segunda-feira, 7 de março de 2016

Audiência pública sobre o "pacote de maldades" contra os servidores públicos, apresentado pelo Governador:

O Projeto de Lei Complementar (PLC) 18/16 prevê, entre outras medidas, o aumento da contribuição previdenciária dos servidores de 11% para 14% e a contribuição patronal de 22% para 28%. A proposta também vincula o reajuste de salários ao crescimento da arrecadação estadual. E muda o calendário de pagamento para o 7º dia útil.



Um comentário:

  1. NÃO PRECISA SER GÊNIO PARA VER QUE NÃO DÁ PARA AUMENTAR A CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA DOS POLICIAIS MILITARES, POIS OS SALÁRIOS ESTÃO MUITO BAIXOS!

    Os direitos constitucionais dos Policiais Militares do Rio de Janeiro estão sendo desrespeitados, pois a remuneração dos Soldados está em desacordo com o Inciso IV do Artigo 7º da Constituição Federal de 1988. O Soldado da PMERJ tem um Vencimento abaixo do Salário Mínimo Necessário, que foi estimado pelo DIEESE no valor de R$ 3.795,24 (três mil, setecentos e noventa e cinco reais e vinte e quatro centavos), ou seja, tem uma remuneração incapaz de atender às suas necessidades vitais básicas. A questão salarial impacta diretamente na autoestima dos Policiais e na valorização das Polícias. POLICIAIS MILITARES DESMOTIVADOS SIGNIFICA SEGURANÇA PÚBLICA AMEAÇADA.

    Nas sociedades capitalistas é comum que o valor de um indivíduo seja aferido através do seu poder de compra, e isso tem muito a ver com seus rendimentos – a quantidade de dinheiro que ele consegue adquirir em determinado espaço de tempo. Não é à toa que, falando de valorização dos policiais brasileiros, sempre se remete à questão salarial como um problema sério, pois além de garantir elementos essenciais para a sobrevivência, “ganhar bem” concede ao profissional um posicionamento social de relevância. Todo mundo quer maior qualidade na segurança pública, mas para melhorar a qualidade será imprescindível melhorar a questão salarial, ou seja, valorizar o Policial Militar. QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER.

    A PMERJ pode reclamar bastante dos seus vencimentos, pois são inadequados para as funções exercidas. Os baixos salários desmotivam a tropa e criam desinteresse pela profissão. Um Soldado de Polícia Militar em início de carreira deveria receber vencimentos iniciais de no mínimo R$ 7.190,98 (sete mil, cento e noventa reais e noventa e oito centavos) mensais, para uma jornada de trabalho de até 144 horas mensais. A tropa da PMERJ está desmotivada, insatisfeita e tem VERGONHA DO SALÁRIO! OS POLICIAIS MILITARES DO RIO DE JANEIRO ARRISCAM A PRÓPRIA VIDA POR MUITO POUCO!

    “POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA SÓ É FEITA COM POLICIAIS BEM PAGOS” foi o que disse o então candidato ao Governo do Rio, Sérgio Cabral Filho.

    “O GOVERNANTE QUE DIZ QUE O ESTADO DO RIO NÃO TEM DINHEIRO PARA PAGAR MELHOR SEUS POLICIAIS ESTÁ MENTINDO!” (palavras de Sérgio Cabral em 2006).

    ResponderExcluir