sábado, 2 de abril de 2016

Servidores protestam após novo parcelamento de salários no Rio Grande do Sul


Um dia depois de o governo do Rio Grande do Sul anunciar novo parcelamento nos salários, servidores públicos de categorias diferentes foram às ruas para protestar em Porto Alegre. No fim da manhã desta quinta-feira (31), pelo menos duas manifestações foram registadas.
Um trecho da Avenida Bento Gonçalves, perto da Aparício Borges, no bairro Partenon, na Zona Leste da capital, foi bloqueada por servidores da Saúde, que carregavam cartazes com mensagens contra o parcelamento e o atraso de salários.
A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) orienta motoristas para o desvio pela Avenida Salvador França, no sentido bairro-centro, em função do protesto.
Outra manifestação foi realizada por servidores que trabalham no Centro Administrativo, no Centro de Porto Alegre, por volta do meio-dia. Eles usaram o horário de almoço para não prejudicar os serviços públicos. Também com cartazes, eles repudiam a atitude de parcelar e atrasar salários.
Os salários de março foram parcelados para cerca de 75% dos servidores públicos vinculados ao Executivo do Rio Grande do Sul. O governo estadual informou na noite desta quarta-feira (30) que cada matrícula receberá como remuneração um valor até R$ 1.250, o que garante o pagamento integral a 80 mil vínculos, 24,58% dos cerca de 347 mil.
Os salários deste mês serão divididos entre oito parcelas. O Piratini não informou um calendário de pagamento, mas espera que até o dia 20 do abril os vencimentos sejam quitados.
Segundo o governo, a folha completa do Executivo ficou em R$ 1,371 bilhão neste mês. O valor líquido dos salários é de R$ 1,144 bilhão para os servidores da administração direta, fundações e autarquias. O resto do valor se refere a compromissos do Tesouro com as consignações e os impostos sobre a folha.
O secretário da Fazenda, Giovani Feltes, atribui a medida às dificuldades financeiras enfrentadas pelo governo devido à crise no país e os compromissos financeiros de fevereiro que foram saldados em março. "Conseguimos quitar as principais contas de fevereiro, como o próprio salário e a dívida com a União, apenas no dia 11. Ou seja, tivemos dias de arrecadação para cobrir a despesa de um mês inteiro", explicou o secretário.
Este é o segundo mês do ano que os rendimentos do funcionalismo são parcelados. No mês passado, até o dia 29, os servidores receberam R$ 1.750.

Nenhum comentário:

Postar um comentário