uma caneta para cheirar uma carreira de cocaína. A gravação traz a conversa de uma detenta com as amigas. Ela diz: “É gente, vai cheirando. Você vai bater na bandeja”. 

sábado, 5 de setembro de 2015

DEPUTADO CHAMA BELTRAME DE COVARDE

Aos 23 anos e apenas sete meses deles na Assembleia do Rio, o deputado Jorge Felippe Neto (PSD) foi ao plenário, nesta quinta-feira (03), expor sua insatisfação com a fragilidade e desvalorização do parlamento.



"Sinto vontade de rasgar o diploma (de deputado) diante do que eu tenho visto. Tenho vontade de sair por aquela porta e não voltar, porque estou chegando à conclusão de que não é o lugar de gente séria", desabafou.

Dizendo-se "triste" por integrar a base do governo, o moço não poupou críticas ao secretário de segurança, José Mariano Beltrame, a quem chamou de "covarde".

"É um secretário que não chama para si a responsabilidade. Liga-se para o secretário, emergência, ou não, e ele não atende. Ele manda o “cocô do cavalo do bandido” atender, e por e-mail. Faz o que quer. Enrola o governador, enrola deputado, enrola todo mundo", reclamou.

Jorge Felipe Neto citou ainda que a população acha a Assembleia do Rio desnecessária e pediu que os colegas - que não eram muitos ouvindo o desabafo - façam uma autocrítica.

"Mais da metade da população já acha desnecessário o Parlamento. E é! E porque não se dá valor. Sinto-me indigno desse mandato, indigno! Estou com vergonha. Não só eu. Não temos aqui, muitas vezes, autocrítica para pensar em sermos mais valorizados. Ser governo não é ser capacho".

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Beltrame leva a Brasília proposta de pena maior para porte de fuzil


O secretário de Segurança do Estado, José Mariano Beltrame, esteve ontem em Brasília para entregar à bancada do Rio de Janeiro na Câmara dos Deputados uma série de propostas para combater o crime organizado. 
As principais sugestões são o agravamento da punição para portadores de armas de guerra e a manutenção por mais tempo nas cadeias de criminosos de alta periculosidade. 
A idéia é dobrar para 12 anos a pena máxima para quem for pego com armamento de guerra. Beltrame decidiu levar a proposta ao Congresso depois que a Polícia Militar apreendeu um fuzil .50, arma de guerra com alto poder de destruição, no mês passado. 
"Tem que cobrar a polícia, mas temos que ver urgentemente no país, não só no Rio, a questão da violência urbana. Ela está desenfreada, sem limite no país inteiro", disse o secretário Beltrame.

PM ferido durante perseguição consegue cirurgia depois de campanha nas redes sociais

Um policial militar que ficou ferido durante uma perseguição policial foi operado nesta quarta-feira (2). Ele estava no Hospital Central da Polícia Militar, que não tinha estrutura para atender o agente. A cirurgia só foi possível depois de uma campanha iniciada nas redes sociais por familiares do policial.

 

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Servidores do Degase protestam em frente ao Palácio Guanabara


Servidores do DEGASE realizaram uma manifestação na tarde desta terça-feira(01). O protesto teve início na estação do Metrô Largo do Machado, que seguiu para uma Assembleia Geral e em seguida teve marcha até o Palácio Guanabara.

Faixa da Rua Pinheiro Machado, em Laranjeiras, na Zona Sul do Rio foi interditada no sentido Botafogo. O ato estava marcado para 16h  foi convocado pelo Sindicato dos Servidores (Sind-DEGASE),  que tem como objetivo protestar a falta de diálogo do Governador do Estado.
No dia 15 de junho foi realizada uma reunião entre o Governador do Rio, Luiz Fernando Pezão e representantes do sindicato, prevista para o mês de agosto um novo encontro, logo após do sindicato dos professores(SEPE), que estava previsto para dia 25/08.

A promessa em reunião de abril era que a Secretaria de Educação seria a única que teria um reajuste salarial este ano e que não poderia  criar uma Secretaria Específica para o órgão, sendo um dos itens das reivindicações dos servidores, por enxergar o Departamento como  educação, uma visão  que não  está de acordo com os  funcionários.

Ainda esta tarde de terça-feira(01) o presidente do sindicato foi recebido pelo chefe de gabinete do governo Maria Auxiliadora Pereira. Haverá uma nova Assembleia Geral de categoria, na próxima quarta-feira(09), na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio em frente a direção do órgão.

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Projeto de hidroterapia da UPP Rocinha ajuda a terceira idade da comunidade


 ​Cerca de trinta e sete moradoras da Rocinha participam de aulas de hidroterapia, no Complexo Esportivo da comunidade em São Conrado, na Zona Sul do Rio. As alunas também fazem ginástica laboral, que acontece na localidade conhecida como Roupa Suja. As atividades fazem parte do “Projeto Viva bem – Terceira Idade”, criado há três meses pelos policiais da UPP Rocinha. A ideia partiu dos soldados Fernanda Gomes e Leonardo Mello, que são professores da ação social esportiva. As aulas acontecem três vezes na semana. Os interessados podem procurar a base da UPP.

Transferência de PMs para nova cadeia é adiada






PM de Niterói que estava desaparecido é localizado em Três Rios


Segundo a PM o agente sofreu um transtorno mental e não se lembra como chegou no interior do estado


O soldado da Polícia Militar, Dângelo de Matos, de 34 anos, lotado no 12º Batalhão de Niterói, foi encontrado na madrugada deste domingo em Três Rios, no interior do estado do Rio. O policial foi localizado por volta de 2h, após pegar uma carona com um caminhoneiro e pedir ajuda para agentes do 38º BPM, alegando perda de memória. Dângelo estava desaparecido desde a última sexta-feira (28), quando foi visto pela última vez em um evento sobre motocicletas, no bairro da Trindade, em São Gonçalo, e seguiu para o bairro Fonseca, na Zona Norte de Niterói.   

Segundo a PM, o soldado sofreu um transtorno mental e não se lembra de como chegou ao interior do estado. O carro de Dângelo, um Passat preto de placa KNB 9587, ainda está desaparecido. Na tarde deste sábado, a policia descobriu que o veículo do soldado passou pelo pedágio da BR-040, na altura de Xerém, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, ainda pela manhã. Ainda segundo os agentes, o automóvel já havia realizado o mesmo trajeto há duas semanas atrás. 

O comandante do 12º BPM (Niterói), coronel Fernando Salema, enviou uma viatura para buscar o soldado e garantir a integridade física e mental do policial.