domingo, 31 de janeiro de 2016

Funcionalismo estadual vai às ruas nesta quarta-feira (3).


Mudança na data de pagamento, parcelamento da segunda metade do 13º salário, aumento da contribuição previdenciária de 11% para 14%, alteração na regra da pensão e falta de reajuste salarial estão entre os muitos motivos que vão levar os servidores estaduais às ruas na próxima quarta-feira às 15 horas, nas escadarias da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). O movimento é unificado e tem apoio de todos os sindicatos, incluindo da Saúde, Educação, Segurança e do Poder Judiciário.
“Vamos às ruas porque merecemos ser tratados com respeito pelo governo. Não somos culpados pela má gestão do estado e é necessário destacar que o movimento é dos servidores, exclusivamente dos funcionários públicos que estão sendo alvo de diversas mudanças sem qualquer negociação prévia com as categorias”, comentou o integrante da coordenação do SindJustiça, Alzimar Andrade.
Para contar com o apoio do pessoal das escolas da rede, o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação aprovou em reunião do conselho deliberativo uma paralisação de 24 horas na próxima quarta-feira. Não haverá assembleia neste dia, a greve no dia 3 é para que todos os profissionais da Educação tenham a possibilidade de acompanhar a manifestação. O Sepe promoverá sua assembleia no dia 20 de fevereiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário