domingo, 19 de junho de 2016

Movimento de Lutas dos Trabalhadores da Segurança Pública, Familiares e Pensionistas


A Coordenação do MSP Movimento de Lutas dos Trabalhadores da Segurança Pública, Familiares e Pensionistas vem a público INFORMAR e DENUNCIAR que:
A medida extremada do governo do Estado do Rio de Janeiro com a edição do Decreto de Calamidade Pública (falência das finanças do RJ) tem como objetivo buscar socorro financeiro junto ao governo federal, para cobrir os desvios de dinheiro público praticados por criminosos travestidos de governadores atuais e que já passaram pelo Palácio Guanabara e por todos Deputados Estaduais da base aliada desses governos.
A queda na arrecadação e na partilha dos royalties do petróleo não são as causas desse caos financeiro. Essa versão dada pelo governo do estado é cínica e mentirosa, tentando proteger seus membros e seus amigos envolvidos em todos os negócios escusos que esvaziaram os cofres do Estado.
Os crimes aos quais nos referimos foram praticados quando os marginais citados acima aprovaram e continuam aprovando até hoje, projetos para garantir para seus amigos proprietários de grandes empresas Isenção e Anistia Fiscal; Doações de terrenos públicos cujas áreas são de tamanhos fenomenais; Tributação Fiscal diferenciada, Financiamento para a construção e instalação da empresa a juros com valores ridiculamente baixos. E não é por acaso que esses mesmos amigos e empresas são as maiores doadoras de dinheiro para as campanhas políticas desses facínoras ladrões do dinheiro dos tributos pagos pelo do povo trabalhador do RJ.
O agravamento dessa situação no Estado do Rio de Janeiro aconteceu nesses últimos 10 anos quando o grupo político, que mais parece uma quadrilha de marginais, liderado pelo bandido-mor ex-governador SÉRGIO CABRAL FILHO , que deu o golpe mortal no Estado do Rio de Janeiro, superfaturando dezenas de obras públicas; aprovando Termos Aditivos de contratos a fim de aumentar os preços finais das obras, esvaziando os cofres do RJ, dinheiro suado do povo, e transferindo para grandes empresários com quem eles mantem negócios. Algumas dessas obras foram a reforma do Maracanã; o Arco Metropolitano; a Transcarioca , todas as obras da Copa do Mundo de Futebol de 2014; e as obras das Olimpíadas 2016.
O MSP Segurança Pública vem denunciando essas práticas criminosas desde sua criação em 2010, mas parecia que estávamos "malhando em ferro Frio", hoje a Operação Lava Jato mostra que estávamos no caminho certo, quando fomos para as ruas ao lado dos trabalhadores lutar contra o desmantelamento da Saúde, Educação e da Segurança que estava empurrando progressivamente toda a população do nosso Estado para essa situação de caos social.
Nós entidades representativas de categorias de Servidores do Estado e o povo trabalhador do Estado do Rio de Janeiro acreditamos na reconstrução financeira do nosso Estado, contudo, queremos apontar algumas linhas de ações para que a real causa desse caos seja diagnosticada e os autores sejam identificados e punidos exemplarmente.
1. Queremos o imediato pagamento integral dos salários dos servidores do estado, sendo pagos até o segundo dia útil do mês;
2. Queremos uma investigação da Polícia Federal e do Ministério Público Estadual nas finanças do anterior e atual governo do Estado do Rio de Janeiro; nas Leis aprovadas na Alerj em benefício de grandes empresários e nos contratos entre o governo e as empresas beneficiadas com recursos financeiros do Estado;
3. Queremos a reparação aos cofres do Estado do Rio de Janeiro de todo montante de dinheiro desviado em operações e projetos danosos ao interesse público, causados por membros desses governos e seis amigos;
4. Queremos a reparação pecuniária, administrativa, cível, e penal por todo dano causado ao longo desses anos aos servidores públicos e ao povo trabalhador que utiliza principalmente os serviços de saúde, educação e segurança do nosso Estado.
Estado do Rio de Janeiro, 19 de junho de 2016
Fernando DELIMA 
Tenente PMERJ, Coordenador do 
MSP Segurança Pública

Nenhum comentário:

Postar um comentário